quinta-feira, 25 de junho de 2015

O poder das religiões

Por E.
Depois do texto maravilhoso do Gregório Duvivier. Depois da menina de 11 anos que foi apedrejada por evangélicos por ser do candomblé. Depois da manipulação de informações sobre a parada gay. Depois do boicote a propaganda do Boticário. Depois da tentativa de boicote a novela da Globo que tem um casal de lésbicas. Depois de Felicianos, Malafaias e a trupe toda... Posto um texto que escrevi quando tinha 18 anos, ou seja, a 6 anos atrás. Infelizmente ele é totalmente atual. Até então nada mudou... Quer dizer, mudou pra pior, pois tudo que citei acima aconteceu depois dele...
PS.: Deixei os comentários pois um deles foi quase melhor que o texto em si... Sim, começa meio nervoso. Sim, eu era muito brava kkk... mas fora isso, a ideia é válida.
 
"O poder ilimitado corrompe a mente de quem o possuem"


Willian Pitt



É impressionante o poder que as religiões exercem sobre a humanidade. Acredito que toda essa influência seja devido ao oculto, ao misterioso, justamente por ter um teor divino e não humano. Sim, porque nenhuma instituição formada por homens comuns consegue convencer tantas pessoas por tanto tempo como acontece com as religiões. Esse poder pode ser usado para o bem ou para o mal. É confortante acreditar em algo que dê esperança, que faz você superar as dificudades. É bom ter a quem recorrer na hora do aperto, especialmente se esse alguém tem poderes ilimitados para te ajudar. Muitas pessoas mudam de vida graças a alguma igreja, saem das drogas, da criminalidade e ganham um motivo para viver. Admiro esse tipo de trabalho feito em algumas igrejas, ajudando quem precisa e seguindo os ensinamentos de Jesus: "amar o próximo como a ti mesmo". No entanto em muitos lugares vejo um cristianismo egoísta, que em nenhum momento se fala em ajudar ninguém a não ser a si mesmo. Valorizam mais os valores moralistas (vestimentas, comportamento, proibições do que não é bem visto pela igreja) do que o interior de cada um, bem diferente do que Cristo faria. Quem conhece pouco de bíblia sabe disso. Quem não conhece nada, fique sabendo: o que Jesus mais fez foi pregar sobre o amor.


Mas nem sempre os que se dizem cristãos lembram disso. Não vou nem entrar na questão do tal "evangélio da prosperidade" _ não espiritual, material mesmo_ que vem sendo disseminado por aí. É lastimante. Exatamente aí entra o lado negativo da religião: quando nas mãos de pessoas espertas e sem caráter pode ser usada para alienar massas (formadas por pessoas simples e ignorantes) e convencê-las do que quiserem. Para quem acha que isso é novidade está enganado. A igreja católica já vendeu muita "vaguinha no céu" antigamente. Hoje, depois de não sei quantos anos de reforma protestante é a vez deles cometerem os mesmos erros que criticavam. E esse tipo de atitude não é de exclusividade cristã. Taí o hinduísmo que não me deixa mentir. Uma religião milenar que divide a sociedade em castas que traduzindo para a nossa língua correspondem as classes sociais. A diferença é que no mundo capitalista não hindu temos a impressão de liberdade, ou seja, é possível melhorar de vida e mudar de classe desde de que se esforce muito e tenha bastante sorte, se for honesto (pois a sociedade não vai te proporcionar condições favoráveis nem oportunidades justas para que você consiga) ou, se for desonesto, bem, neste caso vai ter um monte de gente que te ajude mas eu não estou aqui para ensinar ninguém a fazer isso (até porque nem é preciso!). Mas voltando ao assunto: aqui a ascenção social não tem nada a ver com religião (ou ao menos não deveria ter). Já os hindús acreditam que se você nasceu para catar cocô vai catar cocô para o resto de sua vida, não pode mudar isso. Mas tem a parte boa: talvez na próxima reencarnação você nasça em uma casta rica e se dê bem. É ou não é uma maneiro de justificar (e não deixar que se cogite mudar) a miséria em que a maioria da população indiana vive? Hoje o sistema de castas é proibido por lei, o que já é um avanço, mas a mentalidade de um povo que de vem há séculos sofrendo lavagem cerebral religiosa não vai mudar de uma hora para a outra.


