sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

Me libertando

Por E.

Bom dia pessoas...

Como eu já havia falado em postagens e comentários anteriores, o homi lá em casa já estava dando sinais de recaída. A meu ver, foram:
-Comportamento infantil
-Procurando briga
-Não querendo ir na terapia ("eu só tava indo por sua causa", "o terapeuta é ruim", "não gosto", "não preciso)
-Não ligando pro espiritual ("assédio, tentação... tudo besteira", "oração pra quem?" Ele não pronunciava essas frases mas parece ser o que pensava porque não levava nada a sério)
-Reclamando da vida e se fazendo de coitado ("eu tô cansado, trabalho muito, tadinho de mim...")
-Momentos deprê (insatisfação com a própria vida mas nenhuma atitude de mudança para melhorar o que está ruim, só demonstrava vontade de fugir)
-Auto engano ("não preciso de terapia", "posso voltar a beber"...)
-Falta de auto crítica (só ele tem razão, o resto todo errado: eu, terapeutas, médicos, na, grupos das codependentes...)
-Excesso de crítica aos outros, principalmente comigo (ficava querendo me dizer o que fazer mas ele não tomava atitude nenhuma com a vida dele)
-Falar que vai voltar a beber (se comparar à pessoas não dependentes químicas, achar que é uma exceção, não aceitar ser comparado com outros dependentes químicos "cada caso é um caso")
-Tomou um cappuccino (Não que isso fisicamente tenha causado nenhum efeito, a questão é psicológica. Ele acreditava que não podia tomar nada com cafeína se não estragaria o tratamento. E por um tempo levou isso muito a sério. Até que um dia chegou em casa rindo e falando: "quebrei uma regra". Aí logo já pensei: "ixi... pra desandar não demora...")
-etc...

Tinham 2 meses e 18 dias que ele estava limpo, 2 meses e 13 dias depois da ibogaína. Desde quarta-feira ele está recaído. Nesse dia ele chegou do trabalho reclamando da vida mas com um sorriso no rosto...(?) Aí começou a falar que estava pensando em fazer besteira, que quase parou numa padaria pra tomar cerveja. Mas disse que não queria falar sobre isso comigo porque eu ficava apavorada (com deboche). Eu falei que ele está igual quando ficava sóbrio sem a ibogaína, que estava num ciclo. Ele começava muito bem, esforçado no trabalho, feliz por estar limpo, por estar conseguindo... O tempo ia passando e a felicidade por estar limpo se neutralizava, os esforços no trabalho não eram recompensados, a vida começava a ficar monótona e chata... Dava 2 meses e pouco ele começava a dar sinais de recaída. A cabeça dele começava a arquitetar coisas, motivos, que o levassem a usar. A única diferença de antes e de depois da ibogaína é que não existe mais a necessidade do corpo pela droga. Mas a cabeça continua a mesma... Que ele devia pensar, apesar da droga ser prazerosa valia a pena jogar fora tudo que conquistou até aqui? Não poderia encontrar prazer em outras coisas? E outra... a vida sem droga as vezes é assim mesmo, nem sempre é festa, as vezes é calmaria, rotina, chatice. A vida adulta é assim. Temos que aceitar isso e não querer fugir. Enquanto eu falava isso ele mexia no celular, brincava com a cachorra... Aí teve uma hora que falei: você quer conversar ou mexer no celular ou brincar com a cachorra? Ele: pode ser os 3? (deboche). Eu: não, quando você quiser conversar você me avisa (praticando virar o buda). Então ele largou o resto e prestou atenção. Depois que eu falei isso ele perguntou: mas você não sente vontade de beber? Eu: a questão não é ter ou não vontade. As vezes pode dar vontade mas a gente é ser humano, a gente toma decisões. Não saímos por aí fazendo tudo que dá vontade. Eu gostava de beber, você sabe disso. Mas era uma alegria artificial. A bebida também é uma droga, uma fuga. Eu não quero mais fugir, quero evoluir.

