sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Isso faz muito sentido pra mim!!!

Querida Família, e os chamamos assim porque ao se encaminharem para sua ascensão estão cada vez mais próximos de nós. Apenas uma vez estivemos assim tão próximos de vocês, e foi quando trabalhamos juntos no Egito. Nessa altura, como agora, os nosso ensinamentos eram sobre beleza, amor e poder. Nós somos os cantores e dançarinos do Cosmos, e viemos para ensinar a vocês os métodos de abrir e usar as suas energias sexuais que são bonitas e criativas e mais próprias para vocês nesta altura da sua evolução.
Queremos que cheguem à conclusão que são seres poderosos e criativos, e que sua energia sexual é uma parte fundamental da sua energia criativa. O recente trânsito de Vênus trouxe á baila questões sobre a sexualidade em suas vidas. É tempo de se libertar velhos padrões que estão contidos no Consciente Coletivo e substituí-los com novos padrões que estão mais de acordo com o que são agora. E é disto que precisamos falar hoje.

Os Desequilíbrios na História

Por muitos milhares de anos, a sua energia sexual, como cultura, tem estado em desequilíbrio. Ao princípio, viveram numa sociedade dominada pelas mulheres, denominada Sociedade Matriarcal. Depois, mais recentemente, mudaram para uma sociedade dominada pelo homem, chamada Sociedade Patriarcal. Ambos os modelos de comportamento cultural são baseados no poder – o poder de um grupo sobre o outro, definidos pelo gênero. E então, em sua memória genética e nos registros Akáshicos, existem muitas histórias de domínio e controle, e padrões doentios e desequilibrados de abuso e opressão.
Na sua fase mais recente, a Patriarcal, o poder foi dado aos homens, para dominar sobre mulheres e crianças. Atualmente, isto originou culturas onde o homem tem o controle absoluto sobre mulheres e crianças, como no Médio Oriente; culturas no mundo desenvolvido (Primeiro Mundo) onde o controle é mais sutil e menos evidente. Mas mesmo nestas sociedades existem problemas como a pornografia e abuso de mulheres e crianças. Em alguns casos, bebés são violados e crianças torturadas num jogo distorcido de sexo e poder.
No mundo Ocidental, este padrão de dominação e os arquétipos de ofensor/vítima permanecem profundamente na Mente Coletiva, e estão, infelizmente, ligados ao amor e espiritualidade. Mas como pode ser isto? Pode você perguntar – o que tem o abuso sexual a ver com espiritualidade, ou mesmo com o amor?
Bem, se forem várias centenas de anos atrás no tempo, chegarão a uma altura, no mundo Cristão, quando os sacerdotes masculinos e clérigos perseguiram e torturaram “bruxas” que eram frequentemente curandeiras e mestras das então chamadas religiões Pagãs ou Wiccas. Estas perseguições aconteciam em nome do Cristianismo, e recebiam validez espiritual. A tortura e o assassinato eram tidos por “salvarem e purificarem” as almas daquelas supostas bruxas, ao serem purificadas pelo fogo.
Mas, sustentando isto havia níveis de sadismo sexual, pois os padres celibatários atuavam com os seus impulsos sexuais reprimidos e distorcidos nas mulheres que eram as suas ”vítimas”. Muitos anos mais tarde, temas tais como pornografia e abuso sexual, tão abundante em nossa sociedade, encontraram raízes na nossa era. Muitos de vocês tem memórias de Vidas Passadas das intensas sensações de dor sexual e de prazer distorcido que acompanhou estas experiências e ainda existem, de forma ativa, nos Bancos Coletivos da Memória. Então, no presente, vocês como cultura, continuam representando estes dramas de forma a resolver os seus vícios de alma a estes níveis intensos de cargas de energia sexual distorcidas.
Na África, Arábia e muitas culturas orientais, frequentemente nas áreas dominadas pelo Islamismo, este sadismo e abuso sexual também estão presentes na prática cruel de mutilação genital feminina, também conhecida como “circuncisão feminina”. Neste costume, a habilidade de desfrutar do prazer sexual físico normal é tirado à mulher, normalmente muito jovens, com cerca de 12 anos. Esta forma de dominação e abuso é também praticada em nome da virtude e da espiritualidade. Que lugar triste se tornou o seu planeta e tão pronto para mudanças! Tão pronto para começar o processo de remodelar a sua sexualidade para formas mais saudáveis e amorosas!
Por favor, entendam que não procuramos aqui julgar ou criticar ninguém. Pois, como sabem, não existem “vítimas” nestes dramas auto-criados, e TODOS envolvidos devem ser responsabilizados pelas energias e por trazê-las de volta ao equilíbrio. E isto quer dizer TODOS VOCÊS.
Não é apenas a sexualidade que foi afetada, mas também o amor. É tão difícil para muitos casais expressarem seu amor através da sexualidade de forma equilibrada. Há tantas imagens e histórias na sua cultura que insistem que um deve dominar o outro, e que o sexo é um “direito” que um pode exigir do outro em um relacionamento. Mesmo com amor, é frequentemente difícil para vocês lidarem com estes assuntos nas suas relações e serem amorosos e equilibrados. Vemos tantos de vocês lutando com estes assuntos e com os resíduos de seus condicionamentos de Vidas Passadas.

O primeiro passo para a Cura e Remodelação: Equilibrando as Energias Masculinas e Femininas Interiores

Numa cultura Patriarcal, não são apenas os homens que se desequilibram. Todos se desequilibram. Atualmente, muitas mulheres possuem energia dominante masculina e precisam de se reconectar com a energia Feminina interior. Isto é o resultado do Feminismo na sua cultura que “liberou” a mulher permitindo a elas desenvolver seus potenciais nunca antes experimentados. Mas também levou algumas delas a se tornarem muito masculinas. E também, como resultado do “Feminismo”, alguns homens na cultura Ocidental tentaram se reconectar com as energias Interiores Femininas tornando-se, ironicamente, muito femininos e passivos. Então temos uma nova situação “fora de equilíbrio”, onde as mulheres são, com freqüência, muito masculinas e os homens muito femininos.
Portanto – a chave para encontrar o equilíbrio para cada indivíduo é equilibrar as energias Masculinas e Femininas Interiores, de forma a criar um novo modelo para o Consciente Coletivo, um que irá substituir o velho.
Cada um de vocês necessita estar conectado com a energia Masculina interior. É a energia do Guerreiro Espiritual e do Líder dentro de vocês. Esta é a energia Solar. É radiante, forte, confiante, calorosa e assertiva. É a energia do “fazer”. Ela lhe diz quando precisa de ser firme, lhe dá confiança e ajuda a realizar coisas no mundo material. Flui para fora e é ativa.
A energia Feminina é a energia Lunar. É suave, receptiva, gentil, amorosa e incondicional, mas também muito poderosa. É a energia do SER. Flui para dentro e é passiva (pacífica). Permite que estejam com si mesmos e com os outros sem se julgarem uns aos outros. É o lugar onde as idéias criativas são concebidas e trazidas a luz e então passadas ao masculino para que possam tornar-se reais no mundo.
Num indivíduo equilibrado, há um fluxo equilibrado entre o ser e o fazer, ativo e passivo, masculino e feminino. E este equilíbrio interno é refletido no mundo exterior na criação de relações entre seres que são igualmente equilibrados e podem então criar e manter relacionamentos que serão equilibrados e amorosos.
Uma relação equilibrada será aquela aonde nenhum dos parceiros domina o outro espiritualmente, mentalmente, emocionalmente e sexualmente.

Relações na Nova Terra

As relações na Nova Terra serão muito diferentes das relações que possuem agora. Serão mais gentis e mais divertidas e ao mesmo tempo sérias. Haverá menos intensidade e drama, e mais carinho, atenção e companheirismo. Chegarão à conclusão que o propósito das relações, todas as relações, é para “se relacionar” – compartilhar, apoiar e nutrir com o seu próprio sentido de abundância e plenitude.
Vão procurar por relações que sejam espirituais e baseadas no coração, em vez de serem baseadas no físico e emocional. No paradigma de relações da Velha Terra, as relações eram baseadas na atração física e elos emocionais. Na Nova Terra as relações serão baseados no coração, nos sentimentos, compaixão, conexão, respeito e suporte mútuo. Nós antevemos muitas relações crescendo entre pessoas de diferentes grupos etários e de diferentes culturas, relacionamentos que serão profundos e significativos, e no entanto não teriam sido considerados possíveis antes por causa das limitações “curtas de vista” do que consideravam ser uma relação no sistema energético da Velha Terra.
Estas relações serão leves e alegres e, portanto capazes de verdadeira profundidade e intimidade porque as pessoas envolvidas estarão mais interessadas nas conexões da alma do que nas conexões dos reinos externos e físicos.
Haverá partilha e dedicação, e mesmo assim ambos os parceiros serão independentes e autoconfiantes. Não poderá haver co-dependência na Nova Terra. O equilíbrio é tão importante. Estes relacionamentos serão equilibrados e amorosos, entre duas pessoas igualmente fortes e dedicadas. Não haverá domínio, nem vítimas, nem dramas e abusos.

Haverá compromisso – compromisso com a relação e com o crescimento mútuo de cada um dos parceiros dentro da relação. E isto será verdadeiro para todas as relações, não apenas as amorosas e românticas. Amizades se tornarão experiências mais profundas e significativas, ao compreenderem que possuem famílias de alma, e que os seus amigos frequentemente são relações da alma intímas que aqui estão para amá-lo(a) e apoiá-lo(a) no seu trabalho no planeta. E quando as suas relações existirem neste novo estado de amor e equilíbrio, então sua sexualidade também será amorosa e equilibrada. E, mais uma vez os humanos aprenderão a celebrar e usufruir de suas energias sexuais e criativas de maneira vivificante e empolgante. E nós estamos aqui para trabalhar com vocês, amá-los e apoiá-los à medida que se mudam para este espaço afetuoso e cheio de amor.

Fonte: http://www.starchildglobal.com/portuguesa/articles/sexuality-pt.html

Vaidade

Significado de Vaidade

s.f. Característica daquilo que é vão; que não possui conteúdo e se baseia numa aparência falsa, mentirosa.
Excesso de valor dado à própria aparência, aos atributos físicos ou intelectuais, caracterizado pela esperança de reconhecimento e/ou admiração de outras pessoas: demonstra excesso de vaidade ao falar; decidiu fazer caridade por vaidade pura. 
Auto-crítica ou opinião envaidecida que alguém possui sobre si mesmo: sua vaidade sempre está acima de tudo!
Ideia exageradamente positiva que alguém faz de si próprio; presunção, fatuidade, gabo: não teria a vaidade de intitular-se sábio.
Algo sem significado; futilidade: ele é composto por inúmeras vaidades.
(Etm. do latim: vanitas.atis)
Sei que um pouco de vaidade não faz mau a ninguém, mas realmente tem certas coisas que eu não entendo e não são de mim, vivi uma situação agora cedo que me fez indagar: E daí que esse fulano é o presidente do blablabla de blablabla...do blablabla...se o que ele está dizendo não faz sentido, não posso discordar e ter cuidado ao falar com ele, devo puxar seu saco?? E cumprir a idiotice que ele está pedindo?? Ele pode entender de medicina, mas não quer dizer que saiba de tudo e o que ele diz é uma lei.
O trato com a mesma educação com o qual falo com o taxista da esquina, vejam bem com EDUCAÇÃO e não bajulação.
Se depender de mim puxar o saco de alguém pra subir na vida, morro de fome...
Eis um mal da humanidade, a vaidade, no final não levamos nada daqui e sim o que somos, e se deixarmos de rotular as pessoas de acordo com os padrões que a sociedade criou, viveremos em um mundo bem mais feliz
Sem tantos julgamentos, competições e vaidades desnecessárias


quinta-feira, 28 de agosto de 2014

É preciso aprender a viver

Do final de semana pra cá, depois do uso, ele voltou ao auto engano, parou de ir na igreja, e mais uma vez espera viver comigo de forma como se a adicção não existisse, seria bom se fosse possível, mas não da pra fingir, não por muito tempo, se tratando de uma doença progressiva e fatal.

E sempre que percebo essa acomodação dele, instintivamente eu me afasto, convivo amigavelmente, mas não consigo me aproximar, pois não quero viver isso e ele como sempre não aceita, se desespera, faz pressão, manipula, ameaça e minha resposta é sempre a mesma: não finjo que está tudo bem se pra mim não estiver, você tem o direito de viver da forma que quiser, não estou te criticando por isso, apenas não quero participar dessa sua escolha.

Ele não desiste, insiste, liga, me acusa...ontem a noite foram mais de 100 ligações perdidas...

Graças a Deus, no momento eu fico sim estressada, mas aprendi a me controlar, me preservar, acalmar minha mente, meu coração e olhar de fora pra situação toda.

Ele está sofrendo, muito, por isso age de forma desesperada, porque não sabe lidar com a vida, não sabe viver, só que não cabe a mim resolver essa situação pra ele, cabe a ele aprender a lidar com as frustrações da vida, por mais sofridas que elas sejam, ele não é mais criança.

Eu faço minha parte o tratando com respeito e me respeitando, orando pra que ele se encontre.

Eu não vou compactuar com uma escolha destrutiva, eu não vou me destruir junto, eu não posso julga-lo pelas suas escolhas

Viva e deixe viver....Desligamento Emocional

Eu o amo, é quem eu gostaria de dividir minha vida, é quem eu gostaria de envelhecer mas de forma saudável, equilibrada, juntos, dividindo, somando, ajudando e não apenas cedendo em troca de um pouco de atenção e carinho

Relacionamento vai além de trocas de caricias, além do sentimento, relacionar-se é dividir o espaço e não invadir e sobrecarregar o espaço alheio.

Que Deus lhe de direcionamento

Amo essa música, segue ai pra vocês


quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Musicalidade

Pra quem ta cansado dos funk ostentação, do pancadão, do gospel, do sertanejo universitário, do poprock...segue o link da minha nova redescoberta...kkkk nunca imaginei que gostaria tanto de música celta...kkk

Lindo demais

Um Show fantástico da Celtic Woman


Uma direção



Ligue o som e boa leitura!!

Desconfie de quem afirma que sabe amar...

Desconfie de quem tem todas as respostas

Desconfie caso precise se autoafirmar a toda hora

Desconfie do que a maioria acha

Desconfie do que lhe ensinaram como verdade

Passe a buscar você essa verdade, reflita, aprenda a encontrar consigo mesmo, a se questionar, e a encontrar suas respostas

O seu equilíbrio é a sua bússola



terça-feira, 26 de agosto de 2014

Frases codependentes


Ligue o som e boa leitura!!

Eu irei apoia-lo e assim irei salva-lo

O que devo fazer pra que ele não use drogas?

Graças ao meu amor ele conseguiu

Irei com você aconteça o que acontecer, não me importa me prejudicar por ti

Ele usa drogas pra me afrontar

Aonde que eu errei?

Agora que estou ao seu lado, tudo está sob controle

Me encarrego de vigia-lo

Essas são algumas frases que usamos quando estamos cegos pela codependência.

É difícil aceitar o fato de um familiar usar drogas e com isso colocar a própria vida em risco, se prejudicar e prejudicar a outros.

Mais não tem o que fazer a princípio esse é o primeiro passo: 

PASSO UM – Admitimos que éramos impotentes perante o adicto – que nossas vidas tinham se tornado incontroláveis.

Se você ainda não conseguiu, é questão de tempo, ou do quanto você irá suportar a dor de tentar controlar o incontrolável.

Não temos o poder e o controle sobre nada e menos ainda sobre a vida e as escolhas do outro, não significa que devamos cruzar os braços, embora as vezes essa seja uma opção, significa que precisamos saber o que podemos fazer, e pode ter certeza na maioria dos casos nem tudo que queremos, podemos...

A solução?

Buscar ajuda pra passar por essa fase a da aceitação, dói bastante, mas ao mesmo tempo alivia, nos liberta e nos fortalece.

Busque ajuda, não estamos sozinhos Deus está em todos lugares, inclusive dentro de nós.

Um forte abraço e fiquem com Deus

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

O que me afeta não é o uso de drogas...!!!

Não...sinceramente...se cheirar cocaína, fumar uma pedra, injetar ou sei lá mais o que, fosse como fumar um cigarro..não me incomodaria...ficaria triste e tals, daria uns puxões de orelha como faço com quem fuma e eu quero ver bem, no máximo....mais sinceramente não me incomodaria

O que me incomoda é a forma como o comportamento e as consequências do uso de droga me afetam, a sua instabilidade emocional, a sua carência excessiva, a sua irresponsabilidade financeira essas sim me afetam.

Tento me afastar como posso, talvez ele já era assim antes mesmo de usar, eu sei, mas a questão é que se continuar usando ai que nunca e jamais irá amadurecer, e não da pra carregar a vida de ninguém nas costas, ainda mais de um pai de família com 38 anos...é triste mais fazer o que é a realidade, sem sentimento de vingança, raiva ou qualquer outra coisa, só não dá, não é justo enfim...

Penso quantas pessoas vivem adormecidas nesse mundo, quantas pessoas exigem que o outro lhe faça feliz, não somente quem usa drogas

Mas o mundo está cheio de pessoas que exigem...que enganam....que querem levar vantagem...há existem aos bandos

Basta olhar pro lado, sempre tem aquela pessoa que pensa que os outros tem a obrigação de lhe servir, existem os que enganam e mentem pra tirar vantagem, e usam desculpas para continuar a se comportar dessa maneira

Porque vivem "dentro da lei"....acham que tudo bem...trair seu companheiro isso é instinto, acham que ganhar em cima dos outros é ser esperto...e assim o munda caminha, um passando em cima do outro em nome da "esperteza" em nome da "sobrevivência"...

Enfim...Assim caminha a humanidade. Com passos de formiga. E sem vontade. Não vou dizer que foi ruim. Também não foi tão bom assim...rs..

VAMOS DE LULU SANTOS



quinta-feira, 21 de agosto de 2014

Parabéns pra você



Hoje é o aniversário do "homi"....parabéns pra ele felicidades, que Deus lhe conceda sabedoria pra lidar com a vida, porque ta pisando torto...eita laia

Então ontem após ele me ligar para combinarmos de sair hoje pra comer um bolinho, eu, ele e as crianças pra não passar em branco, desligou dizendo: quando eu chegar em casa te ligo pra combinarmos melhor....
Ligou? Não...rs...eu liguei não atendeu, liguei em casa não atendeu...recebeu ontem...bom não precisa ser guru pra adivinhar...

Até ai realmente isso não me afeta mais....
Então hoje as 6:40hs meu celular toca, era ele, atendi e disse: Oi, parabéns!! - ele: Obrigado - eu: Sumiu ontem o que houve? - ele:  Há cheguei em casa e dormi direto - eu: não mente não - ele: eu estava em casa - eu: tudo bem acredito que você estava em casa, mais você não ligou o motivo é outro (é sempre dessa forma por isso tenho grandes chances de estar certa) - ele: mudo...to ligando pra você não ficar preocupada porque vi suas ligações perdidas - eu: bom, a vida é sua e você sabe o que faz dela, enfim, parabéns e felicidades....

Ele desligou

Essas situações não me causam mais raiva dele, nem tristeza, nem desespero, nem pena, não me causam nada, mais sim essas atitudes me afastam dele, não porque eu tenha algum preconceito com quem usa droga, mais porque eu sei o sofrimento que isso representa, na minha vida e na dele, e sei também que é impossível (pelo menos pra mim) dividir uma vida com alguém que mau consegue dar conta da própria vida.

E assim seguimos, ele com as escolhas dele, seguindo o caminho dele e eu com as minhas seguindo o meu caminho....

E hoje peço ao papai do céu que lhe de juízo, humildade e discernimento pra perceber que esse caminho poderá  leva-lo pra um buraco muito fundo que poucos conseguem sair, que ele acorde em quanto é tempo.

Um bom dia a vocês

quarta-feira, 20 de agosto de 2014

Conhecimento X Sabedoria

Alguns anos atrás, quando estava começando a dar cursos e palestras com maior freqüência, descobri que muitos conceitos comuns, com os quais as pessoas pensam estar acostumadas, são verdadeiras caixas de surpresas. Uma de minhas surpreendentes descobertas foi a de que a grande maioria das pessoas considera o atributo inteligência como algo que levaria obrigatoriamente a outro atributo: a bondade. E isso é um fato curioso. Desde quando as pessoas se tornaram boas apenas por serem inteligentes? Isso não parece haver acontecido, mas há quem não consiga dissociar as duas coisas com facilidade.

