quarta-feira, 27 de novembro de 2013

começou o sobe e Desce





Bom dia Galera, to eu aqui madrugando, quero ficar rica trabalhando essas horas..hehehe


Amanhã continuo com a interpretação da palestra do nosso amigo Cury...rs...não vou ter tempo hoje de ouvir e repassar pra vcs, mas já que acordei e to aqui vamos aos fatos.

Começou o sobe e desde do Du, a gente sabe q isso acontece, mas quando as coisas estão calmas a gente se habitua a elas, digo sobe e desce não de uso de comportamento que sinceramente é o que mais me afeta, então aquele pai e marido dedicado está se transformando em uma pessoa totalmente perturbada.
Até então desde que não encha meu saco e dos meus filhos, porém infelizmente o alvo acaba sendo quem ta próximo e ontem fomos nós, hora de impor meus limites, engraçado uma companheira perguntou no face ontem a diferença entre ser firme e dura, todos responderam alguns afirmaram agir com firmeza é ser assertiva eu por ironia do destino comentei depende "a ocasião faz o ladrão" pois bem, ontem tive que ser firme, dura e quase usar a força física, explico.

Eu baixei a apostila do Freemind e imprimi, pretendo começar a ler assim que acabar os dois livros que estou lendo, um de estudo e outro uma história, muito bons por sinal quem quiser a dica os livros são:
Horizontes da mente e Sonhos Perdidos.

Então estava lendo alguns trechos para o meu pai, o Du chegou, achei um texto que falava sobre a dependência quimica, mostrei a ele, ele leu e de forma irônica disse: você gosta dessas coisas de maluco né?
Apenas respondi, me respeita, não me ofende.
Ele me questionou algo, eu respondi é claro que ele discordou, e queria por que queria que eu dissesse, sou louca e você está certo, aprendi que é besteira discutir com quem ta com a idéia formada, no fim acho que me sai bem esclarecendo meu ponto de vista, pois foi concordando em partes com ele, então ele se calou.

Mais em sua mente doente, ele já havia achado um ponto pra fazer da noite de ontem um inferno, fomos levar as crianças pra comprar doces e dar uma volta na pracinha, tentei me aproximar algumas vezes, peguei na mão dele, mais ele lá perdido em seu mundo não dava abertura, deixei quieto.

Meu filho mais velho está se mostrando muito agitado essa semana, estou querendo leva-lo a um psicólogo, ele tem convênio e vou procurar algum que  seja coberto por ele, porque se for pra pagar infelizmente não tenho como.

O Dú com a irrtabilidade que se encontrava não estava sabendo lidar com o filho, e estava muito agressivo, no meu modo de vista, falando como se estivesse lidando com um adulto, até então eu somente acalmava os dois, sem interferir diretamente.

Vindo embora pra casa, meu filho com as birras e eu tomando conta da menor, vi que o Du e meu menino estavam indo na frente e chegaram em casa primeiro, quando entrei no quintal, meu filho já não estava apenas birrento, estava desesperado gritando: MÃE, MÃE, QUERO MINHA MÃE.

Eu olhei pra ele e disse o que foi K.?
Ele respondeu: Meu pai quer me levar embora, meu pai quer me levar embora, mãe, mãe (pra quem não sabe eu e o Du não moramos mais na mesna casa, devido a sua adicção, mas estamos ou estavamos tentando reconstruir um relacionamento)
Eu abaixei, olhei no olho dele e lhe disse: Seu pai não vai te levar embora, eu não vou deixar nunca ele fazer isso.
Ele me abraçou chorando, fui dar banho nele e o Du havia entrado e subido pro quarto.
Quando fui trocar meu filho, que não queria ficar perto do pai de maneira alguma, o Du começou a falar coisas sem sentindo: Ta vendo olha o que você fez, mais uma coisa pra me acusar, ta vendo o que você ta fazendo K.
Eu interrompi e disse: Para, ele ta assim porque você falou que ia levar ele embora da casa dele
E o Du com a sua insanidade olhou pra ele nervoso e disse: Essa não é a sua casa, um dia você vai ter uma mais essa não é a sua casa.

