segunda-feira, 17 de agosto de 2015

Pensar x Sentir

Por E.

Quando pensamos devemos nos questionar: "esse pensamento é meu? Ou veio do mental coletivo e eu absorvi?" Ou ainda: "Isso é uma verdade minha ou só estou repetindo o que ouvi a vida todo 'dozoto'?" A mente muitas vezes nos prega peças, nos sabota... Muitas vezes representa tudo aquilo que não somos, apenas espelha uma forma de tentativa em ser aceito pelos outros... Inconscientemente...
Quando absorvemos um pensamento que não era nosso ele automaticamente passa a ser. Daí ele se transforma em sentimento. Mas não é desse sentir que eu me refiro.
Falo do sentir genuíno, que não é antecedido por nenhum pensar. O verdadeiro sentir só é percebido quando estamos conectados com nossa própria essência, é a voz do eu interior... Que só podemos ouvir se silenciarmos a mente... A mente doente, que absorve tudo que passa (parece um aspirador de coisa ruim), nos impede de ouvir nosso verdadeiro eu, pois ao contrário dela que grita, ele fala educadamente, e só ouvimos se estivermos na mesma frequência, a frequência do amor... Não existe piloto automático, se não marcar presença a mente domina, e ela só sintoniza com baixa frequência, afinal é do que o mental coletivo está cheio... Mas se tivermos domínio e ficarmos presentes conseguimos ouvir  o deus que há dentro de nós, que somos nós mesmos... centelhas divinas de uma fonte de vida...
A voz interior nunca mente, nunca nos leva a coisas ruins ou a arrependimentos... Quando confiamos nela a alegria é garantida.Quantas vezes você sentiu algo verdadeiro e sua mente tentou racionalizar para o lado do medo, da desconfiança, da raiva, do julgamento? Quantas oportunidades perdemos por não ouvirmos nossa voz interior? Em quantas furadas nos metemos por duvidar do (ou teimar contra o) "pressentimento"?
Quantas pessoas você pode dizer que tem um sorriso sincero? Quantos sorrisos são capazes de transmitir a pureza da alma? Quantas pessoas são de verdade?
Sentir é mais importante que pensar. Sentir é ser.



2 comentários: