quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Foi feio

É o homi pisou no tomate, escorregou e fico lá estatelado no chão, não foi trabalhar ontem, não foi ao médico, a ressaca tava brava.

Não sei como está hoje, ontem liguei falei com ele, dei uns conselhos (até demais) afinal ele não pediu, mas minha boca grande quis ajudar...rs..hoje resolvi ficar na minha, já ofereci ajuda (no sentido de orientar, conversar) a mão está estendida ele pega nela se quiser e quando quiser.

Enquanto isso minha vida segue, dessa vez sem raiva, sem tristeza, sem expectativas e sem culpas por ter prometido coisas as quais eu não ia cumprir, estou em paz, serena e tranquila, orando por ele.

Se ele quiser e quando ele quiser ele me procura.

Acho que consegui colocar em prática o tal desligamento com amor

Desligamento Emocional

Esta é umas das Ferramentas mais importantes e mais difíceis de entendermos e aplicarmos na nossa Recuperação.
Nos ¨Desligarmos Emocionalmente¨ do nosso Adicto é nos permitir despir de todos os nossos preconceitos, pré-conceitos que fomos anexando ao nosso modo de pensar e viver e que foram se enraizando dentro de nós.
Desligarmos é nos permitir ter limites, é permitir termos liberdade, termos direito, sermos felizes, pois, agora temos opções, temos escolhas e não mais obrigações somente.
É compreendermos, é termos compaixão, é sabermos que a nossa felicidade agora não depende de terceiros, do bem-estar do Adicto, do bem-estar do patrão, do vizinho. Esta felicidade agora esta sobre nosso Controle, em nossas mãos.
Quando ¨Desligo-me Emocionalmente¨ do meu Adicto coloco seu problema como sendo seu, somente seu e permito analisar as minhas atitudes de forma mais clara, racional, pura. Desligando-me do meu emocional passo a colocar na minha vida um novo lema, ¨Pensar¨.
Foco meu Adicto agora com um olhar que me permite ver tudo que esta a minha volta, com uma nova concepção, um novo horizonte. Vendo-o agora como portador de uma doença e não mais como um pobre coitado ou um ser cheio de falhas de caráter, desonesto, imoral, amoral.
Com o Desligamento Emocional sentimentos negativos como Raiva, Frustrações, Auto-piedade, Controle desaparecem e fica em mim a certeza de que não sou mais responsável pelo adicto, que não tenho culpa por sua doença e não tenho o poder de curar sua insanidade e que preciso apenas agora procurar a minha ¨Sanidade¨ e a ¨Recuperação¨ da minha doença. Para que quando meu Adicto solicite a minha ajuda, eu possa saber julgar se minhas atitudes não são facilitadoras ou uma forma de manipulação minha ou dele.
Começo a dar a mim oportunidades para minha recuperação e a permitir que o outro tenha chance para sua recuperação, pois, agora eu deixo que o outro dirija a sua própria vida, que seja responsável por ela e que saiba que arcará com as conseqüências das suas atitudes.
Ao me ¨Desligar Emocionalmente¨ passo a ter ¨Serenidade, Coragem e Sabedoria¨.
Desligar-me é conseguir o verdadeiro Amor por si e pelo ou outro.
Desligar-me é encontrar a liberdade.
Desligar-me é exercer o Amor verdadeiro, o ¨Amor incondicional¨.
Amar é não impor condições para este Amor. Amar é opção, é escolha sem me preocupar se é preto ou branco, se é feio ou bonito, se gostam ou não gostam, se cheira ou se fuma.
Desligar-me é dar aos outros a liberdade de se responsabilizarem por si.
O familiar do ¨Adicto¨ tem uma grande dificuldade em compreender este conceito, pois, ainda tem o conceito de que tem o ¨Poder¨ pelo outro.
¨Desligar-me Emocionalmente¨ do Adicto não é deixar de se importar com ele, não é deixá-lo de amá-lo, nem é ser cruel, mas sim, exercer o verdadeiro Amor.
É verdadeiramente ¨Ajudar¨, pois agora, exercito o ¨Viva e Deixe Viver¨, tendo o outro a ¨Liberdade¨ de escolha e de assumir seu lugar neste mundo, aprendendo com os erros e fortalecendo-se com os acertos.
Desligar-me do Adicto é vê-lo não como ¨Príncipe¨ e nem como um ¨Sapo¨ de um conto de fadas, mas sim, ver o outro como um ser humano cheio de qualidades e contradições assim como eu também sou.
É vermos nele, no outro o nosso próprio reflexo de simples seres humanos que somos.
É retirar o foco do Adicto e colocarmos em nós, é ver as nossas ¨drogadições¨, nossas deficiências, nossos complexos, erros e compreender que acima de tudo temos o direito e a escolha de sermos feliz.
É ver o meu ¨EU¨ para que eu não julgue mais o ¨EU¨ do outro.

Desligar-me é me desprender, é desatar nós, é soltar minhas asas para que junto com outro; se ele assim o quiser; aprendamos a voar; juntos ou não; mas aprendamos.

Fonte: http://www.gruponaranonalegria.org/desligamento.htm

Fiquem com Deus

Nenhum comentário:

Postar um comentário