quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

emocionalmente Imaturo




Bom dia galera...

Gente como esse negócio de que sozinho ninguém consegue pra mim é uma grande verdade, pelo menos eu não conheço e nunca nem ouvi falar.

O Dú tem passado por várias crises, repito não sei se ele tem feito o uso, sei que ele não passou mais noites fora de casa, ou precisou faltar por não estar em condições de ir trabalhar, situações que aconteciam todas as vezes que ele usava quando morávamos juntos.

Ele não tem buscado ajuda espiritual e nem no grupo, está tentando sozinho...coisa boa que não vai dar né...

Então ele ontem passou em casa, estava calado, quieto, desanimado, perguntei se havia acontecido algo ele respondeu que nada.

Disse que queria comer pizza, saiu pra ir na pizzaria na rua de casa, e voltou com um bafo de cerveja, eu comente aff que bafo de cerveja, você bebeu...ele bebi e daí...eu e daí problema seu...fiquei quieta na minha...
Essa é uma situação a qual eu não concordo, porém a vida é dele...ele não enchendo meu saco ema ema...só que também ficar feliz e saltitante como se nada tivesse acontecido não dá.

Então ele comeu a pizza, ficou falando umas idiotice pro nosso filho, querendo da uma de pai exemplar...começou com o sermão da montanha pro menino de como ser um bom homem...rs

Até então se ele tivesse dito uma vez e pronto ta bom...mais repetia e repetia...uma hora o menino começou a se irritar e disse pro pai: não to entendendo nada do que vc ta falando e saiu, eu aproveitei e disse ao Dú...ei já deu né...já falou não precisa ficar repetindo.

Ele ficou nervosinho e foi embora, me ligou qd chegou em casa, de mau humor pra avisar que tinha chego, eu OK.

Estou dormindo quando meu celular há uma da manhã toca, era ele pra dizer pela milionésima vez que não aguentava mais viver essas situações (não ter a casa dele e ter que ficar convivendo com pessoas as quais ele não se dá as irmãs, cunhado, mãe e pai e o sogro) e desligou.

Eu fiquei por uns instante quieta, e liguei de novo mais uma vez tentei pelo menos: você sabe porque você sofre, mais insiste em persistir na mesma direção, você não aceita, não sabe aceitar nada, você quer que sua vida, o caminho a ser percorrido seja do seu jeito, mais não é, o seu caminho são consequências das suas escolhas, e pelo fato de você não aceitar que a vida não é como você que você sofre e se acaba, foi assim sua vida toda, passou 10 anos se arrastando porque não aceitou o pé na bunda que levou da sua ex, agora ta ai se arrastando porque não aceita sua realidade, que nada mais é do que as consequências de seus atos.
Você pode insistir em achar que as situações precisam mudar, mais se você não mudar, não adianta....e também não adianta tentar sozinho porque ninguém consegue.

Conhecendo minha sogra, a forma com que ela trata os filhos e os netos e o meu sogro,
simplesmente o Du, parou emocionalmente na sua adolescência emocional, pra não dizer infância, é claro que independente dos pais dele, se ele quisesse ele seria uma pessoa diferente, não estou culpando a familia por ele ser assim, afinal ele já é bem grandinho e sua personalidade foi formada pela forma com que ele absorveu o mundo e não só os ensinamentos do pai.

Mais o Dú emocionalmente hoje é isso: Um menino extremamente mimado pela mãe e extremamente inseguro pelo abandono emocional do pai, só visa felicidade através de condições, exemplo herdado do pai que pelas suas raízes culturais ser pai é apenas dar o material e não o apoio emocional e exemplo reforçado pela nossa cultura onde é preciso ter algo pra ser aceito.

Hoje um homem de 36 anos, emocionalmente age feito uma criança, mas pelo fato dele ser um homem, suas atitudes tem uma dimensão maior do que a de uma criança de fato, seu papel na sociedade é outro.
Hoje ele não tem mais que ser sustentado, ele precisa sustentar
Hoje ele precisa entender que pra ser feliz, não tem que ficar buscando aprovação do mundo.
Hoje ele precisa saber que as nossas atitudes geram consequências, precisa aprender a ser dono de seu destino e não sentar e chorar (usar droga) porque não consegue lidar com suas emoções.

Não existe outra forma de ajuda-lo a não ser permitindo que ele cresça e aprenda a escolher seus caminhos, conforme as consequências que estes trarão.

Vejam a importância que temos como pais, amigos, cônjuges, educadores.

Proteger de mais ou ignorar demais, deixa uma pessoa aleijada emocionalmente.

Mais prejudica do que ajuda.

Meu apelo é as pessoas que convivem com um dependente quimico, se querem ajuda-lo de fato, permita que eles cresçam e se tornem homens ou mulheres de verdade.

Não duvidem de sua capacidade, enquanto você insistir em trata-lo como um incapaz, pela sua insegurança em não saber aceitar as situações da vida, você estará contribuindo para que seu ente querido se mate, dia a dia.

Não vire as costas...um lema muito bonito: "Viva e deixe Viver" é muito bem colocado acrescentando uma outra frase que aprendi com uma das minhas madrinhas:

"Viva e deixe Viver, mas não deixe Morrer"

Fiquem com Deus

Nenhum comentário:

Postar um comentário