Depois ele me fez a proposta de abrirmos uma exceção no carnaval para nos divertirmos e bebermos (!). Eu era uma bela cachaceira, no passado era bem provável que aceitasse. Mas felizmente eu mudei. Infelizmente ele não. E ele estava me testando pois tinha certeza que eu não tinha mudado de verdade, que eu acabaria aceitando e voltando a beber junto com ele... Eu disse: primeiro você queria beber daqui a 1 ano, depois no casamento do seu irmão em outubro, agora já no carnaval? Ele: só uma exceção, aí não bebemos mais. Eu: tá doido? Você ta tomando composto ainda e já tá pensando em beber? Ele: ah você tá tão chata! Era tão lindo quando você concordava comigo...(aff, sem comentários)

E não parou por aí. Ele: Se você não for, eu vou sozinho. Eu: Se você quer jogar seu tratamento fora... Ele: e não vai vir atrás de mim me encher o saco. Eu: não vou mesmo. Ele: você vai continuar comigo assim mesmo? Eu: não sei. Ele: como não sabe? Tem que se decidir logo. Eu: porque tenho que decidir logo? Ele (ficando nervoso): porque se você for terminar comigo eu vou viajar. Eu: ue, você ia pular carnaval aqui mesmo, agora já vai viajar? Ele: é, se você for terminar comigo eu vou pra praia com minha mãe e meus primos. Eu: ah dinheiro pra ir pra praia você tem? Ele: meu pagamento cai dia 6. Eu: legal, você gasta tudo no carnaval e as contas sobra pra mim pagar sozinha ne. Ele: não seja por isso, eu te dou metade do meu pagamento. Eu: você acha que todo mês sobra metade do meu pagamento pra mim, pra eu gastar com o que eu quiser? Ele (bravo): não acredito que você ta falando isso, sabe que eu ganho pouco, quer que te de mais que a metade? Não vai sobrar nada pra mim. Se quiser eu vou embora aí vai sobrar mais dinheiro pra você. Eu (calma, desde o início): não quero nada... a questão não é quem ganha mais ou menos, a questão é que você deu a ideia de economizarmos, sabe que estamos duros... Eu abri mão da gente viajar pra casa dos meus pais para economizar, você não pode abrir mão do carnaval. Ele (bravo): eu trabalho que nem burro, tenho que me divertir! Eu: não tem outra maneira de se divertir que não seja bebendo?

Aí eu cansei de conversar com uma porta e lembrei do conselho da Kel, de sair, dar uma volta, e deixar ele falando sozinho. Mas eu simplesmente sentei na sala e respirei fundo... Ele: vai ser assim? não quer conversar? Eu: o que adianta conversar se você não tá nem aí para o que eu falo, você só quer fazer o que tem vontade. Aí ele saiu de casa e até hoje não voltou...

Como eu estou? Estou bem, estou em paz! Não sinto mais aquele desespero que eu sentia antes. Sei que fiz tudo que eu podia. Não sinto culpa nenhuma. Em momento nenhum alterei a voz. Eu poderia ter feito chantagem pra ele não sair (como fiz milhares de vezes) chorando, me jogando na frente dele, cercando a porta, armando barraco indo atrás dele na rua... Mas não, eu respeitei a decisão dele, dei livre arbítrio. E ele foi se anestesiar pois não quer crescer, não quer amadurecer, não quer lidar com a realidade, quer viver na fantasia, quer o prazer rápido e falso das drogas, quer se enganar. Paciência... É triste? É. Mas a escolha é dele... só dele. Pra que vou ficar aqui arrancando os cabelos enquanto ele nem se lembra que eu existo? Raiva? Também não. Já senti muito pois acreditava que minha felicidade dependia dele estar limpo. Hoje vejo que não depende dele, só de mim. Ele não está me afetando em nada usando droga. Fico triste por ele, não mais por mim. E não me permito ficar triste por muito tempo. Pois vejo como sou amada, como o ser superior está me fazendo despertar da codependencia... De todos os lados ele vem para me animar, para que eu não volte a auto enganação. A minha maior fonte de recaída era causado pelo "amor". Eu falava que ia terminar com o homi, mas depois voltava atrás e dizia que era porque eu o amava demais, não podia jogar meu amor fora... Hoje eu vejo que isso é posse, não amor. Que é engano precisar de alguém. Que a felicidade vem de dentro. Que um relacionamento sadio envolve troca, e que ele não tem nada pra trocar... Que a culpa dele ser assim não é da droga, como eu achava... Enfim, por todos os lados a verdade vem me atingindo... Eu poderia me revoltar por ter gastado todo meu 13º na ibogaína e não deu nem 3 meses ele já recaiu. Mas não me arrependo. Só assim pude entender sem sombra de dúvidas que NÃO depende de mim. A ibogaína funcionou. Quem não funcionou foi ele. O corpo não pedia mais, ele não teve crise de abstinência. Talvez crise de identidade, crise de pirraça, crise de infantilidade, crise de não querer crescer, crise de auto engano... Mas de abstinência não. O corpo dele não pediu. A cabeça sim. A cabeça tava pedindo a um tempo já... Mas o auto engano dizia: que isso, imagina! Hoje eu entendo porque uma pessoa escolhe a droga mesmo sem o corpo pedir. Não é nada de outro mundo... Tá na cabeça... Se a cabeça não mudar nada adianta. E a cabeça só muda se a própria pessoa quiser. Ir na terapia ou grupo porque a mulher ou mãe obrigou também não adianta... A cabeça só muda se a pessoa largar o auto engano de lado...

