domingo, 9 de agosto de 2015

Insight

Por E.

Todo dependente químico e codependente que hoje está bem teve um momento de sua caminhada em que tomou uma decisão. E para tomar essa decisão que mudou sua vida, a pessoa teve um momento de lucidez, um insight, uma inspiração divina, chamem como quiserem... 
No meu caso isso ocorreu com a aceitação da minha impotência perante o outro. É fácil falar, mas entender verdadeiramente o que isso significa e aceitar de coração... 
Eu era totalmente contra essa ideia de impotência, vivia tentando salvar o outro, sempre que possível tentava reduzir os danos causados pelos seus atos, achando assim que estava ajudando, quando na verdade só alimentava o problema... Ficava assoprando o fogo pensando que estava aos poucos apagando o incêndio, mas só estava o alimentando, fornecendo oxigênio para que ele queimasse por mais tempo...
"Vai Planeta!" ¬¬ Só que não...


Não foi fácil derrubar meu ego que se achava salvador da pátria... Nem tampouco o fiz por livre e espontânea vontade. Pelo contrário... Ele tava tão grande e enraizado que pra derrubá-lo só com uma pancada bem grande, daquelas que neguinho sai catando cavaco... 

Ego estilo baobá...

E olha que não foi por falta de aviso... Eu já tinha levado uns chacoalhões, uns tapas na cara da vida que ardiam pra valer... Mas eu não tinha vergonha... Logo mais a dor passava e eu já tava lá de novo, metendo o dedo, a mão, o braço, o corpo inteiro, mente e alma, onde não era chamada... E lá vinha outro tapa, mas eu já tava igual mulher de malandro, acostumada a apanhar da vida. Até que veio o porradão, o atropelamento por um caminhão... Foi pedaço de coda pra todo lado... Ou eu ia lá catar meus pedaços, ou ia! Não tinha outra opção, porque ninguém ia catar por mim! Aí entendi que eu também não podia catar por ele...


O que a gente pode fazer pelo dependente é muito pouco, e mesmo esse pouco depende dele. Não adianta nada eu acreditar na recuperação dele se ele mesmo não acredita. Não adianta nada pagar tratamentos caros se ele não quer se tratar. Não adianta nada internar à força se ele não se conscientizar. Aliás, nada à força funciona, pelo contrário... Interrompe um processo que poderia culminar (ou não) na vontade da pessoa de parar. Todos os casos de dependentes que pararam de usar foi porque chegaram a um ponto em que ninguém mais limpava as cagadas deles e sofreram sozinhos as consequências dos próprios atos. Por que a família deles era mais bem preparada? Provavelmente não... Na maior parte dos casos é porque a família já tinha tentado de tudo e por fim desistiu, largou mão por não aguentar mais sofrer...
Notem um fato interessante: a família para de atrapalhar a recuperação do adicto quando cansa de sofrer (não tem mais condições psicológicas e/ou financeiras) e para de tentar ajudá-lo à força. O adicto, por sua vez, só sente vontade de parar (quando sente) quando passa a assumir todas as consequências dos seus atos... Quando sofre o suficiente.


Só termos forças para sair do sofrimento quando esse se torna insuportável. Enquanto estamos acostumados com a dor deixamos que ela vá ficando, vai se tornando uma velha conhecida e até nos apegamos emocionalmente a ela. Nos identificamos, ela passa a fazer parte de nós e pensamos: "se um dia ela for embora o que vai sobrar?" A dor e o sofrimento passam a ser nossa zona de conforto. E como toda zona de conforto, só saímos se ele se tornar desconfortável por demais... A nossa resistência é grande, e quanto mais a gente se recusa a enxergar, maior ela fica... Até que um dia a gente sofre um golpe muito mais forte, que te deixa estatelado no chão, aí não tem mais como fingir que não viu... aí é hora de acordar e fazer algo pela sua vida.
Foi assim comigo, precisei pagar pra ver até as últimas consequências... Tive que ver ele tomar ibogaína, se livrar do vício químico e mesmo assim escolher voltar pras drogas. Só assim caiu a ficha no meu cabeção duro que ele NÃO queria parar. Caraca, precisei de quase 4 anos para enxergar o óbvio!!! Pois é...
Se você tá aí apanhando da vida, sofrendo mais que suvaco de aleijado, talvez seja a hora de se perguntar por que? Será que deus é um sádico e gosta de te ver sofrendo? Será que a vida é ruim e o mundo é cruel? Será que o universo tá contra você? NÃO!!! Ele só tá tentando te mostrar: "para de fazer assim que vai continuar dando errado!" Se quer resultados diferentes, aja diferente. Não espere que a diferença venha do outro... Tem que vir de você! Se não quer mais apanhar da vida para de se meter onde não deve. Para de querer ajudar quem já provou com diversas atitudes que não quer sua ajuda. Para de dar murro em ponta de faca... Use toda essa sua bondade para ajudar quem realmente precisa de você: Você mesmo!



