quarta-feira, 28 de maio de 2014

...



Quando nos damos conta que estamos convivendo com um familiar dependente quimico, não temos a idéia do que virá em nossas vidas
É uma doença muito complexa embora tenha muitos pontos em comum entre os envolvidos, porém não  existe um caminho, uma cura o que existem são TENTATIVAS, vamos a alguns pontos:

- O dependente quimico com o passar do tempo geralmente apresenta tolerância a sua droga de preferência o que leva a aumentar a quantidade e frequência do uso
- O cérebro é modificado , a droga passa a fazer parte do funcionamento do cérebro, clique no artigo ao lado para entender: Drauzio Varella
- Existem alterações em seus comportamentos: agressividade, depressão, agitação, insônia, alternância de humor (não necessariamente todos juntos)
- Geralmente vivem no auto-engano, repetindo a si mesmo que ainda controlam o uso da droga
- Aonde tem um dependente químico existem os CODEPENDENTES, para entender mais clique no artigo ao lado Codependência
- Os codependentes passam de alguma forma a ter suas vidas condicionadas a do seu familiar dependente quimico, existem vários graus de codependência, de maneira geral resumo ser codependente é depender de algo ou de alguém para se sentir bem e normalmente apresentamos os mesmos comportamentos citados acima do dependente químico.

Os tratamentos abordados para a dependência química incluem: internação, remédios, grupos de auto-ajuda, tratamento psicológico,  psiquiátrico e espiritualidade

Os tratamentos para os codependentes incluem: remédios, grupos de auto ajuda, tratamentos psicológicos,  psiquiátrico e espiritualidade (bom ainda não inventaram clinica para codependente..rs.)

São transtornos parecidos que formam um circulo vicioso, o dependente precisa da droga, o codependente precisa do dependente e assim sucessivamente

Uma das formas de se TENTAR quebrar esse vinculo é interrompendo uma das partes, ou o dependente químico para de usar drogas ou o codependente para de correr atras do dependente.

Quando o ciclo é quebrado, caso não haja substituição por outra pessoa que represente o mesmo papel, o combustível que alimenta as duas doenças tende a acabar aumentando assim as chances de recuperação de ambas as partes.

Lembrando sempre que não existe um caminho certeiro o que existe são TENTATIVAS, e precisamos aprender a conviver com essa realidade, como no tratamento de qualquer doença progressiva as chances de recuperação total não chegam a 100%.ISSO É UM FATO DOLOROSO, MAS PRECISAMOS APRENDER A ACEITAR ESSA REALIDADE.

Infelizmente ainda existe muita desinformação, muito preconceito, muito tabu e miticismo em cima dessas doenças.

Ainda vemos o amor de forma distorcida e USAMOS esse sentimento para justificar ações que perpetuam o sofrimento de ambos.

O caminho é doloroso, pois se trata de mudanças, além de mudanças de comportamento, precisamos rever conceitos e quebrar tabus, ir de contra muitas vezes a nossa cultura e ir de contra alguns preceitos religiosos mais radicais.
Tudo isso gera medo e insegurança, porque nos mostra que nossas verdades podem estar equivocadas isso meche no nosso orgulho o que dificulta a aceitação de novos fatos.

A chave pra recuperação está na HUMILDADE, SINCERIDADE E PERSISTÊNCIA.

Humildade para aceitar-se imperfeito e de verdade reconhecer seus próprios erros
Sinceridade principalmente consigo mesmo, para não cair no auto-engano que nós mesmos nos colocamos
Persistência para continuar a modificar o que realmente podemos NÓS MESMOS

Deixo uma reflexão: AMOR É TOTALMENTE O CONTRÁRIO A TODO E QUALQUER SENTIMENTO QUE CAUSE DOR.

Se existe sofrimento falta amor e geralmente o amor que falta nesse tipo de relacionamento é o AMOR PRÓPRIO.

