quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Quando a vida...

De repente a vida nos coloca em lado oposto de onde estávamos...e passamos anos tentando nos reencontrar.

Quem já viveu uma grande virada em sua vida, sabe do que estou falando, quando nossa vida segue em uma linha reta e de repente algo acontece ou te leva lá em cima ou lá em baixo...ou no mesmo nível mais em um sentido totalmente oposto.

A vida te muda de lugar, sem esperar você mudar junto pra que você possa compreender onde está e como deve agir.

Temos o hábito de achar soluções pra vidas alheias, eu tenho...rs..é um hábito que da trabalho de mudar...rs..sempre sabemos como agir quando não estamos envolvidos emocionalmente em tal situação, só fala a razão e por mais que nos coloquemos no lugar daquela pessoa nunca saberemos ao certo o que ela sente ou como ela se sente.

Digo as pessoas as quais a vida não pregou essas peças e não dá essas grandes viradas, para terem cuidado ao julgar as que vivem uma mudança brusca em suas vidas (julgar é diferente de opiniar julgar é afirmar algo sobre alguém, opinar é dizer o que aquela situação lhe parece).

Lhes digo não é fácil...e acredito que não seja fácil nem descer e nem subir...

Descer pode tirar as forças de alguém e subir pode iludir a pessoa a tal ponto que ela se transforma completamente.

Temos muitos exemplos na sociedade, de pessoas que perdem tudo, seja fama, dinheiro, liberdade, saúde e acabam se afundando em depressão, comentendo suicídios e de pessoas que sobem rápido demais e se perdem de si mesmas entrando em uma realidade completamente ilusória e quando se dão conta estão adoecidas e também muitas resolvem partir desse mundo.

Respeitar, amar ao próximo e tentar ao máximo modificar o que realmente podemos antes que a vida nos pregue peças...rs..te garanto deve ser bem mais fácil aprender no amor do que na dor

Fiquem com Deus

4 comentários:

  1. Ai, ai, ai menina... Vou te dar uma bronca, não vou passar a mão na sua cabeça não...
    Eu não sei quem vc é, como é a sua vida, como vc realmente se sente por dentro, sei apenas o pouco que vc expõe aqui no blog. Te acompanho faz tempo, já convivi com um DQ e passei por tudo isso aí. E mesmo isso não fazendo mais parte da minha vida, continuo lendo todos os blogs sobre codependencia. E sabe porque? Pra todos os dias me fortalecer e ter certeza que a melhor coisa que eu fiz na minha vida foi ter me afastado do meu ex. Entenda: isso foi o melhor pra mim. Talvez eu continue lendo sobre o assunto porque eu não esteja totalmente curada ainda, mas vcs me ajudam demais.
    A bronquinha que eu vou te dar é a seguinte: alguém entrou no seu blog, fez uma crítica e está nítido que isso te afetou demais e continua te afetando. Vc tá ofendidinha né? Ai, ai, ai... Por que vc faz isso com vc? Por que vc tá dando tanto poder para os outros? Porra, vc estuda tanto... espiritualidade, psicologia, religiões. Absorve o que for construtivo pra vc, o que não for joga fora. A Flor fez um comentário no post “Resposta” e parece que dali vc não absorveu nada, vc só deu importância pra crítica negativa.
    Vc mesma se diz uma pessoa estourada, grossa, sarcástica, arrogante. Até que ponto isso é negativo? Se é a sua essÊncia, não lute tanto contra isso, a menos que isso te incomode, se incomoda só os outros: FODA-SE. Vc não quer ser a fadinha, a boazinha, o modelinho pra agradar os outros né? Esse mundo é uma selva e a boazinha só se fode. Porque é o que vc tá deixando transparecer. Não fique se justificando, dando explicações pros outros. O blog é seu, vc escreve o que quiser, mas infelizmente as pessoas estão aí pra julgar mesmo, pra dar pitaco. E não interessa se a pessoa já passou pelo mesmo que vc ou não, elas sempre vão dar pitaco. O blog serve pra vc desabafar, pra ajudar pessoas que passam pelo mesmo problema que vc. Acho bacana essa troca de experiências que vcs criaram, vcs se apoiam, fazem amizade, desabafam, é pra ser bom e não pra te tirar do eixo. Vc tá deixando o comentário de alguém que vc não sabe nem de onde veio tirar a sua paz.
    A pessoa quis te chamar de burra e limitada e vc acreditou. Aí sim vc está sendo burra. Vc não é a sabedoria em pessoa, pra dar aula de religião e espiritualidade pra ninguém. Mas, vc está buscando, estudando, aprendendo, é isso que importa. Eu no auge do meu desespero, procurei fazer o mesmo. Também estudei várias religiões, frequentei várias, fiquei tentando entender o sentido da vida, o porque das coisas. Mas, pra mim apesar do aprendizado, não me preencheu. Eu só comecei a me sentir em paz mesmo, quando eu deixei de lado essas ideias de carma, de lei do retorno, de bíblia, de ser boazinha pra não ir pro inferno. Eu entendi que eu sou a minha missão nessa vida, que Deus não ajuda, que sou eu que tenho que fazer por mim mesma, que eu crio as minhas próprias energias boas ou ruins, que eu preciso melhorar muito, mas não posso ir contra a minha essência, que o certo nem sempre é certo e o errado nem sempre é errado. Que mandar os outros tomarem no cú, às vezes é bom, que se vingar, às vezes, faz bem. Isso não quer dizer que eu vou sair por aí prejudicando ou maltratando ninguém. Eu tenho que agradar primeiro a mim, ser aceita primeiro por mim mesma, me amar em primeiro lugar, aí tudo flui mais fácil.
    Continue buscando, estudando, se espiritualizando, isso é bom. Mas, não fique só nisso, senão vc vai pirar. Religião pode nos fazer emburrecer também. Seja fútil às vezes, só um pouquinho... rsrsrs faz bem! Vc disse que durante o trabalho vc ouve palestras no youtube e tal, tire um dia da semana e assista outras coisas tipo porta dos fundos, esquadrão da moda, maquiagens da Andreza Goulart, da Lu Ferraes. Isso faz um bem danado pra alma, isso também é terapia... rsrsrs. Bom essa é a minha opinião. Fique na paz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada...kkkk..sim estou em busca de mim mesmo...e ainda tenho conflitos...mais estou buscando...bjus

      Excluir
    2. Vou te mandar um email q hora dessas, gostaria de compartilhar e trocar algumas coisas com vc. Tudo bem? Bjs

      Excluir
    3. Pode mandar sim, sem problemas...bjus

      Excluir