Eu estou muito feliz com minhas descobertas, com minha paz, com meu aprendizado... Com a clareza. E pedindo sempre para o poder superior me dar forças para eu não voltar a me enganar mais, para eu conseguir desapegar... Porque pra mim já deu, já aprendi o que tinha que aprender com o homi, não tem porque insistir nesse relacionamento... Eu já vi que a escolha dele é outra... E chega de aprisionar alguém comigo por apego... Peço para que assim que ele estiver na minha frente minha convicção não vá por água abaixo, que sua manipulação não cole e que eu não tenha uma recaída de dependência emocional... Também peço por ele, peço que deus o proteja... Apesar de saber que deus não vai impedir que aconteça algo que ele mesmo está procurando... Quem procura acha, é a leia da causa e efeito... Mas tento vibrar amor para que um dia ele se encontre e pare de se enganar... Seja nessa vida ou depois...

Finalmente uma nova página começa na minha vida! Eu tenho fé que dessa vez vou conseguir.



27 comentários:

  1. Amore tamujunto, vc "descascou", descobriu o que tem de verdade por baixo de todas as desculpas. Sabe o que move realmente o ser humano, sem mágoas, sem revolta, sem mentira, sem cortinas....simplesmente a verdade nua e crua. Que não doa mais, mas que também não engane mais....

    Janete

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amém querida, tamojunto! A verdade é dura, mas também é libertadora... Que eu não me engane mais, chega de cegueira... e sofrimento

      Excluir
  2. Mas olha, não descarta, caso ele apareça e mostre vontade de tentar, fazer a segunda aplicação de ibogaina, mas dessa vez sem fazer manha né....a Kel fez a coisa certa, bota no onibus e despacha a entidade. E já avisa: faz tudo certinho, inclusive toma o chá que é importante...ou nem perde tempo de ir....mas se a vontade de tentar for grande tem chance de dar certo...deixa o desejo crescer....pra isso é bom sofrer um tanto antes, curtir as proprias escolhas.....sentir onde pode chegar....fica de boa.

    Bjusss,

    Janete

    ResponderExcluir
  3. Eu tô de boa, não tô esquentando com isso... Ontem a noite ele apareceu, mas só queria dinheiro. Disse que estava devendo, que estava contando com o pagamento mas ele não caiu, pois o chefe dele me ligou, eu contei pra ele o que aconteceu e pedi para não depositarem. Aí queria que eu emprestasse de qualquer jeito, aí como viu que de mim não ia sair nada, ligou pra mãe dele e falou que vai fazer a 2ª aplicação, pra ela emprestar... Ela emprestou 300 reais, ele saiu dizendo que ia pagar a dívida mas não voltou mais até agora... Era só manipulação... No caso dele, é diferente do homi da Kel, se mandar ele sozinho ele vai chegar lá, invés de ir pra clínica, vai procurar uma biqueira e não vai ter nem dinheiro pra voltar. Ele fez isso uma vez que a mãe dele mandou ele pra BH pra fazer um tratamento de saúde no Sara Kubitschek, ficou lá na cracolândia, gastou tudo e só deu sinal de vida quando o dinheiro acabou. mesmo assim, a mãe dele mandava dinheiro pra ele comprar a passagem, ele gastava com droga... Ele só veio embora porque uma tia dele que mora lá colocou uns policiais atrás dele e fizeram ele pegar o ônibus... Ele perder totalmente o controle... Mas eu também não vou com ele nem fudendo. Se a mãe dele quiser vai, se não... foda-se... Troquei a fechadura da porta,pois tenho medo dele vir quando eu não tiver em casa e roubar as coisas. Geralmente ele só noia as coisas dele, mas sei lá ne... Coloquei até um aviso na porta: troquei a fechadura, não force a chave antiga se não vai quebrar... lavei minhas mãos...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. mas não tem que pagar a 2ª aplicação, é garantia da clinica....nem pode dar dinheiro não, é colocar no onibus sem nada....e depois de tratado que vá pra casa da mãe, né...isso se um dia quiser fazer. A garantia é de um ano. Vc se puder muda até de endereço....

