segunda-feira, 17 de março de 2014

o Amor



O amor...

Como usamos esse sentimento?

Sim usamos, nós seres humanos ainda não estamos preparados pra viver o amor em sua plenitude, aquele incondicional, que não exige nadinha em troca, estamos aqui nesse mundo lutando pra compreender e experimenta-lo, mas daí achar que somos capazes, não acredito, somos imperfeitos, como podemos amar de forma plena, perfeita.
Eu oscilo demais de emoção, do amor ao ódio.
O que já algum tempo tento passar aqui no blog, mas não consigo devido a confusões de sentimentos que por vezes expresso, é que realmente há muitos anos atrás eu não sofro mais pelas más escolhas de quem amo
Eu sofro pelas minhas más escolhas, por não conseguir respeitar os meus limites, olha bato cabeça heim!!!
Venho tentando, e lutando há mais de dois anos pra me salvar de mim mesma, todas as vezes que eu quis "salva-lo", foi principalmente pra ME SALVAR, pra não ter que dar de cara com a dor do fracasso de não conseguir dizer eu não quero mais
Esse "eu não quero mais", precisa estar coerente com meus sentimentos, pois preciso de muita firmeza pra agir, além de dizer o não, eu preciso praticar o não, impor o não, repetir o não com força, as vezes até física, isso me cansa, eu me desarmo e quando percebo sinceridade em seu olhar, mais uma vez me entrego, até a próxima batalha.
Hoje entendo por desligamento emocional, algo maior do que não parar minha vida ou manter minha serenidade pelas escolhas erradas de alguém.
Hoje o que quero e não desistirei de buscar é a minha paz...luto pela minha e somente minha PAZ

NÃO DESISTO.

Final de semana foi um inferno, eu mandando ele embora e ele plantado na sala de casa, eu ignorando e ele continuando plantado.
Foi ao grupo domingo, depois foi em casa tipo: olha já fiz o que vc quer agora cumpre com sua parte, resultado mais discussões.
Depois de um surto meu, ele parou, entendeu, ficou quieto.
Ai eu olho pra ele e sou traída pelos meus próprios sentimentos, aquele ódio e aquela determinação vão embora, somem em segundos e tudo o que volta são a esperança de podermos ser felizes denovo.

Até quando viverei assim?
Sinceramente não sei, contínuo na busca que iniciei a mais de um ano e meio atrás quando sentei em uma sala de NARANON e disse, eu vim aqui por quero usar as ferramentas e passos pra me conhecer e poder lidar melhor com meus sentimentos.

Os caminhos se desviaram um pouco, mais não desisto, continuo na busca

JAMAIS DESISTIREI DE MIM MESMA

Um bom dia e fiquem com deus

4 comentários:

  1. Um terapeuta, na primeira clinica que internamos meu filho, dizia incansavelmente: "corta o cordão umbilical emocional"...e eu achava que estava entendendo e tentava fazer esse corte do meu jeito. Muita agua passou por baixo da ponte....hoje entendo um tantinho a mais e provavelmente ainda vou aprender muito muito; mas hoje vejo que eu tentava segurar e segurar com meu amor, que eu tentava ver sentimentos no olhar que eram apenas o reflexo do meu sentimento...eu via um espelho. Hoje eu deixei ir porque nada nem ninguém pode salvá-lo e meu amor menos ainda. A salvação só pode vir de dentro dele mesmo e isso acontecerá se eu não atrapalhar....hoje ele está um passo mais perto de si mesmo porque eu saí do caminho, deixei ele caminhar, um dia ele pode voltar, quem sabe, mas isso sim partirá de dentro dele e será sincero e verdadeiro. Se nunca voltar....terei que ser feliz da minha forma, e mais ainda se souber que ele é feliz....
    Janete

    ResponderExcluir
  2. Se vc oscila tanto entre o odio e o amor, se vc se sente traída pelos seus sentimentos, se as atitudes dele mexem tanto com vc isso significa que o desligamento emocional não tá funcionando né? Vc tá se respeitando? Parece que o seu marido sempre te vence no final e assim ele acaba achando que não precisa mudar, já que vc sempre cede...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. sim eu reconheço isso...foi exatamente o que escrevi....é uma fraqueza que estou trabalhando...chega de querer dar uma de eu posso se ainda tenho dificuldades, pode até interpretar como comodismo pra permanecer no lugar, mais não, é humildade em saber que ainda, veja bem AINDA eu não consigo..mais vou conseguir

      Excluir
  3. Desculpe...mas talvez hoje não sou a melhor pessoa a dar algum conselho, pois sou e estou exatamente como vc. Quero dar um fim nisso tudo...quando estamos juntos e tudo volta a ser como antes, fico me sentindo uma burraa e falando comigo mesma, burrraaaa, porque nao deixou como estava, porque mais uma vez trouxe ele pra dentro da sua casa, porqueee e os porquesss nao terminam. Eu me arrependo de ter reatado. Ele sugaaa todas minhas energias, ele está insuportável, não sei se é porque há dois meses nao usa nada ou porque é chato mesmo. Mas eu queria dizer nao, eu necessito dizer não, ele precisa de um nao mesmo que seja definitivo, o nao meu pra ele é sim sim e sim. Eu me odeioooo e por vezes odeiooo ele. To cansada assim como vc e por mais que exista a possibilidade de uma recuperação, só se dá quando a pessoa quer e o meu está limpo e nao em recuperação, ele nao vai a igreja, ele nao vai a na, ele nao faz terapia, ele é o super homem, o bonzao, que para quando quer. A minha vontade é chegar em casa e "meter o louco" igualzinho quando eles metem e acabar com essa vida miseravel de ficar querendo migalhas de amor...casamento é dois e nao um....chega de tentar, de perdoar, de aceitar, de desculpar. Desculpe....mas me identifiquei muito com sua publicaçao, nao estou querendo passar nada negativo, mas é somente um grito de uma alma que grita por socorro.

    ResponderExcluir