Para tentar elucidar tal condição, consideremos o seguinte exemplo: uma pessoa que tenha grande capacidade de planejamento, visão comercial, tino de liderança, percepção estratégica, raciocínio rápido e pensamento preciso pode ser considerada inteligente? Vamos assumir que sim. Tal descrição pode se enquadrar a um empresário, a um político ou a um traficante de drogas! Sendo todos eles inteligentes, seriam todos necessariamente homens bons? De jeito nenhum. A inteligência pode ser usada para coisas boas ou ruins. E, para piorar, o próprio conceito de diferenciação entre "bom" e "ruim" também é relativo.

O leitor poderia dizer agora: "Relativo? Que nada. O que é bom é sempre bom e pronto, ora!". Não, nem sempre. Suponhamos que estivéssemos juntos em uma guerra, na frente de batalha, combatendo um inimigo que nos está massacrando e avançando sobre nós em maior número. Num dado momento, quando nosso batalhão está prestes a ser dizimado, surgem os aviões aliados, bombardeando o inimigo com precisão cirúrgica e nos salvando a todos da aniquilação. Isso não seria mais do que bom? Seria ótimo, certo? Mas apenas para nós. Qual seria a opinião do inimigo a esse respeito? O que diriam as famílias daqueles soldados que houvessem sido mortos em tal combate? Quem acharia isso bom? Creio que nenhum ente querido o faria. Por isso, "bom" e "ruim" são coisas relativas e, por isso mesmo, precisamos ter sabedoria para usar tais conceitos com correção.

Sabedoria. Esse é outro elemento que causa confusão. É comum que se confunda conhecimento com sabedoria, mas essas são coisas bem distintas. Se prestarmos atenção, podemos verificar que a diferença é clara e visível. O conhecimento é o somatório das informações que adquirimos, é a base daquilo que chamamos de cultura. Podemos adquirir conhecimento sem sequer vivermos uma só experiência fora dos livros e das aulas teóricas. Podemos nos tornar cultos sem sairmos da reclusão de uma biblioteca. Já a sabedoria, por outro lado, é o reflexo da vivência, na prática, quer pela experimentação, quer pela observação, da utilização dos conhecimentos previamente adquiridos. Ou seja, uma pessoa culta não é necessariamente sábia, mas uma pessoa sábia é relativamente culta em sua área de sabedoria. Para se ser sábio é preciso viver, experimentar, ousar, ponderar, amar, respeitar, ver e ouvir a própria vida.

É preciso buscar, sim, o conhecimento, a informação e a cultura, mas também se deve ter a coragem de experimentar a vida, o amor e o compartilhar. Deve-se atentar para não se tornar uma "ostra egóica", alguém fechado em si mesmo e no próprio processo de aprendizado. Fazer isso é o mesmo que iniciar uma viagem e se encantar tanto com a estrada a ponto de se esquecer para onde se está indo. E isso não parece ser uma atitude muito sábia. Então, sejamos sábios: vivamos, amemos e compartilhemos o que há em nossos corações! 

Alberto Cabral

terça-feira, 19 de agosto de 2014

Ciência e Espiritualidade


Muito bom!!

?....?? Pense

Pegando carona no post do blog SÓ POR HOJE, resolvi escrever sobre o que me fez pensar diferente, temos a mania de não questionar, de aceitarmos como verdade tudo que lemos e o que nos dizem.
Pouco sabemos sobre dependência quimica, ainda temos uma visão preconceituosa sobre o assunto e mesmo que em alguns grupos se fale mais abertamente sobre a doença abordando também a codependência, ainda assim trazemos pra nossa vida como uma receita de bolo.

A primeira solução que buscamos é a internação, seria sim uma boa solução se as clinicas fossem preparadas adequadamente, mais o que existe não é isso, e sim um lugar onde se isolam por determinado tempo, com pouco acompanhamento médico, abordando muito mais o lado espiritual e se cobrando caro por isso

Portanto o que mostra a realidade é que o número de pessoas que conseguem se manter longe das drogas é muito baixo, menos de 5%.

Na minha opinião doenças que se referem a transtornos mentais e emocionais, não devem ser abordadas somente de maneira cientifica e nem somente de maneira religiosa.

Se possível a ciência e a religião ou espiritualidade como preferirem poderiam caminhar juntas.

Sei que existem estudos a respeito, é que realmente ando sem tempo de fazer pesquisas pra publicar no blog, mais conseguem abrir essa possibilidade?

Fiquem com Deus e um ótimo dia e curtam o som







segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Os mesmos dias...

O que noto é que muitas pessoas só vem discutir o assunto dependência quimica, quando isso se torna algo escancarado o que não da pra se esconder.

No programa fantástico desse domingo, fizeram uma reportagem sobre a morte do ator Robin Willians, e deram destaque a depressão dos comediantes, sobre o fato dele ter tido envolvimento com as drogas apenas citaram, não sei se concordei com a forma exposta, se ele tivesse morrido de overdose talvez a abordagem seria diferente.

Claro não acho que deveriam fazer sensacionalismo, mais certos assuntos podem servir como uma abordagem preventiva, alertando sobre o uso de drogas e de como ela pode lhe aprisionar e te levar a morte, não somente através da overdose.

Por aqui as coisas estão mais ou menos, como já citei meu marido ou namorido, já não sei como dizer, ele nunca (ainda) foi parar na rua, roubou ou vendeu tudo devido ao uso de drogas, mas vejo como ele ainda vive de maneira a qual se ele não acordar voltará ao uso mais cedo ou mais tarde.

Ele continua indo a igreja, mais aquela aceitação e humildade, frente a vida dele como se encontra hoje, estão indo embora e dando lugar a revolta e egoísmo, como sempre acontece e daí pra frente se ele não voltar a aceitar e ter humildade pra viver a vida dele como está hoje, adivinha...

Eu sei o quanto dói mudar, eu mudei muito e as custas de muita dor, lágrimas, desespero e raiva.....talvez tenha encontrado meu fundo de poço e decidi mudar, ele.....enfim vamos aguardar, me parece que mais uma vez o ciclo vai girar, tomara que não...independente de ficarmos juntos ou não, tomara que ele volte a entender que não existe "injustiça" na situação dele o que existe é a lei do plantio e da colheita e por mais dolorosa que seja essa colheita, chegou a hora de colher e escolher plantar diferente, caso as sementes lançadas sejam as mesmas...não precisa ser guru pra adivinhar o que irá acontecer...

Fiquem com Deus e bom dia

Essa música diz por mim o que e como me sinto nessa situação toda :)

quinta-feira, 14 de agosto de 2014

Nosso "inimigo" nosso espelho



Quando eu ouvia essa frase, eu entendia que tudo que eu não gostava em uma pessoa, significava que eu tinha essas mesmas características, sim algumas podem ser, mais ao parar pra analisar nem tudo que eu não gosto no outro eu realmente tinha em minha personalidade, então eu estava interpretando essa frase de maneira equivocada.

Ontem em uma situação com o "homi", pude perceber que na verdade nossos "inimigos" ou as atitudes dos outros que nos incomodam na verdade nos mostram aonde estão nossas fraquezas, porque se algo me incomoda, me incomoda porque permito, se eu permito, permito por algum motivo e se eu não posso mudar o outro, não tenho que aprender a aceitar, ou ignorar, tenho que olhar pra mim e ver o que eu preciso fazer pra me modificar pra que determinada situação não me incomode mais.

Ontem ele com sua instabilidade emocional, da pessoa que estava enxergando a vida de uma nova maneira, voltou a se lamentar isso me incomoda (a lamentação a mesma de sempre) eu desligar o telefone, fingir que não ouço, apenas me ajuda a fingir que nada acontece e eu quero aprender a lidar com isso, não somente por causa dele, mais porque lamentações seja de quem for ultimamente tem me irritado e o que eu tenho feito, me isolado porque estou sem saco pra ouvir apenas lamentações e geralmente as mesmas.

Eu vivo em um mundo, onde não existe vida perfeita, não existe ninguém perfeito e sim haverá lamentações em alguns momentos, ignorar só me afasta das pessoas, ficar dando conselho é cansativo e sinceramente na maioria das vezes não funciona, aprendi a ouvir mais e falar o minimo possível.

Então preciso encontrar em mim o que está me causando esse desconforto e tirando meu equilíbrio.

Depois que desliguei o telefone e passe a refletir, me veio na cabeça a minha própria imagem, de quando vivia situações as quais não suportava e ficava reclamando, esbravejando, me lembrei de como era dificil viver aqueles períodos, me lembrei que aos poucos eu fui achando as respostas que eu buscava e a transformação começou de dentro pra fora, e mesmo depois desse tempo eu ainda tenho muitas dificuldades.

Me coloquei no lugar dele, não esquecendo que EU NÃO POSSO E NEM DEVO, fazer nada por ele, apenas tentei imaginar como ele se sentia e consegui compreende-lo ao me olhar no passado, não lhe dei conselho, apenas repeti as palavras que ele mesmo havia dito a uns dias atrás e ele desligou, não liguei de volta o deixei ele quieto com suas frustrações, com suas tristezas, com suas dúvidas e que ele fique livre pra escolher o caminho que irá trilhar pra lidar com a vida dele como ela está.

A transformação é lenta, e muitas vezes ela não avança tanto, algumas pessoas passam a vida toda e nem um passo dão e outras avançam um pouquinho mais, preciso compreender isso e aceitar que é assim, quando compreendo e aceito não tenho pressa e não cobro dos outros o que não devo: que melhorem, afinal cada um sabe de si.

Ainda tenho dificuldades em relação a um rompimento total com ele, não por medo de perde-lo, não por medo das consequências, mais por me pegar em uma situação e não saber sair dela, me perdendo.

Então percebo que ainda restou a ansiedade em querer viver o futuro, a fé em um poder maior e que ele me guiará e me ajudará a superar o que vier pela frente.

A serenidade em viver o presente.