      Janete

      Excluir
  4. Não to falando de pagar a clínica... to falando do dinheiro da passagem de volta, pra um lanche, alguma coisa assim... Até sem dinheiro ele dá um jeito... celular, tênis, roupa... qualquer coisa vira droga. Pede dinheiro na rua... Pra arrumar dinheiro pra fumar aquele ali da um jeito. Ou ele liga p mãe, diz q ta devendo e ela manda p ele...

    ResponderExcluir
  5. Agora é com ele e com a mãe... Se ele quiser ir sozinho eu apoio, mas não boto fé, só isso. Se a mãe quiser ir por mim tudo bem. Mas se não for tbm ta certa, não é obrigada...

    ResponderExcluir
  6. Entendi, ele é um caso bem complicado né....e o melhor a fazer é deixar ele por conta própria mesmo, só chegou onde está por ter muleta esse tempo todo. Ele tem tanta certeza do apoio de vcs duas que se atira sem medo. Uma hora tem que quebrar a cara e lamber as feridas sozinho pra crescer...se é que isso possa acontecer.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente... A mãe piora tudo. não que eu também não tenha servido de muleta muitas vezes... Mas quando comecei a mudar, quando ele vê que comigo não vai rolar ele corre pra mãe... Ele até me dizia quando estava limpo, que comigo era um custo pra tirar 10, 20 reais de mim, que dá mãe dele era 1000 de uma vez, e era muito mais fácil... Pois é, fazer o que né... Eu também tenho minha dúvida se isso um dia vai acontecer... Eu só vejo ele se enganando, se enganando... Ele não quer tomar a 2ª dose Janete, ele disse que ia tomar mas só pra manipular e ela mandar dinheiro pra ele. Ele fala que não precisa ou que simplesmente não quer...

      Excluir
  7. Oi me ajudem. Não consigo dormir ultimamente pensando na questão sexual com meu adicto. sei que é muito íntimo mas preciso de orientação. Ultimamente não consigo me relacionar intimamente com meu marido adicto fico imaginando ele dias fora de casa cercado de drogas e mulheres (não adianta se iludir porque mulher fácil existe em qualquer lugar,quem dirá nesse meio) quando eu consigo me relacionar intimamente com ele eu me sinto tão arrasada, me sinto vazia, me sinto usada,me sinto humilhada. ..como tenho coragem de me relacionar com uma pessoa que não está nem aí para mim, me desrespeita passando dias nas ruas (já está há dois dias fora de casa) me humilha perante meus familiares e amigos (na maioria das vezes com atitudes e palavras). Fico me perguntando até onde vale a pena viver assim em nome desse suposto amor e será que isso realmente é amor? Posso amar alguém mais do que a mim mesmo? Nada disso faz sentido. ...preciso que ele vá embora!!! Preciso acabar com esse ciclo de autodestruição!!! Preciso recuperar minha vida!!! Preciso recuperar minha paz. obs ele ainda é um homem lindíssimo com seus lindos olhos verdes, qualquer mulher desejaria ele, mas eu não consigo....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carla...vc já procurou grupos de ajuda...amor exigente...naranon....psicólogos??... A primeira coisa que tem que fazer é não ficar se culpando...pare e busque ajuda em algum lugar..ai com calma vc consegue se libertar disso tudo..bjus

      Excluir
    2. A beleza fisica não tudo, aliás, é quase nada para nós mulheres... precisamos antes de tudo admirar o homem, o caráter, o interior...o amor, o amar, vem antes da atração sexual, o conquistar, e isso eles na ativa não são capazes. Seu corpo e sua mente reagem e com razão. Além do medo super justificável de doenças que possam trazer, né...isso já derruba o desejo em 100%...enfim,..haja amor pra sustentar um casamento nessas condições. Começa a cuidar do seu emocional e se amar, se valorizar, não tem porque voce continuar se forçando numa relação dessa forma.

      Excluir
    3. Me identifico com você Carla! Meu adicto também é muito bonito, chama atenção por onde passa... Mas meu desejo por ele está bem baixo, principalmente quando está na ativa, ou quando, mesmo limpo, não está em recuperação e aparenta sinais evidentes de recaída... Muitas vezes fiz sexo com ele sem vontade de fazê-lo, porque a relação tava tão ruim e se eu recusasse ia piorar ainda mais, ele ia dizer alguma besteira do tipo "você tá me traindo", ou ia falar "nossa relação já era"... Por que pra eles sexo é tudo... Muitas vezes também fiz sexo só para fazer as pazes... E como me sentia mal por isso... Mas só assim acabava com uma briga e com uma ameaça de abandono... Nos sentimos mal pois é humilhante se sujeitar a isso, é um tipo de submissão... Você está no caminho certo de querer que ele vá embora p vc viver sua vida, eu também estou desse jeito...

