segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

instabilidade Emocional



" Se você usou de todo esclarecimento possível, mas inutilmente, trate a questão na base do amor. O amor é sentimento que sempre resolve porque toca por dentro. Amando, ouvindo as razões e jamais se encolerizando, você consegue chegar a consciência, ao íntimo humano e obter transformações até mesmo além do esperado. Faça sua amorosidade vibrar na voz, no olhar, nos gestos. Aquiete-se quando não for compreendido ou se refugie na oração. A oração faz o que nada e ninguém mais consegue fazer. Não guarde magoas. O problema perde força quando encontra o amor"

Essa mensagem foi que que li assim que abri o livro e me emocionou, mesmo pq antes de abrir sempre faço uma prece e dessa vez pedi ao Papai do Céu: Da uma ajuda mais alivia vai sem martelo...rs...e ele me mandou essa linda mensagem.

A instabilidade emocional reinou ontem, minha e dele...ele se desequilibrou e eu reagi me desequilibrando...sábado apesar de não temos feito nada demais, ficamos em casa, o dia foi bom, leve, em paz, já domingo logo cedo tudo começou por nada.




Uma ligação que eu não fiz, mesmo porque até então eu pensei que ele havia ido pra igreja, deu abertura pra um domingo cansativo, que terminou com palavras que feriram um ao outro....infelizmente...mais também já sei que não sou perfeita e que não sou Buda e nem Jesus....faz parte...não me culpo e nem o responsabilizo, foram minhas emoções que me dominaram ao invés de eu domina-las.
Lendo o livro: Ansiedade Como enfrentar o mau do século? do Augusto Cury, pude aprender um pouco sobre como os pensamentos influenciam as emoções e como se não aprendermos a gerenciar nossos pensamentos nossa vida vira um caos.

Pois é lendo o livro me identifiquei como quem tem um pensamento flutuante e autossabotador, ou seja vou do céu ao inferno num piscar de olhos e ainda fico me culpando por isso...maluca né..kkk

Já o Dú...identifiquei como quem tem seu emocional envelhecido e imaturo, segundo o autor um dos mais dificeis de ser trabalhado..kkkk...pois a pessoa com o emocional envelhecido tende a ser pessimista e não ver felicidade em nada, e além disso sua imaturidade traz consigo o imediatismo, o não aceitar ouvir um não, não saber lidar com frustrações, etc, etc....

Kkkk fu$#u...kkkkk

Pois é precisamos de ajuda..kkkk....ai alguém conhece uma clinica pra codependente? Manda o resgate vir me buscar...como eu precisava de um "time"..kkkk

Mais é isso, agora, só por agora eu to leve e em paz, sem peso no coração, sem culpas, sem magoas, sem rancor, sem tristeza, estou leve outra vez...

Um bom dia a todos vocês e fiquem com Deus


6 comentários:

  1. Bom dia amore....lembre-se que vc é humana e está lidando com algo muito complicado. Mas lembre-se tb que não tem como medir ou classificar um DQ dentro dos padrões conhecidos, porque neles as áreas do cérebro responsáveis pelas emoções foram alterados. É como eu disse, para ver com clareza a gente precisa dar alguns passos para fora do labirinto....de dentro não conseguimos ver nada.

    Bjussss

    Janete

    ResponderExcluir
  2. vdd madrinha...nesse livro que li...explica a formação de pensamentos...e como as pessoas se aprisionam dentro de sua própria mente, no caso do DQ, ou do Du...mesmo...o q até então enxergo...ele criou no seu cérebro a tal das janelas killer...que viraram uma prisão...e realmente olhando de "fora" quando consigo não me envolver emocionalmente...seu comportamento é um ciclo que da inicio em seus pensamentos...ele ta bem...então seu cerebro começa a ler as tais "janellas killer"...os pensamentos começam a se tornar repetitivos (a não aceitação da realidade atual dele) então as "janelas Killer" já gravadas em seu cérebro indicam a saída do seu "sofrimento" o uso de drogas...essa tem sido a vida dele há anos...vivencia situações as quais não sabe lidar e usa drogas...agora o que formou essas "janelas killer" em sua mente...foi sua vida a forma com que seu EU registrou os fatos...desde a infância...e quando ele entra nessa rede de "janelas killer", todas as "janelas light" (são as que gravam as coisas boas digamos) se fecham...impedindo que ele enxergue outra saída...ta ai escravo da própria mente....ja eu tb...por alguns motivos e varios acontecimentos da minha vida a forma com que meu EU gravou as situações em meu cérebro, me fazer ser como sou...o bom é que já reconheco que tem algo e to buscando ajuda...alias eu busco essa ajuda que seria o autoconhecimento a mais de um ano e meio, mais infelizmente não deu pra desenvolver isso através dos 12 passos...to correndo atrás da terapia agora...rs

    ResponderExcluir
  3. na verdade o autor Augusto Cury, diz que quando entra a dependencia quimica eles formam "janelas killer duplo P", ou seja, mais poderosas...eles vivem em uma prisão emocional...como ele diz...vivem em masmorras dentro de si mesmos...isso é horrivel...e também como ele diz...a pessoa precisa querer, porque senão, não existe terapia que resolva...isso é até fácil de entender na teoria...o dificil é saber vivenciar a pratica, porque tb somos humanos e tb temos nossas prisões emocionais...das mais diversas possiveis..eu acredito no q ele diz...o mundo atual e a forma em que a sociedade se desenvolveu, fez um mundo de pessoas adoecidas

    ResponderExcluir
  4. Olha esse texto da Darléa Zacharias (DQ em recuperação ha 11 anos) como ilustra isso:

    Santa inabilidade..
    ...Naquele dia, riamos muito, contávamos histórias e dizíamos o quanto aqueles momentos estavam sendo maravilhosos e como era forte e bonito o sentimento que nos unia. Então, depois de conversarmos bastante, decidi buscar um café na cozinha, no trajeto, fui pensando algumas coisas, o meu semblante foi fechando e o o meu humor, começou a mudar, e aí, a minha mente começou a me dizer que aquela pessoa adorável, já não era mais tão confiável e legal...
    Quando voltei, cadê? A pessoa bacana, que eu tanto gostava,havia evaporado de dentro do meu coração! Eu já estava diferente, inábil, indiferente, desconfiada, estranha e cheia de sentimentos ruins... Não queria mais falar com ela, muito menos, vê-la! Eu, hein? -pensei, praticamente em voz alta! Alguma coisa estava errada! Porque, não posso amar e admirar tanto em um minuto, e odiar profundamente no instante seguinte! Precisei rever o que pensei às pressas,e identificar o meu sentimento, para modificá-lo. Tive que mandar a minha mente mentirosa ficar quietinha, e analisei a situação calmamente, praticamente em espírito de oração, e entendi que o problema era eu...Era novamente aquela velha forma de receber informações deturpadas e distorcidas entrando em ação. parti em disparada para resgatar o meu amigo daquele calabouço secreto, onde entulho o meu lixo emocional. Aquele lugar odioso e fétido, onde condeno e abandono (sem direito de defesa) aquelas coisas e pessoas que não sei lidar... Se tivesse dado ouvidos às mentiras que a minha mente me contou, teria, impiedosamente, o ignorado e, o deixado, inocentemente, morrer por lá, sem ao menos oferecer a oportunidade de entender o que foi que ele, de fato, me fez...

    Darléa Zacharias


    (Janete)

    ResponderExcluir
  5. Ai ai ai...
    Falou em instabilidade emocional, gata???
    Tamujuntas...

    Essa é uma das coisas que mas luto contra mim mesma.
    Como dói!

    bjs!

    ResponderExcluir