Se é bom ou ruim ainda não sei, sei que ninguém vive sozinho, mais uma coisa gravou em mim, eu não sei, não consigo e não confio em deixar minha felicidade nas mãos de ninguém

quarta-feira, 13 de agosto de 2014

Focar somente no belo?

video

A felicidade.....ouvi uma frase em uma palestra de Huberto Rohden, onde ele cita um filosofo que viveu cerca de 400 anos A.C. onde ele diz o seguinte: Para ser feliz não devemos possuir nada do mundo e nem desejar nada do mundo.

O que tudo isso tem haver com adicção, com codependência?

Bom ambos achamos que devemos "possuir" algo para ser feliz e se não temos desejamos e quando temos sentimos o medo de perder e quando perdemos nos sentimos infelizes.

Repetindo o que muitos pensadores, grupos e psicólogos dizem por ai: a felicidade está dentro de você

Como encontra-lá?
Como descobrir o caminho? Ora conhecendo
Se a felicidade está dentro de você, você precisa se descobrir.

Quando começamos a nos observar, percebemos como vivemos de acordo com o que esperam de nós.

O mundo lhe diz o tempo todo quem você deve ser, e você sabe quem você quer ser?
Não pra ser admirado ou aceito, mais pra se sentir em paz, viver em harmonia consigo e feliz

Quando você encontrar na sua essência quem realmente é
Quando você tiver coragem de assumir suas escolhas sempre lembrando que tudo que fizermos de ruim e de bom pra nós ou pros outros de alguma forma voltará pra nós.

Você não precisará mais se esconder atrás das drogas
Você não precisará mais de alguém do seu lado
Você não se desesperará mais com medo de perder, pois saberá que nada do "mundo" é seu, e deixará livre tudo que passar pela sua vida, aprenderá a ter serenidade e sabedoria para viver os momentos difíceis e depois voltar a sorrir.

Sim a vida não é perfeita e não adianta olhar só pro belo, quando ignoramos nossos sentimentos ruins deixamos de aprender, é como se esconder a sujeira debaixo do tapete, uma hora ela vem a tona

Não tenha medo de lidar com seus monstros, seus piores sentimentos, os encare de frente e descubra a origem deles, somente superamos o que aprendemos a lidar.

Existe um poder superior maior que poderá lhe auxiliar

O foco não deve estar nem no belo e nem no feio da vida, ele deve está em você, sendo você imperfeito espera encontrar somente belas paisagens?

Um bom dia

Desejo sabedoria para ter coragem de viver a vida.



terça-feira, 12 de agosto de 2014

Filosofando

video
Fonte: http://www.ippb.org.br/index.php?option=com_docman&task=cat_view&gid=117&Itemid=187

Morre Robin Williams

ator americano Robin Williams, que deu vida ao médico Patch Adams no cinema, venceu o Oscar de melhor ator coadjuvante por Gênio Indomável e protagonizou outros tantos sucessos, como Amor Além da Vida, O Homem Bicentenário e Sociedade dos Poetas Mortos, foi encontrado morto na manhã desta segunda-feira, de acordo com o departamento de polícia do condado de Marin, na Califórnia.
Williams, que tinha 63 anos, foi achado inconsciente em sua residência na cidade de Tiburon. Ele foi declarado morto minutos depois. A suspeita da polícia é de que o ator tenha cometido suicídio por asfixiamento.

Marcelo Perrone: "A sina dos palhaços trágicos"
Veja 10 filmes para lembrar de Robin Williams
Fãs e famosos lamentam a morte do ator

A representante de Williams, Mara Buxbaum, confirmou a informação em nota:
"Robin Williams faleceu esta manhã. Ele lutava contra severa depressão, ultimamente. Esta é uma perda trágica e repentina. A família pede, respeitosamente, que sua privacidade seja preservada neste período difícil de luto".
A mulher de Williams, Susan Schneider, também manifestou seu luto por nota:
– Esta manhã, perdi meu marido e meu melhor amigo, enquanto o mundo perdeu um de seus mais amados artistas e mais belos seres humanos. Estou com o coração partido.
O ator batalhava contra depressão e contra seu vício assumido em álcool e cocaína. Em julho, deu entrada em uma clínica de reabilitação em Minnesota para um programa destinado à sobriedade a longo prazo. Em 2006, ele deu entrada em uma instituição do tipo por conta de uma recaída depois de 20 anos de sobriedade. (http://zh.clicrbs.com.br/rs/noticias/noticia/2014/08/morre-aos-63-anos-o-ator-robin-williams-4572825.html)
Mais uma vítima que teve sua vida roubada pelas drogas, não suportou o vazio deixado por "ela" e quis abreviar seu sofrimento.
Que Deus lhe ampare, que consiga encontrar a ajuda que tanto buscou, que o amor das pessoas chegue até você e que finalmente você consiga encontrar sua paz, aonde quer que você esteja.

segunda-feira, 11 de agosto de 2014

Filosofando

Feliz dia dos Pais




Ligue o som e boa leitura!!

Não importa até aonde você andou
Não importa se irão lhe compreender ou lhe perdoar

Se perdoe, recomece, levante a cabeça e siga em frente, lembrem-se caminhamos de mãos dadas e não carregando ninguém nas costas

Respeitar as escolhas alheias, amar e compreender sem esperar nada em troca nem ao menos um olhar de entendimento, é pra poucos, mais tem um PAI maior de a ele o nome que quiser dar, mais esse PAI...ele sim....ele nos respeita, nos ama, nos compreende e nos espera, sem esperar nada em troca

Ele não quer que façamos a vontade dele, ele quer apenas que sejamos de fato felizes, não importa o caminho que irá trilhar as portas de sua casa estarão a te esperar

Um feliz dia dos pais, pro meu pai cabeça dura...rs..pro pai dos meus filhos outro cabeça dura...rs..

E pra todos papais cabeças duras ou não desse mundo :)

A não podia esquecer das Pães (mãe que faz o papel de pai)...vcs tb merecem um abraço bem apertado.

Bjuuuuuuuu 

sexta-feira, 8 de agosto de 2014

Faça diferente

O que significa fazer diferente pra você?

Será que aceitar tudo que nos dizem como verdade é fazer diferente?

Será que ter medo de pesquisar novas crenças, mudar de idéia e opinião é fazer diferente?

Será que pensar igual a maioria, simplesmente pra se sentir confortável é fazer diferente?

Será que se exigir dos líderes de um país honestidade e transparência e no dia a dia, agir de maneira igual mesmo que em menores proporções é fazer diferente?

Abaixo segue uma matéria muito interessante, sim um pouco longa mais realmente muito interessante, personalidades que mudaram a história da humanidade, deixando de lado os julgamentos moralistas, convido ao leitor que aprecie a matéria e aprenda com ela, com todos nela citados.

Não existe perfeição o que existe é a evolução da humanidade

Quer uma mudança, tenha coragem de SER A MUDANÇA.

As 10 pessoas que mudaram o mundo - E o que seria da humanidade sem elas


CURRÍCULO

Nome: Jeshua ben Joseph

Nascimento: cerca de 7 a 4 a.C., Nazaré, Galileia

Morte: c. 30-36, Jerusalém

Ocupação: Aprendiz de carpinteiro, profeta, mártir, fundador do cristianismo

Jesus Cristo

Fundador da maior religião do mundo e de boa parte da história ocidental


De certa forma, nenhum outro personagem desta lista existiria sem ele. É quase impossível imaginar a história do mundo ocidental sem Jesus Cristo, com séculos de pensamento dedicados a conciliar a filosofia e hábitos pagãos com o monoteísmo importado da Judeia. "Seus seguidores continuam a ser os mais numerosos no mundo, o calendário é baseado nele e constitui o elo entre o judaísmo e o helenismo", afirma o historiador e arqueólogo Pedro Paulo Funari, da Unicamp. Ainda que a civilização cristã raramente tenha conseguido viver pelas palavras de Jesus de amar ao próximo, não julgar para não ser julgado e dar a outra face, a Igreja fundada em seu nome é absolutamente central na História do Ocidente. Tanto que o calendário se divide em antes e depois de Cristo.

Países como Alemanha, França e Espanha só existem porque reis bárbaros se converteram ao cristianismo e ganharam legitimidade após a queda do Império Romano. As Cruzadas introduziram o gosto por especiarias aos europeus, e isso é tanto a origem das Grandes Navegações, na Península Ibérica, quanto do capitalismo que bancou a Renascença, na Itália. Foi a Igreja que fundou as primeiras universidades, e dela saíram vários pensadores que retomaram a filosofia clássica, como Santo Agostinho, Roger Bacon e São Tomás de Aquino. A Reforma Protestante comandada pelo alemão Martinho Lutero liberou o homem para acumular riqueza sem culpa, uma das causas da Revolução Industrial. É um assunto controverso, mas vários pensadores, como o filósofo alemão Friedrich Nietzsche, relacionaram o cristianismo aos ideais igualitários modernos da democracia e do socialismo.

O personagem mais importante para a história do Ocidente é aquele sobre o qual menos se sabe. Nem uma linha foi escrita sobre Jesus enquanto ele viveu. Autores não cristãos que trataram dele, Tácito e Flávio Josefo, só apareceram décadas após sua morte - e suspeita-se que monges medievais piratearam trechos sobre Jesus nos originais. Quase 2 mil anos depois, a maior fonte sobre sua vida continuam a ser os Evangelhos, que não são livros de História, mas de pregação religiosa.

A busca pelo Jesus histórico é limitada. Pesquisadores costumam comparar os Evangelhos com fatos conhecidos de seu tempo. Por exemplo, como não existe nenhum registro de um censo na Judeia na época de seu nascimento, a maioria dos historiadores acredita que ele nasceu mesmo em Nazaré, não em Belém (fato usado para identificá-lo à estirpe do rei Davi), e isso foi no máximo em 4 a.C., no fim do reino de Herodes, o Grande. Portanto, nosso calendário carrega um erro de cálculo.

Mas alguns fatos bíblicos são amplamente aceitos: Jesus existiu, foi batizado por João Batista e crucificado por Pôncio Pilatos, após um incidente no Templo de Jerusalém. E a religião que fundou já havia chegado à capital do Império Romano no reino de Nero (54-68), décadas depois de sua morte. O que quer que Jesus tenha dito ou feito em vida, o cristianismo não existiria apenas com ele. Paulo de Tarso, que nunca o encontrou em pessoa (teve uma visão), foi quem abriu a religião a todos.

A conversão do imperador Constantino, em 312, tornou o cristianismo a maior religião do mundo, com 2,2 bilhões de fiéis hoje.

