terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

familia e Adicção




Bom dia galera!!

Esses dias aconteceram algumas coisas que eu consegui olhar de uma maneira diferente, situações as quais sempre se repetiram, mais hoje consigo olhar sem misturar sentimentos como a raiva, a culpa, a magoa.

Esse final de semana meu filho dormiu na avó, o Dú estava lá e pode ficar com ele, embora ele esteja indo a sala de NA, a igreja, a doença dele não tem cura e sinceramente ele ainda nem desintoxicou, deve estar há uns 10 dias limpo, ou se minha desconfiança se confirmar, a menos de 24 horas.
Ele não tem equilíbrio emocional algum pra enfrentar as situações da vida, sim os defeitos de caráter são dele, porém com a doença da adicção, modificando o seu cérebro fisicamente(produzindo hormônios descontroladamente, o levando da euforia à depressão) isso o faz ser uma pessoa muito difícil de se conviver, comparando-se a um adolescente mimado, birrento, e nervosinho, esse é ele hoje.
A recuperação virá se ele primeiro ficar limpo e depois passar a trabalhar sua mudança interior, melhorando os defeitos e trabalhando suas qualidades, mas enquanto isso não acontece..sim a família tem que estar preparada para lidar com as situações que iremos enfrentar.

Domingo ele deu uma crise de ciúmes e começou a remoer magoas da sua segunda internação dizendo que eu o trancafiei lá, sendo que ele foi por vontade própria e me implorou pra interna-lo, como aprendi que não adianta discutir com quem tem cabeça feita, eu o relembrei do pedido dele, o que não adiantou nada e ignorei...segui o conselho de uma senhora que certa vez me disse assim: Se vc perceber que não tem conversa com ele, apenas diga, se vc se acha com a razão pois então fique com ela e com sua consciência, porque eu não discuto mais esse assunto e fica quieta, sai de perto se preciso...foi o que fiz...fiquei quieta...e rezei muito pro PS não deixar a raiva tomar conta de mim, pq essas horas me da vontade de da umas palmadas..kkk..deu certo...passou e o resto do domingo seguiu tranquilo, embora eu visse no olhar dele a insatisfação com a própria vida..sinais de depressão, sinais da doença desequilíbrio dos hormônios no cérebro..enfim...entrego o que não cabe a mim resolver...nas mãos do PS.
Tenho levado meu filho para fazer acompanhamento psicológico, e ontem foi sua última consulta, fiquei feliz e aliviada, o parecer da psicologa foi: seu filho é um menino muito carinhoso, comunicativo, obedece as regras, não apresenta sinais de "traumas", a dificuldade que ele tem de explicar os acontecimentos é pq realmente ele não sabe explicar, o que faz parte da faixa etária dele, ele explica do jeito dele, contei sobre umas mentiras que ele andou contando na escola e pra mim..tipo ele cortou o cabelo dele e falou que foi um amiguinho, ela também me disse que isso faz parte dessa fase, eles não querem de forma alguma perder o que eles gostam, então se for preciso mentir pra mãe, pra professora pra não sofrer uma punição eles vão até as últimas consequências, só quando não tiver jeito que vão confessar..(pensei caraca mais já assim..kkk..isso pq vcs não presenciaram a encenação na escola tudo pra que eu não fosse falar com a professora dele, digno de Oscar)...e que uma forma de conquistar a confiança dele, pra que ele conte a verdade sem medos e ensina-lo a assumir as consequências dos seus atos  conversando como ela disse sempre que possível, claro que existirão situações que não terão como..mas que ao invés de eu castiga-lo sempre na sequência de uma "arte" que eu converse com ele, explique pra ele o porque não se deve fazer tal coisa e avise da próxima vez vc ficará sem isso ou aquilo...e se ele repetir a "arte" ai sim...que eu o castigue..dar um voto de confiança pra que ele confie em mim. No mais ela me deu os parabéns, disse que eu estou dando uma excelente educação a ele, que todos na clinica adoram ele e que por enquanto ela não vê necessidade de continuar com um acompanhamento, mas se caso eu sinta alguma dificuldade e quiser retornar que eu fique a vontade.
Pois bem, depois de chegar do psicologo liguei pra avó dele, pra avisar que ele não ia dormir na casa dela (foi o castigo que dei pelas mentiras), ela não gostou muito, mas como ela disse me respeita como mãe, eu a deixei a vontade se quiser leva-lo pra passear, porém dormir nesse feriado não, pois foi uma consequência de um ato dele...e conversando com ela sobre alguns comportamentos do Kauan, ela me disse, não sei o que acontece ele fica muito agitado e diferente quando o pai está por perto...eu falei, normal quem é que não fica...eu fico, a Laís fica todos quando estão ao lado do seu filho e ele está "em crise" ficamos agitados, então ela me contou que o Du queria de qualquer jeito pentear o cabelho do filho e que ele não queria, ela me disse com essas palavras: O que me assustou é que o Kauan não procurou apoio em mim, foi se esconder debaixo da mesa.
Respondi a ela:
O que acontece é que na cabeça do Du, e ele não está errado, quem deve criar e educar somos Eu e Ele, PORÉM ele não tem equilíbrio emocional algum pra educar ninguém, então ele não respeita a senhora, ele não respeita ninguém a não ser a mim quando diz respeito as crianças, comigo ele não faz essas coisas, pq ele sabe que eu não vou permitir.
Ela disse que não vai mais levar os netos pra lá quando ele estiver lá, eu concordei e disse que fazia muito bem, e que eu também não gostaria que fosse assim já que ele não está apresentando condições para isso, então quando ela pegar os netos irá pra casa da minha cunhada.

