segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Brasileiro executado na Indonésia e irmão do brasileiro que morreu no México

Não queria perder meu tempo falando sobre isso, mas depois que assisti as reportagens no Fantástico ontem, tive que desabafar...

Primeiramente não sou a favor da pena de morte, não estou comemorando a morte de ninguém. Só acho o seguinte: fez, tem que pagar. Cada país tem suas leis, e ele não escolheu cometer seu crime lá? Então, tem que pagar com as leis de lá. 

A família sofre? É claro que sofre. E eu tenho pena da família. Mas tenho pena também de tantas famílias que perderam seus filhos (as), pais, mães, maridos, esposas para as garras das drogas. Drogas que chegam nas mãos de nossos entes queridos tão facilmente devido aos traficantes, que estão em cada esquina. E se a situação está como está em grande parte é devido a impunidade. Vender droga no Brasil é uma das coisas que mais dá dinheiro, não dá trabalho e "não dá nada"... No máximo cadeia, isso quando é pego... 

Não estou dizendo que deveria ter pena de morte no Brasil, nem tampouco que o usuário é um coitadinho e o traficante o único vilão. Não existem mocinhos nem vilões. Existe livre arbítrio, a pessoa entra nessa porque quer, traficante não obriga ninguém a comprar, quem compra estimula o tráfico e etc. Mas o traficante é um criminoso, ganha dinheiro as custas do sofrimento de muita gente e tem que pagar sim. De algum jeito.

O que eu acho o fim da picada é traficante morrer e virar mártir, herói, só porque morreu! Já estavam até fazendo documentário achando que ele ia se safar. Ou seja, se ele voltasse pro Brasil ia ser considerado herói, ia chegar com mais moral ainda...

Outra coisa que me talhou o sangue foi a frase: "Ele não tirou a vida de ninguém". Não, imagina... Tão honesto, tadinho... Aff! Precisa comentar que o traficante tem as mãos sujas de sangue, e que o traficante playboy tem a mesma culpa que o do morro? Acho que não precisa...

Na boa, por que? Por que a mídia quer passar a imagem de bonzinho para esses criminosos? Por que a família tem influência? Pra não perder o costume de desinformar a sociedade? Por que é uma grande zé ruela? Não sei. Só sei que é uma bosta.

E a entrevista do irmão do tal do Dealberto que ficou doidão e morreu no México, o que foi aquilo gente?  Dois playboyzinhos brasileiros acostumados a encher a cara e se drogar vão pro México (encher a cara e se drogar), aí esquecem que estão no México, as drogas provavelmente são mais puras e consequentemente bem mais potentes, fazem merda, um morre, o outro fica cagando de medo de ser responsabilizado pela morte do irmão foge, fica 2 dias sumido, e agora quer que cole essa versão esfarrapada de que são dois rapazes de família, que "nunca foram dessas pessoas de estarem envolvidas com drogas", tomaram uns poucos comprimidos de ecstasy, entraram numa paranóia louca, um pulou da janela e o outro ficou 2 dias (!) sob efeito da droga em paranóia total. Aham, tá... Até meu d.q. na ativa inventava histórias mais convincentes que isso!

O negócio agora é jogar a culpa na russa que tava usando com eles, nas baladas de lá que rola droga a vontade... Como se no Brasil fosse diferente! Ah, e claro, dar uma de doido, de paranóico pra se safar...

Fantástico: Você acredita que sofreu algum tipo de perseguição?
Fernando: Não, de forma alguma. De forma alguma. A queda do meu irmão, com certeza, foi acidental, com certeza, acidental. Consumi alguma coisa que eu acreditava que seria o ecstasy. Em toda a minha vida, eu posso contar nos dedos quantas vezes eu usei este tipo de coisa.
Fantástico: Quantas vezes?
Fernando: Eu acredito que cinco, seis, no máximo. Nunca fui uma pessoa de estar envolvida com drogas. Eu senti medo, eu senti pavor, eu senti que tudo que eu fazia as pessoas estavam me olhando, as pessoas estavam tentando me ferir de alguma coisa.

Ai meu saco gente! É muita hipocrisia e desinformação... Eu dei foi risada quando vi isso. Um diz que é esquizofrênico, outro tem paranoia de 2 dias devido a ecstasy... tsc tsc tsc... Esse é o Brasil, país do jeitinho...

8 comentários:

  1. O traficante não é santo e nem adicto inocente e o povo brasileiro...ha o povo...bom não questionam...julgam pelo seu próprio interesse...são incapazes de se colocar no lugar do outro...o amor ao próximo não ultrapassa os muros de sua própria casa...froids

    ResponderExcluir
  2. Affff....
    Estou com náuseas sobre a forma que estão tratando a história desse traficante-herói-pobrecoitado-injustiçado...
    Exatamente isso que eu expressei no face ontem.

    Só lembram dos Direitos Humanos quando acontece algo com algum criminoso.
    A mídia não mostra nunca todas as vertentes, porque muitas delas não dão Ibope!

    ResponderExcluir
  3. Falou tudo Kel...
    Quando vi a reportagem do irmão que falei pro meu marido... a quantidade não foi essa e tbm não foi ecstasy, foi algo mais forte!
    Ta na cara! Com certeza usaram mais drogas junto...
    Ai entram em paranóia e se matam e viram os coitadinhos! Menos bem menos!
    Para uma coisa serviu, alerta contra as drogas sintetizadas e a mais que isso se nao morre pelas mãos de traficanes, morrem pelas proprias mãos nas paranóias....
    Muita mentira junto!
    E o outro morto... menos um traficante pra aliciar, vender e matar!

    ResponderExcluir
  4. Me deu nos nervos quando ele falou que não é desse tipo de pessoa que é envolvida com droga. Conta outra! Era melhor nem ter dado entrevista do que fazer esse teatrinho mal feito! O foda é que muita gente caia nessa lorota ainda!
    Tudo pra sair como coitadinho... O cara é tão covarde que deve ter visto o irmão se matando e fugiu ainda! E não foi só na hora do desespero, ficou 2 dias escondido! Que droga que dura 2 dias? Provavelmente nenhuma, o que provavelmente aconteceu é que ele recuperou a consciência, viu a merda que estava feita e ficou com medo de ser julgado como responsável pela morte do irmão.
    Playboyzinho covarde, babaca...

    ResponderExcluir
  5. Tenham a paciencia de ler, vale a pena, e conheçam Marco Archer, de verdade http://www.diariodocentrodomundo.com.br/o-perfil-de-marco-archer-por-um-jornalista-que-conversou-com-ele-4-dias-na-prisao/

    Janete

    ResponderExcluir
  6. muito bom mesmo...mais ainda assim não concordo com extremos e matar alguém pra mim é fora de cogitação...

    ResponderExcluir
  7. Sei lá... pra mim antes a "mãe dele chorar que a minha"
    Quantas mães e esposas foram polpadas...
    Quem decide a vida é Deus, sim... mas nesses caso revejo meus conceitos.
    Outro caso que anda sendo veiculado é um traficando espancando a esposa com um pedaço de madeira/ uma ripa.
    Foi preso é pouco! Deveria ele ser espancado a pauladas em praça pública!
    #revoltada kkkk

    ResponderExcluir