O mundo sem ele

Sem Jesus Cristo e o cristianismo, não haveria uma Igreja unificada e forte para preservar o pensamento e conhecimento da Antiguidade durante a Idade Média, nem para avalizar autoridade a imperadores como Carlos Magno (742-814), que começou a impor ordem à Europa. O mundo "ocidental" seria mais voltado ao Oriente, no que restou do Império Romano, da Grécia ao Norte da África. Sem cristãos não haveria o Islã. Maomé derivou um conteúdo considerável de sua doutrina do cristianismo. Jesus era um dos profetas maiores. Em uma Europa bárbara não haveria Renascença, Grandes Navegações ou Revolução Industrial. Talvez outra civilização fosse dominante, como os persas ou indianos. A tecnologia estaria alguns séculos atrasada.



CURRÍCULO

Nome: Karl Heinrich Marx

Nascimento: Trier, Prússia, 5 de maio de 1818

Morte: 14 de março de 1883, Londres, Reino Unido

Ocupação: Filósofo, economista e jornalista
Karl Marx

O Filósofo rebelde que foi à luta pelo socialismo


Marx partiu de uma filosofia para filósofos - o idealismo de Hegel - para uma filosofia de ação. "Os filósofos apenas tentaram interpretar o mundo de diversas formas; o ponto é mudá-lo", escreveu em 1845. E ele mudou mesmo: o século 20 foi marcado pela divisão mundial entre marxistas e defensores do capitalismo de várias vertentes. Como sistema político, a democracia ocidental venceu em 1991 com a queda da União Soviética, um pesadelo totalitário em que ninguém poderia vislumbrar o comunismo prometido por Marx, uma sociedade sem classes, Estado ou opressão. Mas muitos pensadores contemporâneos, como os filósofos Slavoj Zizek e Antonio Negri, e o falecido historiador Eric Hobsbawn, afirmam que ainda é cedo para decretar a morte do marxismo como ideologia. Marx afirmou no século 19 que crises cíclicas eram inerentes ao capitalismo - e o crash de 2008, último de uma série, mostra que essa foi uma previsão certeira. "Sua crença de que a justiça social deveria ser uma razão fundamental de todas as comunidades modernas nem sempre foi bem-sucedida, menos ainda em todas as ditaduras comunistas, mas sua influência foi mundial e contínua", diz o historiador britânico Richard Overy.

No que ele mesmo chamava de praxis, os conceitos de Marx mudaram a geopolítica do planeta. Mas ele também tem uma enorme contribuição acadêmica, o que garante a permanência de seu pensamento como norte intelectual ainda hoje nas ciências humanas. Marx ajudou a criar caminhos intelectuais, como a lógica dialética e o materialismo histórico, que dominariam várias áreas do conhecimento no século 20. Ele é um dos fundadores das ciências sociais, o saber que transformou a mera especulação filosófica em estudo metódico, baseado em conceitos científicos. Vale lembrar que sua teoria é um convite à ação. "Marx criou as bases da mais profunda crítica do capitalismo e lançou ideias para sua superação histórica", afirma o historiador Francisco Alambert, da USP.

Em sua vida pessoal, Marx foi um grande ativista das causas que defendia. Em 1864, fundou e dirigiu a Primeira Internacional, organização mundial de comunistas, anarquistas e sindicalistas. Escreveu e editou jornais revolucionários e tinha colunas em diários convencionais, como o New York Daily Tribune, no qual defendeu o fim da escravidão nos EUA. Tal como Albert Einstein, foi nas horas vagas que escreveu sua obra-prima, O Capital, publicado em 1867. Também misturou a vida familiar com a política - sua filha Laura casou-se com o socialista francês Paul Lafargue, famoso por comandar jornadas em defesa de 8 horas diárias de trabalho em Paris.

Perseguido pelas autoridades europeias, vivendo quase sempre à beira da insolvência (e costumeiramente socorrido financeiramente pelo amigo e parceiro intelectual Frederick Engels), teve sete filhos com a baronesa Jenny von West-phallen. Apenas três sobreviveram até a idade adulta. Quando morreu, Karl Marx era ao mesmo tempo uma celebridade internacional e um apátrida. De certa forma, ele foi o primeiro mártir do marxismo. Sua tumba, em Londres, hoje é ponto turístico da cidade.

O mundo sem ele

O socialismo preconizado por Marx, adotado por sindicatos e partidos de esquerda, foi responsável por diversas conquistas dos trabalhadores, como a jornada de 8 horas, as férias anuais e as leis contra o trabalho infantil. A crítica sistemática da sociedade capitalista iniciada por Marx serviu de base intelectual para movimentos que não têm relação direta com a causa do proletariado, como o feminismo e a luta por direitos civis de negros e gays. Sem Marx, não haveria as tragédias do comunismo soviético e chinês, mas também viveríamos num mundo mais conservador, onde o nacionalismo, na ausência das grandes ideologias, seria um fator importante a dividir os países. "Sem Marx, o materialismo e a luta de classes demorariam a surgir", afirma Pedro Paulo Funari, da Unicamp. "Não entenderíamos a força e a violência do capital", diz Francisco Alambert, da USP. Possivelmente não existiriam instituições como a Comunidade Europeia sem a Guerra Fria para unir os europeus ocidentais.


CURRÍCULO

Nome: Sigmund Freud (Sigismund Schlomo Freud)

Nascimento: 6 de maio de 1856, Freiberg in Mähren, Império Austro-Húngaro (hoje P¿ríbor, República Checa)

Morte: 23 de setembro de 1939, Londres, Reino Unido

Ocupação: Psiquiatra e fundador da psicanálise

Sigmund Freud

Austríaco mudou a imagem que o ser humano tem de si mesmo

À primeira vista, o pai da psicanálise é um personagem destoante nesta lista. Não foram feitas revoluções em seu nome e sua contribuição científica é controversa. Entre seus muitos críticos, Karl Popper, possivelmente o maior filósofo da ciência do século 20, simplesmente excluiu a psicanálise do domínio científico. O complexo de Édipo foi rejeitado por antropólogos, que não confirmaram algo parecido em outras culturas pelo mundo. E, para Freud, o tal complexo era a razão de ser de sua teoria. "No complexo de Édipo reúnem-se os começos da religião, moralidade, sociedade e arte, em plena concordância com a verificação psicanalítica de que esse complexo forma o núcleo de todas as neuroses", escreveu ele em Totem e Tabu.

Mas entre todos os mencionados, Freud é provavelmente o que tem a maior influência no cotidiano das pessoas hoje em dia. Para o professor da Unicamp Pedro Paulo Funari, ele "introduziu a vida interior ou psíquica no centro da maneira como as pessoas entendem e se entendem no mundo". A ideia do que é ser humano foi refundada por Freud. Antes, havia duas concepções principais: o homem cartesiano, uma mente perfeitamente livre e racional, independente do corpo e suas vicissitudes. Ou o Homo economicus, uma máquina de calcular que sempre agia para maximizar resultados e ganhar dinheiro, uma tradição que vai de Adam Smith até Karl Marx. Hoje, cientistas e psicólogos entendem o ser humano como um animal dotado de razão, mas uma razão imperfeita, altamente influenciada por seus desejos e sentimentos, às vezes inconscientes, às vezes inconfessáveis, atormentado pela contradição entre esses impulsos e a vida em sociedade. Ideia surgida com a psicanálise que ciências mais duras, como a neuropsiquiatria e a psicologia evolutiva, só têm reforçado. Alguns conceitos freudianos, como o inconsciente e a razão deturpada pelos desejos, são amplamente aceitos por neurocientistas. Existe, assim, uma revolução freudiana, no "estudo da mente humana, demonstrando que traumas, sonhos, desejos e fantasias têm impacto decisivo no comportamento das pessoas", de acordo com o jornalista e escritor Laurentino Gomes.

Formado em Medicina em 1881, Freud começou a trabalhar como psiquiatra científico, estudando a anatomia do cérebro. Em 1885, na França, teve sua primeira revelação: muitas condições físicas nos pacientes eram causadas por transtornos da mente. De volta à Áustria, tomou contato com Josef Breuer, que descreveu como uma paciente havia melhorado apenas por meio de conversa, caso que interessou vivamente a Freud. Pela mesma época, recomendou ao colega psiquiatra Ernst von Fleischl-Marxow o "antidepressivo" da época, a cocaína. Marxow morreu de overdose em 1891. Esses eventos o levaram a abandonar as drogas e a hipnose para adotar a cura pela conversa, que batizou de psicanálise em 1896. Em 1899, lançou o livro fundador da teoria, A Interpretação dos Sonhos.

Freud refinaria e ampliaria suas concepções até o fim da carreira, ganhando discípulos e tornando a psicanálise uma das terapias mais populares da psicologia do século 20. A nova ideia do ser humano teve imensas ramificações nas artes, cultura e filosofia. Surrealismo, dadaísmo, pós-modernismo - tudo isso nasceu das ideias de Freud.

O mundo sem ele
Paradoxalmente para esse conservador convicto, que considerava o orgasmo pelo clitóris ou qualquer forma de sexo não reprodutivo como falhas no desenvolvimento mental, o mundo seria bem mais "careta" sem ele. Suas teorias influenciaram a arte e o pensamento de vanguarda. A explicação naturalista para o sexo, incluindo a sexualidade na infância, abriu caminho para a revolução sexual, iniciada justamente pelos artistas e pensadores de vanguarda. A filosofia pós-moderna, a rejeição do mundo racional e científico contemporâneo, começa pela dúvida freudiana de uma razão pura. Enfim, sem o austríaco, não haveria os anos 60. O mundo não teria subculturas, mas uma divisão baseada puramente em ideias, entre respeitáveis senhores de paletó e gravata.


CURRÍCULO

Nome: Charles Robert Darwin

Nascimento: 12 de fevereiro de 1809, Shrewsbury, Inglaterra

Morte: 19 de abril de 1882, Londres, Inglaterra

Ocupação: Geólogo e biólogo

Charles Darwin

O cientista que mudou a história do homem com a seleção natural


Em 1859, um livro colocou o ser humano em seu devido lugar. Antes dele, a humanidade tomava a si própria como o ápice da criação, num mundo em que todas as outras formas de vida haviam sido colocadas na Terra por Deus apenas para servi-la. A Origem das Espécies demoliu essa visão milenar. "Sua influência no desenvolvimento de áreas críticas da ciência foi profundo. Ao mesmo tempo, ajudou a construir uma nova visão científica do mundo, substituindo a visão cristã prevalente", afirma o historiador e autor britânico Richard Overy.