Complicado a situação...o pai só pode conviver com os filhos se for na minha presença ou de uma assistente social, porque nem os avós ele respeita.

Tudo consequência de sua doença, que o deixa a cada dia mais cego.

Eu continuo a entregar nas mãos de Deus e só permitir nosso contato caso ele esteja frequentando NA e indo a Igreja...até quem sabe um dia ele voltar por ele, ou ele tomar de vez outro caminho e seguir sua vida sozinho.

A escolha agora ta na mão de quem sempre deveria ter estado: NAS MÃOS DELE.

Ele escolhe...ou muda o rumo de sua caminhada, ou vai sozinho...pq a cada dia que passa eu continuo firme e forte caminhando em busca da minha paz, da minha felicidade, dos meus sonhos...

Fiquem com Deus

  

5 comentários:

  1. Parabéns, antes de qualquer coisa vc é uma ótima mãe, isso me enche de orgulho.

    Janete

    ResponderExcluir
  2. Kel, vejo muitos traços do seu " ex- companheiro" no meu esse achar que umas cervejas eu ainda posso , mesmo tomando remédios receitados pelo psiquiatra já que ele tem depressão , bipolaridade etc ...Ele estava afastado do emprego a 1 ano desses ( 6 meses clinica ) e os outros 6 meses na rua sempre recaindo, enfim ele pediu mais + 3 meses e os peritos e negaram , dia 12 de março ele volta para Franco da Rocha à 500 km da nossa cidade, lá foi onde ele perdeu totalmente o " controle" , vai estar lá sozinho, aqui tem dias que vai no N.A , tem dias que não.Ai eu digo que só fico com ele se ele quiser se recuperar, ai ele diz que é o que ele mais quer, e esta tentando , com os medicamentos, ai eu digo que sozinho ele não consegue, que precisa ir aos grupos, ele diz que em Franco vai, procurou na minha frente no site do N.A os locais onde tem o grupo.
    Tão difícil acreditar, mas eu preciso aprender a viver somente o só por hoje.Mas as dúvidas me perseguem, me assombram, medo dele ir e se afundar mais .... essa dúvida de se me separo logo ou se pago pra ver é a pior de todas.... Ele me suga as energias, tem dias que está insuportável e eu sem saco pra aguentar , para dar palavra de apoio , é um relacionamento tão egoísta , sempre tenho que estar bem e forte .... sei que não tem receita mágica ... Mas preciso controlar esses meus medos e saber agir em relação à tudo isso

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. Tento me desligar dele, mas parece que o bicho percebe e começa com chantagens , do tipo , você não está feliz comigo , você vai procurar outro , ou se estou na minha ele vem dizendo estou morrendo de saudades, enfim tudo pra me puxar pro lado dele, domingo ele me disse algo que me entristeceu muito , ele estava quieto, do nada fica assim, com um olhar vazio, falei um tustão, o que está pensando?! Ele disse sinto um vazio, ai eu disse , vida esse vazio é falta de Deus ( pq ele se diz Ateu) , ai ele me disse não é , essa sensação é falta da droga.
      Foda!
      Mas mesmo com esses medos, sinto que mudei em algumas coisas , por ex medo dele morrer usando, ou dele recair de novo, já não me afeta mais .. o meu unico medo é estar perdendo vida , tempo com alguém que não percebe que é impotente .. perante ao 1 gole, imagine ao resto .. bjus Kel, falar com você me faz um bem danado ... sua energia é boa demais ... passa pelas suas palavras

      Excluir
    3. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir