quarta-feira, 6 de novembro de 2013

inversão de Papéis




Bom dia galera!!

Ontem rolou um stress com o Dú no telefone, motivo: ele teima em agir feito adolescente e eu teimo em agir feito a mãe do adolescente.

A conversa começou com ele dizendo: Queria ter dinheiro pra poder ter vocês de volta

Ao invés de usar a tática do "pois é" resolvi responder: você acha que meu problema em voltar a morar com você é apenas o dinheiro?Claro que não, você sabe o real motivo de não estarmos mais juntos.

Então deu o inicio a uma discussão, ele se defendendo na autopiedade, manipulando a ele mesmo, dando de doido e usando frases que agora são novidade pra ele e parece que gosta de repetir porque se sente importante, agora deu pra dizer: "toma conta da sua vida, vocês não tem vida própria", não que isso não seja uma verdade quando se refere aos codependentes, mais agora se fala vai chover e ele canta a linda frase...há meu...fala se não parece um adolescente que descobriu uma resposta que da um fora no amigo estilo " Cala a boca já morreu quem manda na minha boca sou eu"...

Enfim, depois de perder meu tempo por meia hora entre umas 5 ligações, depois dele vir com a conversa que quer ser tratado feito uma pessoa normal e que quando eu o trato feito adicto eu acabo desistimulando..então minha paciência se esgotou e soltei: Vai manipular sua mãe, você é um adicto quer queira quer não queira e isso não significa que você é a escória da humanidade, significa que você tem uma doença, igual cancêr e tem que fazer a quimioterapia toda semana, se você quer ouvir de mim ai que bom que você não fez a quimio hoje porque ta friu e resolveu ir dormir, espera deitado, porque vai ouvir a verdade ou faz sua recuperação seja no raio que o parta ou vai morrer.

Depois disso ele disse uns blablabla...e desligou, eu respirei fundo e comecei a fazer meu inventário pra tentar descobrir porque me deixei desestabilizar, cheguei nas seguintes conclusões:

1- Ao ouvir ele dizer que se tivesse dinheiro nos teria de volta, na hora eu reagi ao ver como ele ainda se autoengana e nisso me veio o medo do fundo do poço, então ao invés de dizer um "pois é" , pois nem dinheiro ele tem pra isso e mesmo que ganhasse na loteria, ele não tem como me obrigar, bastaria eu dizer um não quero eu simplesmente reagi e dei um "empurrão" sem a necessidade ao dizer: mais nem que você tivesse todo dinheiro do mundo voltaria a morar com você não agora.

Algo totalmente desnecessário nesse momento, não fui assertiva, pois reagi a algo que nem aconteceu por medo.
E no fim deu no que deu, meia hora desperdiçada da minha vida, meia hora de sentimentos ruins dentro do meu coração, e depois de desligar o telefone e fazer meu inventário chegar na conclusão: Pois é!!

kkkkkkkk...Ai Jesuis...kkkkkk...que Deus me de serenidade e sabedoria pra da próxima vez eu não errar no velho

Bjus e boa quarta, fiquem com Deus

2 comentários:

  1. Oi mulher! Pois é...aceitação, ele esta longe disso e de uma forma ou de outra, você esta tentando fazer que ele aceite MAS é ele que tem que aceitar. Quando simplesmente reagimos, é difícil ser assertiva. Mas veja pelo lado bom, você identificou isso e não vai cair nessa de novo! Beijos

    ResponderExcluir
  2. Inventário!!!! Como eu deveria deixar de ser procrastinadora e começar a fazer o meu né?

    ResponderExcluir