Darwin afirmou que a espécie humana evoluiu, como todas as outras, por meio de um processo que não tem direção definida, com todos os animais partilhando um ancestral comum. É a sobrevivência do mais apto - não a do mais forte - às circunstâncias que guia a evolução. A espécie humana não foi feita à imagem e semelhança de Deus, mas surgiu de um macaco na savana africana. Esse foi um impacto brutal na autoimagem da humanidade, que até hoje muitos ainda relutam em aceitar. Ainda mais em uma sociedade conservadora como a Grã-Bretanha do século 19.

Pelos diários de Darwin, sabe-se que ele já havia chegado a essas conclusões 20 anos antes. Mas temia publicá-las, porque podia prever as consequências na cultura da Inglaterra vitoriana. Aos 50 anos, tinha muito a perder, numa admirável carreira que havia rendido a medalha da Royal Society, a academia britânica de ciências, em 1853. " Não sei o que pensar: realmente detesto a ideia de escrever por prioridade, mesmo assim ficaria irritado se qualquer um publicasse as minhas teorias antes de mim", escreveu alguns anos antes da publicação. Seu trabalho começou com o retorno da viagem do navio Beagle, em 1836, trazendo fósseis e espécimes do mundo todo, inclusive do Brasil.

A ideia de evolução em si não era nova. Em 1809, ano de nascimento de Darwin, o naturalista francês Jean-Baptiste Lamarck propôs a evolução por meio de características adquiridas por esforço - um princípio errado, que marginalizou a ideia, já então tida por heresia. Darwin só decidiu tirar da gaveta A Origem das Espécies porque um pupilo seu, Alfred Russel Wallace, apresentou a ele uma teoria quase idêntica, em 1858. Wallace poderia também ter sido o pai da seleção natural, mas quem apresentou a tese fez toda a diferença. As credenciais de Darwin estavam acima de qualquer suspeita. Wallace era um jovem desconhecido, com fama de radical.

As décadas de preparação fizeram de A Origem das Espécies um trabalho impecável, prova e explicação definitiva para a evolução. Para surpresa de Darwin, o livro tornou-se um best-seller, transformando o cientista recluso em celebridade internacional, discutido, caluniado e caricaturado nos jornais. Sem gosto pela vida pública, coube a outros cientistas, como seu amigo Thomas Huxley, defendê-lo. Quando morreu, em 1882, era um tesouro do Império Britânico. O naturalista agnóstico ganhou a honra de ser enterrado na Abadia de Westminster, junto a outros grandes cientistas da nação, como Isaac Newton. O darwinismo tornou-se a doutrina capaz de explicar e dar novos rumos à biologia, fazendo a ciência - sem trocadilho - evoluir ao longo do século 20. Suas teses são contestadas apenas por um grupo: o dos cristãos fundamentalistas, os chamados criacionistas.

O mundo sem ele


Inúmeros avanços não teriam acontecido. Viveríamos num mundo de máquinas impressionantes, mas de ciência biológica primitiva, onde a maioria das crianças morreria na infância como no século 19. Mesmo que a teoria dos germes fosse desenvolvida, é preciso da seleção natural para entender a resistência aos antibióticos. Ecologia seria apenas romantismo, preservação de paisagens. Por mais que igrejas tradicionais, como a Católica, tenham buscado conciliar o darwinismo às suas crenças, ao explicar a origem da humanidade sem a necessidade de Deus, a seleção natural fez com que elas perdessem muito de sua influência. Darwin também ajudou a impulsionar a genética, e a descoberta do DNA, no século 20, tem a ver com seus escritos. "Sem Darwin, o mundo demoraria a explicar o mundo sem recorrer às forças sobrenaturais", afirma Pedro Paulo Funari, da Unicamp.


CURRÍCULO

Nome: Adolf Hitler

Nascimento: 20 de abril de 1889, Braunau am Inn, Império Austro-Húngaro

Morte: 30 de abril de 1945, Berlim, Alemanha

Ocupação: Pintor, cabo do exército, político, ditador

Adolf Hitler

A personalização do mal levou a barbárie à civilização


É difícil falar do nazismo sem recorrer a expressões moralistas como "O Mal". O professor Francisco Alambert, da USP, o define como "a mais perfeita tradução do horror moderno". Com Mao e Stalin, Hitler é um dos personagens cujo perfil torna obrigatório incluir uma contagem de cadáveres - 11 milhões, entre judeus, poloneses, comunistas, ciganos, homossexuais, testemunhas de Jeová e opositores, em execuções, massacres e campos de extermínio. Isso sem contar os 50 milhões da Segunda Guerra, que podem ser atribuídos a ele.

A diferença é que China e União Soviética nunca tiveram algo parecido aos campos de extermínio nazistas. Hitler foi inédito em seu ódio. Em meio a uma guerra que estava perdendo, desviou preciosos recursos para uma imensa operação industrial com o objetivo de eliminar pessoas de forma rápida e eficiente. O nazismo ainda recriou a escravidão em pleno século 20, com 20% da mão de obra alemã provindo de trabalho forçado.

Em 1919, recebeu do exército a missão de investigar o Partido dos Trabalhadores Alemães, fundado por Anton Drexler. Ao participar de uma reunião, surpreendeu os membros do partido com seu lendário talento para oratória. Saiu do exército e juntou-se ao grupo, que mudou o nome para Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães (ou Nazi) em 1921. Dois anos depois, Hitler e outros líderes acabaram presos após o fracasso de uma tentativa de golpe de Estado em Munique. Na cadeia escreveu Mein Kampf, autobiografia e programa ideológico que impulsionou sua meteórica carreira política. Em 30 de janeiro de 1933, tornou-se chanceler (primeiro-ministro) da Alemanha.

O führer rearmou o país, recuperou a economia e fez inúmeras obras públicas. Foi eleito "homem do ano" de 1938 pela revista norte-americana Time. Em setembro do ano seguinte, ordenou a invasão da Polônia, sabendo que isso significava ter França e o Reino Unido como inimigos. A máquina de guerra nazista começou a patinar entre 1942 e 1943, quando foi derrotada no Egito e Stalingrado, na URSS. A partir daí, a guerra se tornou defensiva e cada vez mais desesperada - como o avanço das tropas soviéticas dentro da Alemanha, até a derrota em 1945. Hitler uniu comunistas, liberais e conservadores contra seu projeto nacionalista e seu fracasso tornou patéticas práticas que eram aceitas nos anos 30, como a eugenia e o racismo.

"Hitler não apenas ajudou a criar o horror que foram a Segunda Guerra e o Holocausto, nos quais dezenas de milhões morreram. Ele alterou a paisagem política global para sempre", afirma o jornalista e autor norte-americano Jon Lee Anderson. A divisão do mundo na Guerra Fria e a chamada Cortina de Ferro surgiram dos acordos feitos entre os soviéticos e os aliados ocidentais Mas o horror também contribuiu para a criação da União Europeia e para o maior período de paz da história da Europa, que a propósito dura até hoje. Por fim, como suprema ironia histórica, o homem que pretendia acabar com todos os judeus contribuiu para que o Estado de Israel nascesse mais depressa como solução para a crise humanitária pós-Segunda Guerra. Foi sua maior humilhação.

O mundo sem ele

É provável que a maior contribuição de Adolf Hitler para a História tenha sido desacreditar suas próprias ideias. O nacionalismo se tornou anátema na Europa e hoje qualquer discurso nacionalista embute um gene nazista. Racismo e eugenia são práticas totalmente desacreditadas hoje. A cooperação entre os países aumentou de modo a evitar novas guerras, e seu maior resultado foi a criação da Organização das Nações Unidas. Por causa do esforço de guerra, os alemães contribuíram para a conquista do espaço. Os foguetes V2, desenvolvidos pelo alemão Werner von Braun, foram o primeiro passo para os programas espaciais dos EUA e da União Soviética. Há até uma estranha contribuição para a saúde. Os médicos nazistas foram os primeiros a pesquisar a relação entre o cigarro e o câncer. Para o professor da USP Francisco Alambert, se Hitler não tivesse existido, "o século 20 seria menos bárbaro e o fascismo cotidiano perderia grande parte de seu espetáculo".


CURRÍCULO

Nome: Albert Einstein

Nascimento: 14 de março de 1879, Ulm, Alemanha

Morte: 18 de abril de 1955, Princeton, Estados Unidos

Ocupação: Físico e pacifista

Albert Einstein

O pacifista que mudou a física e deu origem às armas nucleares

A física se divide em antes e depois de 1905. Entre março e setembro daquele ano, quatro artigos foram publicados no periódico científico Annalen der Physik, de Berlim. Um demonstrava a dualidade entre partícula e onda, provando que a física quântica descrevia fenômenos reais, não efeitos de laboratório - o que nem Max Planck, considerado o pai dessa ciência, acreditava. Outro mostrava que átomos também eram reais, e não abstrações úteis para explicar fenômenos misteriosos. O terceiro estabeleceu que a velocidade da luz é constante, independentemente da velocidade de quem a emite - o que acontece é que o tempo fica mais lento para quem se aproxima dessa velocidade. Essa é a teoria da relatividade especial, que batia de frente com a física newtoniana - até então, e por mais de 200 anos, chamada simplesmente de física.

O último artigo estabelecia a equivalência entre matéria e energia, uma das equações mais famosas da história da ciência, E=mc2, o que afetaria o mundo de forma bem direta, pois é simplesmente a origem da bomba atômica.

Einstein tinha apenas 26 anos e nunca havia dado aulas. Seu trabalho era avaliar patentes num escritório em Berna, na Suíça. Os quatro artigos do annus mirabilis foram produzidos fora do horário de expediente, longe de laboratórios, de colegas com quem discutir e até mesmo de uma biblioteca adequada. Para muitos historiadores da ciência, foi o mais brilhante trabalho amador da História. Rapidamente Einstein foi reconhecido por seus pares e ganhou o primeiro cargo de professor na Universidade de Berna, em 1908, mudando-se para sua Alemanha natal em 1914. Mas houve enorme resistência dos defensores da física clássica. Tanto que, em 1921, quando recebeu o Prêmio Nobel, foi por sua explicação do efeito fotoelétrico - a parte que prova a física quântica - e não pela relatividade, que ainda irritava muitos cientistas com essa história de ter que deixar para trás séculos de física newtoniana.