      Excluir
  8. Mulher espero que esteja tudo em paz...fique com Deus

    ResponderExcluir
  9. Ainda não procurei ajuda em um grupo, tenho vergonha de falar cara a cara com outras pessoas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então procure...mesmo que não diga nada...ouça...aos poucos você vai ver que as histórias são quase que idênticas...umas mais sofridas que outras....nega é uma das únicas formas de você conseguir se fortalecer...acredite...vá...bjus

      Excluir
    2. Eu sei que ir nos grupos pessoalmente é o ideal, mas se por algum motivo não puder ir (distância, horário incompatível, etc..) existem os grupos no face, zapzap, os blogs... Não é a mesma coisa mas já é alguma coisa. Para mim tem funcionado... O que tem funcionado pra mim também é buscar minha espiritualidade... Muitas verdades são jogadas na nossa cara quando paramos para ouvir o que a espiritualidade tem para nos dizer. E isso porque eu nunca fui religiosa...

      Excluir
  10. Carla... pare vc mesma e pense na sua vida... em vc mesma!
    Vc deve estar bem... e aprender a ser feliz sozinha! Estar fortalecida para que os problemas venham e vc possa ter forças de enfrentar e discernimento para saber oque é melhor.
    Primeiro vc... vc deve estar bem...
    Os grupos ajudam, desabafar ajuda... mas vc precisa de paz para pensar e serenar sua mente e seus sentimentos...
    Quanto a rua, mulheres traição... vc não está lá.. vc não sabe... meu marido se enfia num bar onde mulheres não vão... ou usa em casa, onde estou eu... então vc não sabe!
    Na hora em que estamos no desespero tudo que é ruim se aproxima e os pensamentos ruins e tristes e os maior terriveis vem...
    não dê espaço!
    Acalme seu coração e fique bem vc...
    Depois sim, veja seus sentimentos com relação ao seu marido e converse... abre seu coração
    e Juntos tentem um caminho novo!
    Fique bem... bjs
    TMJ

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sharon...seu marido usa em casa? Desculpa, sou completamente contra isso.....

      Janete

      Excluir
    2. Não... não permito, mas muitas vezes usou e eu inocente não sabia.. achava que estava só bebendo uma cerveja...
      Ihhh querida... até eu conhecer de verdade e saber quando usou ou não... foram uns 2 anos...
      Hoje quando há recaída ele tem 2 pontos os quais eu já sei onde são...
      Não quero que use nem em casa nem fora.. mas quando recai eu sei onde está...

      Excluir
    3. Mas em casa não deixo.
      Minha casa não é bar nem zona!

      Excluir
    4. Um dos motivos de tantas brigas e agressões foi por isso... não posso nem ver... me sobe o sangue eu já queria matar!
      Ainda bem que Deus é pai e me ajudou e ajudou ele... porque eu me vi muitas vezes esgoelando meu marido! Graças a Deus nada de pior aconteceu...

      Excluir
  11. Obrigada meninas é muito bom ter com quem desabafar. Vocês estão certas preciso procurar ajuda. Preciso serenar para resolver a minha vida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muitas vezes encontrar o equilíbrio e a serenidade com eles do lado é muito difícil! Eu estou sentindo isso... Ele está na ativa, quando está sumido eu me ponho de pé, me reconstruo, quando ele aparece eu tremo na base... Talvez só o afastamento seja a solução, pelo menos pra mim tenho visto isso...

      Excluir
  12. Ufa, que alivio....voce está certa em não permitir...nosso lar é sagrado, e usar drogas em casa é uma coisa que não tem como engolir. Além do que seria estar sendo conivente com o que não podemos nunca aceitar: com o suicidio deles.....

    ResponderExcluir
  13. É verdade Janete.
    Vivi bastante tempo com os olhos vendados por não conhecer...
    Um tempo ainda por pensar, se usa em casa, pelo menos está em casa não rua em bares, suscetível a brigas, crimes... etc
    Até eu aprender sobre DQ, adicção, facilitação... obsessão...
    há bastante tempo eu tie uma conversa e disse, que nosso lar é sagrado! Que nosso lar não era boca, deveria haver respeito e que não me fazia bem ver isso e que as brigas se davam por isso.
    E foi na época em que começamos os tratamentos, internações... então as coisas tomaram suas formas devidas...
    estão em processo de mudanças mas tenho fé que vai ser para o melhor

    ResponderExcluir