Bom dia, fiquem com Deus




NAMASTÊ



3 comentários:

  1. kel, olha que interessante este texto sobre nossos pensamentos:

    O pensamento é incessante, flui quase sempre à nossa revelia; não nos tornamos cônscios do nosso pensamento.
    Elabora-se suscitado por nossas reações emocionais no dia-a-dia, consubstanciando respostas àquilo que vemos, ouvimos, cheiramos, tocamos e degustamos.
    São reações aos vários desafios que vivenciamos nas nossas relações com as pessoas, coisas, eventos.
    Se empenhados, interessados, poderemos observá-los com atenção (esta é a maravilha da mente humana: ela pode observar-se a si mesma em pleno funcionamento) no exato momento da sua função; quando empenhados nisso, vemos os nossos pensamentos, assistimos ao seu desenrolar, ao seu ordenamento e condicionamento, tendo dele um percebimento preciso. Vemos o quanto ele direciona o nosso comportamento, dirige-nos, determina a nossa conduta habitual.
    Avulta-se em nós às coisas que nos prendemos, desde que nascemos ou que inventamos, como se dissimulam e se mascaram, justifica-se, condena-se.
    Na intensidade da compreensão disso tudo, cessa o seu império; se tenho uma viciação, um hábito nocivo, posso percebê-lo, compreendê-lo, e a luz da compreensão cessa a sua turbulência sobre mim.
    Temos de nos conhecer intimamente, globalmente, na inteireza do nosso ser psicofísico: nossos impulsos e reações, desejos e frustrações, anseios e apatias, preguiça ou atividade febril, força e poder; desindentificando-nos, sem fragmentações psicológicas, sem projeções.
    O perfeito conhecimento das nossas emoções e pensamentos é condição básica da nossa saúde, ou de pronto restabelecimento quando enfermos.
    Os pensamentos geram saúde ou toxinas no organismo de acordo com a sua espécie. Os pensamentos de maldade, medo, ódio, invejam afetam as funções normais do organismo influem sobre as secreções, geram venenos e têm como resultado a doença. Os pensamentos de alegria e bondade, dão, realmente, saúde e alegria a quem os têm.
    Pensar bem, portanto, é fator de vida que propicia o desenvolvimento, a conquista da vida.
    Porque procede da mente que tem a sua sede no ser espiritual, o pensamento é força viva e atuante, portanto exteriorização da Entidade eterna. Conforme seu direcionamento manifesta-se, e sua educação é relevante, fator essencial para enfrentamento dos desafios e encontro de soluções.
    Em razão do mau hábito de pensar, os indivíduos asseveram que tudo quanto pensam de negativo lhes acontece, e não se dão conta que são eles próprios, os responsáveis pela própria criação mental que anelam inconscientemente. Alterassem a forma de encarar a vida e de pensar, e tudo se modificaria, tornando a existência mais apetecível e positiva.

    ResponderExcluir
  2. é bem por ai Lu..por isso digo que é simples mais não é fácil...rs..pq requer uma mudança completa de comportamento...começando pelo fato de nos assumirmos imperfeitos e parar de julgar o próximo...se cada um tomasse realmente conta de sua vida...o mundo seria melhor..rs

    ResponderExcluir
  3. Oi Kel. Sempre que eu lia frases do tipo: "o amor só traz alegria, se não traz, não é amor." "Se você sofre por amor, não é amor."
    Eu sempre achei errado esse tipo de frase, porque afinal, eu amo muito o meu querido adicto, mas eu sofro mesmo assim.
    Agora essa frase que você escreveu: "Se existe sofrimento falta amor e geralmente o amor que falta nesse tipo de relacionamento é o AMOR PRÓPRIO." Essa sim é verdade. Falta de amor próprio do dependente que usa a droga, e falta de amor próprio do codependente, que nega a si mesmo pelo outro.
    Deus mesmo disse: Amem aos outros, como a si mesmos.
    Que posso dizer? Aprender a amar a si requer uma grande humildade. É muito mais fácil aceitar o erro do outro do que os seus.
    Que a gente possa ter essa humildade de nos aceitar como somos.
    Beijos.
    (recuperacaoepossivel.blogspot.com.br)

    ResponderExcluir