Einstein tornou-se rapidamente uma celebridade internacional, a encarnação viva do supergênio. A sua foto com o cabelo desgrenhado e a língua de fora tornou-se um ícone pop que rivaliza com a imagem de guerrilheiro de Che Guevara. Suas opiniões sobre qualquer tema apareciam nos jornais, como sua defesa da democracia, socialismo e pacifismo. Foi nessa condição que veio ao Brasil, em 1925, observar um cometa que justificaria sua teoria de gravitação.

Ele se tornou "um pacifista fundamental, hostil ao militarismo de sua era e um ícone do sentimento antiguerra que dura ainda hoje", como afirma o historiador britânico Richard Overy. Mas esse pacifismo tomou partido em 1933, com a ascensão de Adolf Hitler na Alemanha. Adotando os EUA como nova nação, Einstein se tornou partidário da guerra contra os nazistas. Em 1939, enviou uma carta ao presidente Franklin Roosevelt, alertando sobre a possibilidade do desenvolvimento de uma bomba atômica alemã. O gesto deu origem ao Projeto Manhattan e daí às bombas de Hiroshima e Nagasaki. Em 1954, ele diria ao amigo Linus Pauling que a carta a Roosevelt foi o maior erro de sua vida.

O mundo sem ele

Em 1905 e depois, Einstein respondeu a desafios da física que não foram levantados por ele próprio. Talvez outros físicos tivessem, anos ou décadas depois, chegado às mesmas conclusões. Mas o fato de Einstein ser judeu evitou uma possível tragédia. Os nazistas batizaram a física quântica e a relatividade de "física judaica" - além de Einstein, o dinamarquês Niels Bohr, outro pioneiro do universo quântico, também era judeu. No lugar da física moderna, propuseram o ensino da "física alemã", a mesma de Isaac Newton. Por isso, e pela fuga de cérebros causada pela perseguição, o programa nuclear nazista foi um fracasso - se alguém de olhos azuis fosse o autor de E=mc2, a história poderia ser diferente, e pior. As bombas atômicas também impediram a Terceira Guerra Mundial. Estados Unidos e União Soviética mantiveram uma paz tensa por medo da aniquilação mútua.


CURRÍCULO

Nome: Vladimir Ilyich Uliánov

Nascimento: 22 de abril de 1870, Simbirsk, Rússia

Morte: 21 de janeiro de 1924, Gorki, Rússia

Ocupação: Advogado, jornalista, escritor e revolucionário profissional

Vladimir Lenin

O fundador do primeiro Estado socialista levou a teoria à prática


Se Karl Marx deu as bases teóricas para a revolução socialista, até 1917 faltava alguém mostrar como fazê-la na prática. Havia muitos partidos que seguiam as ideias do filósofo alemão. Mas, em geral, eles concordavam com o que Marx havia dito sobre a evolução das sociedades: uma revolução proletária só poderia acontecer em um país com capitalismo avançado e um proletariado com consciência de classe, que faria a revolução sozinho. O advogado Vladimir Ilyich Uliánov deixou tudo isso de lado. Diferentemente de Marx, que não deu atenção aos países atrasados, Lenin era um grande crítico do imperialismo, que considerava a fase final do capitalismo. Ele acreditava que a revolução poderia ser feita, sim, em um país semifeudal como a Rússia, que recém havia abolido a servidão e tinha um proletariado minúsculo. Ele também imaginava que nenhuma revolução surgiria espontaneamente, mas que os trabalhadores precisariam de um partido de vanguarda, um bloco homogêneo e inflexível formado por revolucionários em tempo integral. Em 1897, Lenin foi preso e exilado para a Sibéria, por onde passa o Rio Lena - de onde vem o pseudônimo famoso. Em 1903, conseguiu formar seu grupo, a partir de um racha no Partido Operário Social-Democrático Russo. Os que apoiaram Lenin foram chamados de bolcheviques, a maioria. Os moderados, liderados por seu ex-colega Julius Martov, de mencheviques, minoria.

A primeira tentativa de revolução bolchevique foi em 1905, durante uma onda de greves, protestos e motins que tomou a Rússia após a derrota para o Japão na Guerra Russo-Japonesa. A revolução fracassou e Lenin foi para o exílio. Durante a Primeira Guerra, comprou briga com os socialistas do mundo inteiro, que apoiaram seus países no conflito. Lenin chamou a todos de traidores do proletariado, por defenderem uma guerra entre imperialistas. Mas foi o conflito que deu a ele sua grande oportunidade. Com as privações causadas pela guerra, em fevereiro de 1917 estourou outra revolução na Rússia. O czar abdicou e um governo provisório foi formado por uma coalizão entre liberais e socialistas. Conselhos (soviets, em russo) de trabalhadores e camponeses foram criados para defender a revolução. Disfarçado com uma peruca e de barba cortada, Lenin voltou à Rússia em agosto e conseguiu convencer os sovietes a se voltarem contra o governo provisório. Em 7 de novembro de 1917, a guarda vermelha de Lenin depôs o governo e deu início a uma guerra civil que duraria até 1923 e na qual padeceram, entre balas, fome e repressão brutal, 9 milhões de russos. Dessa forma traumática, nasceu a primeira nação marxista, oficializada em 1922. Em maio do mesmo ano, Lenin teve um derrame. Afastado do poder, passou seus últimos dias conspirando com Trotsky, sem sucesso, para evitar que Stalin fosse seu sucessor.

O mundo sem ele

É possível que os marxistas estivessem até hoje esperando as condições materiais estarem maduras o suficiente para a revolução socialista se Vladimir Lenin não tivesse tomado o trem rumo à estação Finlândia, em São Petersburgo. É difícil imaginar a história do século 20 sem a União Soviética ou qualquer outro país comunista. E a maneira de organização dos comunistas é obra de Lenin e de seu modelo de partido revolucionário, baseado no que chamava de "centralismo democrático", capaz de "liderar as massas contra a burguesia". O medo do comunismo fez com que quase todos os países democráticos, inclusive os Estados Unidos, aprovassem programas sociais e legislação trabalhista. Sem a insegurança gerada pelo risco do comunismo, a questão social ainda poderia continuar sendo tratada como caso de polícia. A causa anti-imperialista também teve em Lenin um de seus mais potentes defensores, e é possível que África e Ásia ainda tivessem colônias europeias sem sua inspiração nas lutas anticoloniais do século 20 - o socialismo foi o norte dos grupos envolvidos em processos de independência. A luta contra o comunismo tem seu lado sombrio em fatos como as ditaduras no Brasil e em outros países da América Latina, que colocaram os militares no poder por temor de governos esquerdistas. Para o professor Pedro Paulo Funari, "sem Lenin, talvez a Rússia ainda fosse uma monarquia atrasada até hoje".


CURRÍCULO

Nome: Iosif Djugashvili

Nascimento: 18 de dezembro de 1878, Gori, Geórgia

Morte: 5 de março de 1953, Moscou, Rússia

Ocupação: Revolucionário profissional, secretário-geral do Partido Comunista da União Soviética

Josef Satalin

O tirano que industrializou um país feudal e derrotou Adolf Hitler

A carta-testamento de Lenin, escrita no início de 1923, tem a seguinte passagem: "O camarada Stalin, tendo se tornado secretário-geral, tem autoridade ilimitada concentrada em suas mãos, e não tenho certeza de que sempre irá utilizá-la com suficiente prudência". Se a carta não tivesse aparecido só depois da morte de Lenin e prontamente suprimida, as vidas de 4 milhões a 60 milhões de pessoas, dependendo de qual historiador consultado, talvez tivessem sido poupadas. É possível gastar milhares de páginas tratando das atrocidades de Stalin. Mas, em uma frase, ele mudou a história.

Quando se juntou aos bolcheviques em 1903, Iosif Djugashvili era conhecido por ser um revolucionário de ação. O assalto a banco que comandou em Tiflis, na Geórgia, em 1907, por exemplo, causou 40 mortes - Stalin ("feito de ferro") era o codinome que usava em ações assim. A partir de 1917, começou a ganhar posições dentro do partido comunista, até tornar-se secretário-geral do PC da União Soviética, em 1922. Enquanto Lenin acreditava que a URSS só sobreviveria se conseguisse exportar a revolução, Stalin lançou a doutrina do "socialismo em um só país". Dizia que era possível a União Soviética sobreviver sozinha. E acabaria por provar isso - mas, antes, precisou transformar a Rússia de um país agrícola retrógrado em uma potência industrial.

Stalin era sincero em sua crença no socialismo. Para acalmar os ânimos da população, Lenin havia admitido um pouco de capitalismo na União Soviética ao formular a Nova Política Econômica, de 1921, que permitia pequenos negócios e propriedades rurais. Após eliminar qualquer oposição a seu poder absoluto, em 1928 Stalin lançou seu primeiro Plano Quinquenal, estatizou a agricultura e deu início a uma gigantesca campanha de industrialização, tentando superar o que ele chamava de "50 a 100 anos de atraso" da Rússia. A coletivização da agricultura causou revoltas, repressão brutal aos pequenos proprietários e uma fome que matou milhões de soviéticos, especialmente na Ucrânia. Mas sua campanha industrial fez a economia russa crescer incríveis 2 425% entre 1928 e 1937, uma década que no resto do mundo foi abalada pelo crash da Bolsa de Valores de Nova York.

Em 1939, União Soviética e Alemanha assinaram o Pacto Molotov-Ribbentrop, um acordo secreto de não agressão. Em junho de 1941, Hitler rasgou o tratado e invadiu a União Soviética, pegando Stalin de surpresa. No fim do ano, as forças nazistas estavam a apenas 32 km de Moscou. Stalin permaneceu no Kremlin e liderou pessoalmente a resistência. Foi salvo por um gigantesco deslocamento de tropas que socorreram a cidade vindas dos confins da Sibéria. A resistência em Moscou e em outras cidades soviéticas, como Stalingrado, inverteria a situação nos dois anos seguintes. Em 1945, as tropas soviéticas marchavam sobre Berlim. O avanço militar das forças de Stalin foi seguido pela divisão política da Europa - todo o leste, com exceção da Grécia, ficou sob a órbita soviética até o fim da URSS, em 1991. Na conta de Stalin pode-se pendurar o atraso colossal da biologia e das artes durante seu longo governo, destruídas por seus zelosos comissários. Mas ao virar o rumo da guerra quase sozinho ele salvou o mundo do nazismo.