6 comentários:

  1. UHUUUUUUU..palmas....eeeeeeeeeeeeee ...fiuuuuuuuuu..r.s

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rsrs... obrigada nega... =)

      Excluir
    2. Mutio bom post... estou caminhando a passos lentos rumo a mudança. ... mas vejo que esse meu comportamento vai muito além do meu dependente químico. ... eu vivo me metendo onde não sou chamada e me achando a savadora da pátria. No trabalho, por exemplo atualmente deixo de almoçar para ajudar um amigo nas suas tarefas (quando tenho domínio do assunto acabo fazendo sozinha mesmo a tarefa)... tem dias que estou tão exausta mentalmente. Mas eu chego lá. Bjs

      Excluir
  2. Olá, tudo bem?Gostaria de tirar umas dúvidas sobre como se comporta um usuário ou dependente quando começa a se relacionar com alguém "careta" e demonstra a você o desejo de largar a relação com a droga..É normal que a pessoa passe a fazer relatórios sobre a sua rotina? Tipo, que acordou cedo pra fazer exercício físico e inclusive tira fotos tomando suco ou água de coco e manda pra você?Quando vai a casa de um amigo, é normal que ele mande foto mostrando que tava bebendo água etc.?E outra, um sinal de que essa pessoa pode estar querendo voltar a usar, necessariamente, tem a ver com ela querer voltar a frequentar ambientes ou andar com pessoas que usam?rs Normal também você estar numa situação com a pessoa, tipo curtindo um love e do nada aquela pessoa esfria contigo pq lembrou de uma relação antiga onde havia o consumo da droga? rs Desculpem a pergunta, mas nunca havia me relacionado antes com alguém( que nunca usou a droga na minha frente) mas que no segundo encontro nosso me contou que usava a droga, embora não fosse frequente.Gostaria mesmo de esclarecer essas dúvidas! Bjs

    ResponderExcluir
  3. Carla, normal né... Costumo dizer que não nos tornamos coda por causa do adicto, só nos descobrimos codas... Já tínhamos uma pré disposição pra isso. Querer carregar o mundo nas costas, esse é o mal de muitas de nós... Mas não dá, tem que aprender a dizer NÃO! Tem que aprender a parar de se anular. Tem que aprender a se respeitar, seus limites, suas vontades... Parar de se sacrificar sempre pelo outros... Procura ajuda querida...

    ResponderExcluir
  4. Anônima, sim, é normal. Eu também era careta quando comecei a namorar com o meu ex... Depois que entrei numa fase "adolescência tardia"... Mas teve épocas em que eu e ele paramos de beber e ele agia assim mesmo, tipo querendo provar... Demonstrar vontade de largar, sempre demonstram. Isso não quer dizer que seja verdadeiro. Você acha que se ele não quiser parar vai te falar: "olha eu gosto de usar e vou continuar usando, só dou um tempo pra você achar que parei"? Não né... Eles alternam comportamentos, na verdade. Uma hora fazem tudo certinho, querendo nos convencer (e convencer a eles mesmos) de que vão parar: fazem exercício, trabalham, não bebem, fazem algum tipo de tratamento, etc... Aí cansam e ficam frios e apáticos, desanimados de tudo... Falta adrenalina, afinal a vida real é na maior parte do tempo monótona, rotineira, sem grandes emoções... Aí vem a falta da droga...
    Se a pessoa quer voltar a frequentar ambientes ou andar com pessoas que usam, com certeza é sinal que quer voltar a usar... Está procurando sarna pra se coçar... E quem procura acha.
    Mas esse não é o único sinal de recaída... Ele pode não fazer nada disso e "do nada" recair mesmo assim.
    Mudanças de humor são constantes, pode mudar do nada... E não tem que ter um motivo específico. Se ele disse que é porque lembrou de outro relacionamento pode ser para te fazer ciúmes... Eles vivem tentando nos desestabilizar. Uma dica é não ligar. Se ele ficar frio ignora, seja fria também, não dê ibope pras frescuras dele... se não consegue não ligar (eu sei que é difícil!), pelo menos finja que não liga. É o único jeito de sobreviver a uma relação assim, pois quanto mais atenção você dá, mais ele apronta e mais você fica na mão dele emocionalmente. Eu vivia numa montanha russa emocional, só ficava bem quando estávamos no "love", o problema é que na maior parte do tempo ele estava procurando briga, mesmo quando não havia motivo nenhum para isso... Ele agia como criança birrenta, fechava a cara do nada e nem falava porque. Ameaçava terminar, fazia um inferno... E eu que nem boba ficava tentando entender e me desesperava. A real é que não dá pra entender, não existe uma explicação lógica... Ou eles estão procurando um motivo pra justificar o uso ("usei porque brigamos"), ou estão nos infernizando mesmo... Não caia na dele... Boa sorte

    ResponderExcluir