segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Agir sem agir


Como é fascinante estudar a espiritualidade como um todo, sem preconceitos, somente com o coração aberto ao amor do pai, ao conhecimento, ao crescimento, acredito que quase ninguém aqui do Brasil um país predominantemente Cristão, já ouviu falar do "Taosimo" quem quiser dar uma pesquisada, deixo como referência o site:Taoismo

Um dos principios do Taoismo é o Wu wei que significa agir sem agir, na linguagem cristã, podemos substituir por fazer até aonde nossos braços alcançam e onde não alcançar deixar nas mãos de Deus.

É uma grande lição tentar aplicar esses ensinamentos em nossas vidas, e nos libertar dos sofrimentos, agir sem agir significa não quere mudar o curso do rio, apenas deixar que ele siga e nos utilizarmos de maneira inteligente da força da correnteza para conquistar nosso crescimento.

De maneira prática como tenho aplicado isso em minha vida?

Existem situações as quais eu não posso mudar, mudar até poderia, mas exigiria de mim um esforço enorme, um gasto de energia tremendo, pra mudar o curso do rio o qual não seria correto eu modificar.

Sim seria mais fácil, se meu marido o qual eu não moro mais junto entrasse em recuperação, ou sumisse, mas ele não faz nem uma coisa e nem outra, sim eu poderia mante-lo afastado com uma ordem judicial, mas visto que a nossa convivência é boa, visto que ele e os filhos se entendem, será que valeria eu desperdiçar grande tempo, energia e dinheiro em conseguir isso?

Olhando bem pra minha vida como ela se encontra, aos olhos de outras pessoas, talvez a solução fosse arrumar um companheiro que pudesse fazer o papel de homem da familia, ser exemplo pros meus filhos e um companheiro me auxiliando no dia a dia, sim talvez fosse, mas essa ainda não é a minha realidade, meus filhos tem um pai presente, eu tenho um marido ausente, mas hoje eu tenho a necessidade de ter alguém, eu sinto falta disso? Não, daqui alguns anos, pode ser que sim, mas hoje sinceramente não me faz falta alguma.
E percebo que quando o rio se mostra perigoso, eu perco a concentração e novamente estou eu a tentar mudar sua direção, então ai vivencio o sofrimento, pois não aceito seu curso, tento mudar, gasto energia com o que eu não deveria gastar, em momentos de perigo, devo na verdade colocar em prática a concentração, a observação, para agir de forma inteligente "agir sem agir", aproveitar a correnteza e usar essa força para alcançar o meu objetivo e não nadar contra, ir a favor.

Me entendem?
É algo fácil e simples, porém requer muita disciplina, concentração, observação e humildade pra conseguir ouvir a voz do pai falar aos nossos corações

Em paz e sem medo a realidade não nos prega peças, ficamos atentos e conseguimos usar a força contrária ao nosso favor, eu estou usando, aprendendo de verdade sem auto-engano a usar essa força chamada AMOR.

Fiquem com Deus

Namastê


4 comentários:

  1. A relação entre pai e filho é diferente da relação entre homem e mulher. Vc pode não estar mais envolvida com ele e ele continuar sendo um pai presente pros seus filhos, até porque isso é um direito e obrigação dele.

    Vc reconhece no texto que tem um marido ausente e não tem a necessidade de ter alguém, então porque manter esse relacionamento?

    ResponderExcluir
  2. Marido no sentido tradicional da palavra é mesmo...nem em sonho que da pra viver junto debaixo do mesmo teto sem ele estar em recuperação....realmente fico bem sozinha....não tenho necessidade de ter alguém do lado....mais sim as vezes fico confusa...nos damos bem como amigos...pai e mãe....e qd ele está realmente bem...feliz...então ai nos aproximamos mais ainda....ele me faz muito feliz....mas qd ele esta se arrastando...é automatico eu me afasto..sei lá se é trauma....já que fez essa observação....qual seria sua opinião a respeito? Acredito q talvez eu acredite na possibilidade de sermos felizes qd a droga sai do caminho...pq na vdd ela sempre esteve no meio da gente..e as vezes a unica vontade que eu tenho é de desistir...sei lá...diga o q acha é sempre bom ouvir a opinião de quem ta de fora...

    ResponderExcluir
  3. Pra mim estar no relacionamento é estar com alguém, independentemente de morar junto ou separado.

    A impressão que eu tenho quando leio os seus posts é que, apesar de não morarem juntos, vc nunca se afastou dele como diz. Me parece que mesmo não vendo ou falando com ele ele ocupa grande parte dos seus pensamentos e vc não consegue se desvincular, tanto que ele e a dependência química são os assuntos do blog.


    Já faz quantos anos que vc vive assim, esperando ele se recuperar e enquanto isso vivendo de migalhas? Relacionamento é troca, mas pelo visto vc mal pode contar com ele.

    Eu sei que é fácil pra quem está de fora falar, mas acho sinceramente que se vc não ligasse de ficar sozinha já teria terminado definitivamente há muito tempo. Porque é muita coisa para se aguentar e o que um dq mais dá é motivo legítimo para o afastamento.

    Também sei que é duro ouvir isso, mas a chance de recuperação é pequena e casamentos acabam por inúmeras razões. E acho que a possibilidade de alguém que vive um relacionamento assim se separar e não se arrepender é muitíssimo maior do que o contrário.

    ResponderExcluir
  4. Anonimo, as coisas estão mudando e novos tratamentos estão surgindo então antes de dar por encerrada a luta ainda tem mais lenha pra queimar. Não digo que a Kel deva alimentar ilusões quanto ao casamento ou relacionamento, mas quanto à recuperação dele, sim. E depois, com calma analisar a situação, o que ficou da relação, da pessoa, o que vale à pena, contabilizar as perdas, os danos e os lucros. Mas a verdade é apesar do que se pensa e do que se diz, tem o que se fazer ainda sim.

    Janete

    ResponderExcluir