O mundo sem ele

A União Soviética seria com certeza um lugar mais agradável de viver. E isso duraria até ser conquistada pela Alemanha nazista, que considerava os eslavos um povo inferior, naturalmente vocacionados à escravidão. O algoz também poderia ter sido o Japão imperial, que tinha planos para atacar o país, mas desistiu quando o ensaio da invasão, uma batalha na Mongólia, em 1939, falhou miseravelmente diante dos tanques e aviões russos, fruto da indústria pesada que acabara de ser criada por Stalin. Ou ainda pelos Estados Unidos depois da Segunda Guerra, se o ditador não tivesse conseguido a bomba atômica com a ajuda de seus espiões. A força da União Soviética na Segunda Guerra não pode ser subestimada. Sem Stalin, o nazismo teria dominado tudo, da Sibéria até a França, e daí, quem sabe, o resto do mundo. Como afirma Pedro Paulo Funari, "a URSS não teria sobrevivido por tantas décadas nem teria havido Guerra Fria".


CURRÍCULO

Nome: Mao Tsé-tung

Nascimento: 26 de dezembro de 1893, Shaoshan, China

Morte: 9 de setembro de 1976, Pequim, China

Ocupação: Militar, revolucionário, escritor, presidente do Partido Comunista da China

Mao Tsé-Tung


Um pequeno homem comanda o despertar do gigante chinês

A China moderna, único país candidato a ameaçar a hegemonia econômica norte-americana, nasceu das ações de Mao Tsé-tung. Ele tirou o país do "século de humilhação", que vinha desde a derrota para o Reino Unido na Primeira Guerra do Ópio, em 1842. Durante esse período, a China - que por boa parte da história foi a sociedade mais organizada e tecnologicamente avançada do planeta - acabou dominada por potências estrangeiras e ficou sem Estado, fragmentada entre senhores da guerra. Ao se divorciar da União Soviética, nos anos 60, Mao partiu o comunismo em dois. Mas isso deu um novo fôlego a muitos comunistas pelo mundo, pois a União Soviética era associada aos crimes de Stalin e a uma burocracia envelhecida, corrupta e sem fervor revolucionário. O engajamento da juventude contra as gerações anteriores foi inspiração até para as passeatas de Maio de 1968 na França. A guerrilha de esquerda, a estratégia maoísta na Guerra Civil Chinesa, fez história na América Latina. Ao aceitar a visita do presidente norte-americano Richard Nixon, em 1972, o ápice da "diplomacia do ping-pong", Mao finalmente abriu o país ao exterior e deu o primeiro passo para transformá-lo no que é hoje.

Mao, "para o bem ou para o mal, unificou a nação ancestral da China, pavimentando o caminho para a eventual emergência do país de séculos de isolamento", como afirma o jornalista e escritor norte-americano Jon Lee Anderson. O "para o mal" não pode ser subestimado. Entre 30 milhões e 70 milhões de mortes são atribuídas à repressão e às experiências sociais de Mao, o que, em números absolutos, configura a pior matança da história.

Filho de fazendeiro, Mao foi um dos membros fundadores do Partido Comunista Chinês, em 1921. O partido logo se aliou aos nacionalistas, o Kuomintang, em campanha para reunificar o país. Em 1927, os nacionalistas traíram a aliança e massacraram 400 comunistas em Xangai, iniciando uma guerra civil que terminou com a fuga do Kuomintang para a ilha de Taiwan, em 1949, e a ascensão dos comunistas ao poder, onde, diga-se, se mantêm até hoje.Em 1958, Mao deu início ao "Grande Salto para a Frente", uma tentativa de desenvolver a China sem auxílio soviético. A fome, causada pela coletivização e o desvio de mão de obra para a indústria, estima-se, matou entre 20 milhões e 40 milhões de pessoas no país.

Com sua posição enfraquecida no Partido Comunista, em 1966, Mao decidiu voltar a população contra os dirigentes. A sua chamada Revolução Cultural instigou os jovens contra a burocracia do partido e tudo o mais que parecesse velho, tradicional ou ocidental. Com estudantes secundaristas atacando templos, livros e pessoas, principalmente professores e intelectuais, a China mergulhou no caos. A morte do Grande Timoneiro, em 1976, levou a um período de luta interna, que terminou em 1978, com a vitória do reformista Deng Xiaoping, que abriu o país ao capitalismo. Deng, para quem "enriquecer é glorioso", disse que Mao estava "70% certo, 30% errado". A China hoje é um híbrido de comando político comunista e economia capitalista.

O mundo sem ele

Se a China fosse liberada pelos nacionalistas, talvez tivesse um destino parecido ao de Taiwan, um dos Tigres Asiáticos - países da região que se desenvolveram rapidamente no final do século passado. Mas dadas suas proporções e desafios colossais - antes de Mao Tsé-tung, o país era uma caricatura de nação que mal conseguia alimentar sua população - não há garantias. Outra questão é se a China fundada no nacionalismo militarista de Chiang Kai-shek, cheia de ressentimentos contra a União Soviética, o Japão e o Ocidente, não seria uma ameaça à ordem mundial. A Coreia do Norte certamente não existiria, já a intervenção chinesa na Guerra da Coreia garantiu a continuidade do regime comunista. "Sem Mao não haveria a China que o capitalismo resolveu adorar", diz Francisco Alambert, da USP.
CURRÍCULO

Nome: Abraham Lincoln

Nascimento: 12 de fevereiro de 1809, Hardkin County, Estados Unidos

Morte: 15 de abril de 1865, Washington, Estados Unidos

Ocupação: Partidor de tábuas, advogado, congressista e presidente dos EUA
Abraham Lincoln

O presidente que libertou os escravos e salvou os EUA

Não é segredo que políticos fazem promessas que não pretendem cumprir. Ao menos uma vez na História, o mérito de um grande político esteve justamente em ignorar suas promessas. Em 1859, Abraham Lincoln falou a uma plateia em Cincinnati, Ohio: "Não tenho qualquer propósito de interferir diretamente ou indiretamente com a instituição da escravidão nos estados em que ela existe". Repetiu o mesmo discurso em outras ocasiões. Em sua carreira, havia feito de tudo para tornar mais difícil a escravidão, instituição que frequentemente comparava a um "câncer". Também dizia que a frase na Declaração de Independência dos Estados Unidos, "todos os homens são criados iguais", se aplicava aos negros, ideia chocante para muitos na época. Essa postura ambígua fez com que seu adversário na eleição para o Senado de 1858, Stephen Douglas, o chamasse de "duas caras". A réplica rendeu uma das boutades mais famosas de todos os tempos: "Se tivesse mesmo duas caras, por que o senhor acha que eu estaria usando esta?"

Contemporâneos notaram o quanto Lincoln era feio e malvestido, como sua voz era esganiçada. Mas o esquisitão era de fato a encarnação do sonho americano. Nascido numa família de agricultores analfabetos, tornou-se advogado estudando por conta própria sem ter concluído o ensino fundamental. Foi eleito deputado em 1846. Os debates durante a campanha ao Senado tornaram Lincoln conhecido no país inteiro. Em 6 de novembro de 1860, elegeu-se presidente, sem receber um único voto de delegados do sul do país. A Carolina do Sul declarou secessão em 24 de dezembro, antes mesmo de ele assumir a cadeira, em março do ano seguinte - quando mais seis outros estados escravistas diziam ser parte de outro país, os Estados Confederados da América.

Em 12 de abril, um ataque confederado a um forte na Carolina do Sul deu início à Guerra Civil Americana, primeiro conflito industrial da História, que causaria 750 mil mortes de combatentes - quase o dobro do que o país perderia na Segunda Guerra. Lincoln aproveitou as condições extremas para quebrar sua promessa e levar adiante a abolição, primeiro nos estados reconquistados, em 1863. E no resto do país em 1865. Sua terra natal, o Kentucky, era um dos estados que lutaram pela União e que ainda tinha escravos. A vitória das tropas da União tiveram reflexo até mesmo na História do Brasil. Um grupo de confederados buscou asilo no país, com as bênçãos do imperador dom Pedro II. Instalaram-se em São Paulo, onde tempos depois fundaram a cidade de Americana.

Um dos planos de Lincoln era instituir um amplo programa para integrar a população negra. Não viveu para isso. Em 14 de abril de 1865, cinco dias após a rendição dos confederados, o fanático pró-escravidão John Wilkes Booth disparou contra ele no Teatro Ford, em Washington. Lincoln morreu no dia seguinte, como o maior presidente da História dos Estados Unidos. Segundo Francisco Alambert, da USP, "o exemplo perfeito do `bom homem norte-americano¿; e do `bom homem norte-americano¿ saiu muito do melhor e muito do pior do mundo moderno". Exemplo que abriu caminho para a luta dos negros, de Martin Luther King a Nelson Mandela.

O mundo sem ele

O fato de os Estados Unidos se dizerem a terra da liberdade enquanto tinham escravos era uma hipocrisia que não passava despercebida por outros países. O fim da escravidão e a guerra civil marcaram a refundação do país, que deu início a uma segunda luta, a dos direitos dos negros, com as últimas leis racistas nos Estados do sul abolidas em 1965, após uma longa campanha pelos direitos civis. A luta dos negros americanos inspirou e deu ideias a movimentos similares no mundo todo, inclusive no Brasil. Sem Lincoln, é possível que a escravidão continuasse até o século 20 tanto lá quanto aqui - e a situação dos negros certamente seria pior. Os Estados Unidos provavelmente seriam um país mais atrasado, agrícola e isolado, não a potência industrial que interveio no mundo em momentos críticos, como na Segunda Guerra. Isso se continuasse unido depois da Guerra Civil. "Sem Lincoln, talvez não houvesse um país unificado", diz Pedro Paulo Funari.

Fonte: http://guiadoestudante.abril.com.br/aventuras-historia/10-pessoas-mudaram-mundo-seria-humanidade-elas-767639.shtml