O que dizer dos homens bombas que matam e morrem em nome de Deus, acreditando que irão para o paraíso e lá terão não sei quantas virgens maravilhosas esperando por eles? Enquanto isso os coitados nem imaginam que estão sendo usados em uma guerra de interesses muito mais relacionados à política e economia do que à religião.


Outro problema é a intolerância religiosa. Pessoas se matando só porque são de religiões diferentes. Não são poucos os conflitos que acontessem hoje no mundo por causa disso. Na verdade esses conflitos têm sempre um fundo político e econômico (briga por território, riquesas naturais, e por aí vai...). Só para citar alguns: muçumanos e judeus em Israel, católicos e protestantes na Irlanda do Norte, hindús e muçumanos na Índia... Como se não bastasse essa mania que humanos têm de brigar entre sí as vezes as religiões cumprem o papel de atiçar ainda mais.


Não estou dizendo que religião é algo ruim. O problema é quando a influência dela é usada para deixar as pessoas alienadas, capazes de fazer coisas horríveis. O negócio é questionar sempre para não entrar nessa roubada! Mas infelizmente sempre vai ter gente ignorante o suficiente para se deixar acreditar em qualquer coisa.


Jesus pregou a bondade, o amor, disse para ajudarmos o próximo; Buda falou de desprendimento dos bens materiais para se alcançar a iluminação; Gandhi defendeu que as pessoas deveriam viver em harmonia respeitando as diferenças religiosas umas das outras... Independente da religião podemos ser pessoas melhores.

4 comentários:

  1. Para poder questionar as atitudes dos cristãos sobre a forma de agirem, vc deve primeiro acreditar no que as igrejas pregam. Vc começa bem o seu texto dizendo que as religiões mudam as pessoas, curam, resgatam e por aí a fora. Depois critica os pseudo religiosos, que se camuflam no título de "cristão" para se protegerem de julgamentos, mas acabam seguindo uma linha de vida diferente do que deveriam. Pense que a religião traz coisas boas a todos que rezam, acreditam que serão melhores, que querem ser melhores e buscam serem melhores através dessa espiritualidade. Não existe regra, essa nossa revolta pelos egoístas é também um egoísmo nosso de querer que todos sejam iguais. Hipócritas são permitidos, pois as leis divinas foram criadas pelos homens e estão aí até hoje porque de alguma forma fazem bem. Essa sua indignação sobre como que perdura algo por tantos anos pode ser respondida através das conquistas que as pessoas conseguem através da crença em algo. Ponha suas crenças em um objeto qualquer, como um sofá de sua casa por exemplo, coloque-o em um lugar sagrado por vc e reze durante 30 minutos todos os dias com fé para ele. Tenho certeza que coisas boas irão acontecer em sua vida se vc realmente acreditar. Isso se chama fé, pois ela e somente ela que move montanhas, mas ela não precisa ser divina, só precisa ser canalizada. Quem canaliza isso nos seres humanos a milhares de anos e em todos os lugares do mundo? Os índios obtinham resultados satisfatórios em suas vidas fazendo oferendas ao Deus Chuva, Sol, vento, terra e quantos mais, pois tinham fé. Será que o cacique condenava também o índio egoísta que rezava para o Deus Sol e depois não dividia a sua caça ? Muito dos nossos problemas existem porque não questionamos os reais motivos que nos levam a religião. A fé, o acreditar que as coisas vão mudar, de que serei melhor, são as coisas que realmente nos mudam. O enredo da igreja também é importante, pois isso nos faz acreditar ainda mais, nos dando mais fé. Sem a história da bíblia ninguém acreditaria em nada e a fé deixaria de existir ou existiria de outra forma. Isso é instintivo, está em nossa genética, temos que acreditar em alguma coisa divina para gerar essa força transformativa em nossas vidas. Felizes são aqueles que acreditam em Deus e vivem a sua palavra sem questionamentos. Pois esses serão recompensados por sua própria fé e nada mais. O Divino está dentro de cada um e a igreja somente canaliza/integra isso com o mundo.
    Responder
     
  2. Caramba, esse último comentário arrebentou! Eu nunca havia pensado por esse lado. Mas dá pra gente simplesmente jogar tudo o que acreditamos ser divino no lixo? O além não existe?
    Responder
     
  3. É muito ridículo: entrar o blog de alguém, deixar um comentário anônimo nada a ver e depois, como se não bastasse, deixar outro elogiando o primeiro. Eu nem deveria me dar o trabalho de responder, mas não gosto de apagar comentário de ninguém. Qualquer opinião tem o direito de se manifestar aqui, mesmo que seja infundada, esdrúnxula. Mas é claro que não fica barato...
    Em 1º lugar, eu não quero fazer ninguém jogar a fé no lixo. Se você vai à igreja todo dia ou reza em casa em frente ao seu sofá, por mim tanto faz... Não pretendo fazer com que quem esteja feliz na suas crenças as abandone. Aliás, este texto só faz uma pequena análise do poder que as religiões têm e as consequências que esse excesso de poder causam.
    Você, seja lá quem for, disse que eu "comecei bem" meu texto. Logicamente, só porque eu citei coisas boas referentes a religião. Isso mostra que você é o tipo de pessoa que eu mais repugno. Aquelas que só ouvem o que querem, que acham que estão sempre certos e o resto (quem pensa diferente) está errado, os famosos donos da verdade... Meu caro, vê se acorda! Nada é 100% bom, ainda mais se tratando de algo tão polêmico e controverso. Eu fui até muito sutil nas minhas colocações, como disse meu querido Glauco. Se fosse para falar mal de verdade, apontar os podres... ixi...tinha assunto para escrever um livro, e dos grossos!
    Digo sem falsa modéstia que meu texto foi bom do início ao fim, pois foi fiel ao transmitir o que penso. Se não quiser ler textos críticos não precisa ler os meus. Nesse blog tem espaço para tudo, menos para censura e hipocrisia. Aqui faço uso da liberdade de expressão. Como consequência de vez em quando "caem do céu" uns chatos de galocha, mas é o preço que se paga por ser EU MESMA, sem máscaras.
    Se quiser ouvir falar só bem de religião, vá a uma igreja qualquer. Cada coisa tem seu lugar e aqui é lugar de pensar e criticar, não de engolir tudo que é bobagem imposta.
    E você está redondamente errado. Eu não preciso ACREDITAR em nada para criticar alguma coisa! Para criticar sem ser injusta eu só preciso CONHECER. E eu sei bem do que estou falando. O que escrevi aqui não tirei do nariz. São FATOS, aliás, mundialmente conhecidos. Quem insistir em fechar os olhos para tais fatos é um tapado. E não estou me referindo a uma minoria, aos "pseudo religiosos", como você disse. Não. Quando faço minhas críticas me refiro a TODAS as religiões e a todos os religiosos, pois todos, sem excessão, têm defeitos. Defeitos estes que afetam a vida de muita, muita gente. Não atoa Gandhi uma vez, ao ser questionado sobre por que não se tornar cristão, respondeu: para que? se nem vocês cumprem o que o cristianismo propõe. E é bem isso mesmo. A verdade é que as pessoas usam muito mais a religião como pretexto de guerra, preconceito, hipocrisia, humilhação, sentimento de superioridade do que para o bem. Quando me refiro a parte boa da religião, a espiritualidade saldável e ao fazer bem ao próximo, aí sim me refiro a uma minoria. Pois o que vejo é que esses e outros fatores são mais encontrados fora do que dentro das igrejas. Eu mesma fui me sentir bem melhor quando desisti de tentar me enquadrar em algo que na verdade nunca fez sentido nenhum para mim. Algo que me prometia trazer paz, mas só me angustiava. Eu não entendia porque era diferente, mas com o tempo percebi que a lavagem cerebral não pegou em mim. Ainda bem! Hoje sou uma agnóstica muito bem resolvida e feliz com minha situação.
    Acho que se existe deus, sejá lá como for, ele deve ser averso à religião. Ela deixa o homem mais acomodado, ignorante, preconceituoso, intolerante e, (pasme![ou não, né]) muitas vezes, mais egoísta.
    Responder
     
  4. O que mais me indigna, em se tratando de religião, não é o fato de não acreditar num onipotente, mas nas contradições em que as religiãoes se apegam, você (E) retratou muito bem essas contradições.
    Responder

4 comentários:

  1. kkkkk que da hora...digamos que o comentário complementa o texto....e mais da hora é ver como vc mudou... :)....

    ResponderExcluir
  2. Viva a ayahuasca, rsrsrsrsrsrs

    Janete

    ResponderExcluir
  3. kkkkkk.... como vc diz, eu era boca dura kkkk

    ResponderExcluir
  4. Mas o legal é que a essência não mudou...

    ResponderExcluir