Meu filho chorando me abraçou eu acalmei ele e disse pra não ligar pro que o pai dele dizia que ele estava nervoso, e que sim era a casa dele, expliquei que as roupas, os brinquedos, as coisinhas dele o quarto dele estavam aqui que eu morava aqui portanto essa era a casa dele.

Falei pro Du, ou para ou vai embora

Ele nervoso saiu resmungando que ia embora, subiu na moto, e ficou parado no meio do portão por quase meia hora, falando que eu o acusava, que eu era falsa, que nós queriamos ferrar com a vida dele, eu tentei explicar a ele que aquelas coisas não se diziam a uma criança e q eu iria sim me afastar e que se ele tivesse no uso de drogas só poderia ver as crianças com autorização de um juiz mediante exame toxicológico  se ele insistisse em agir assim ele, na sua razão não deu o braço a torcer e depois de meia hora desceu da moto e disse tb não vou embora, e voltou pra dentro de casa.

Quando entramos precisei ser dura, e lhe disse vá embora porque são mais de nove horas e preciso dormir, ele se irritou fez a cena da autopiedade, quase precisei literalmente empurra-lo pra ele ir embora e parar de acusar o filho dizendo: ta vendo o que você fez a culpa é sua.

Essa hora no portão eu falei alto: PARA DE CULPAR SEU FILHO, A CULPA NÃO É DELE, ELE NÃO TEM CULPA QUE VOCÊ NÃO SABE LIDAR COM ELE, CHEGAA

Ele no meio do portão não tinha como fechar, deu um abraço no filho e pediu desculpa, agora a culpa não era mais do filho era minha...rs

Enfim ele me ligou na rua querendo jogar na minha cara que eu só tava esperando um erro dele pra mandar ele embora, que eu era uma falsa apriveitadora e blablablabla...eu respondi apenas: Eu nao to esperando um erro seu, eu to esperando ver o caminho que você vai escolher, usar droga não é um erro é uma escolha, ja lhie disse seu tempo ta acabando, to só vendo o processo que você está, to esperando e vendo qual caminho você quer pra sua vida, ter uma familia e viver de uma forma saudável ou usar drogas e viver nesse mundo podre e de sofrimento que é a adicção, e você pode ter certeza de uma coisa, você até pode escolher se destruir mais escuta bem você vai sozinho, pq nem eu e nem meus filhos você vai levar junto.


E foi assim me ligou mais uma dezenas de vezes, desliguei o celular e fui dormir...liguei as duas horas da manhã meu celular e ele me ligou denovo e mais uma vez eu desliguei.

Haja saco e paciência pra viver essa fase...faço o que posso pra preservar meus limites e se assim o Sr. Dú desejar assim que o fórum voltar de recesso, separação oficialmente e  com direito a visita assistida e com exame toxicológico se assim o juiz decidir.

Fiquem com Deus

3 comentários:

  1. Pois é Kel, o carrinho dele tá em decidas desenfreadas e vc está certa em proteger a si e seus filhos, se for preciso entre com um advogado, é claro que a gente sempre torce pra que não chegue a isso, que el procure ajuda, mas pelo que vc tem postado ele está cego, está compulsivo querendo usar....vc precisa de um respaldo..... e o psicologo seria bom mesmo, procure no convenio, tomara que de certo!! Toirço muito por vc viu...te amo !!! bjs

    ResponderExcluir
  2. Nossa, que complicado, para azar dele e sorte sua, vc está equilibrada... infelizmente ele não quer ajuda, não agora e vc faz muitíssimo bem em se proteger e as crianças! Fique com Deus!

    ResponderExcluir
  3. Olha mulher, quando a bronca é com a gente é uma coisa, agora extravassar isso nos pequenos é outra. Achei até que você foi muito diplomática, na primeira lágrima que escorresse no rostinho do meu filho eu já teria colocado ele para fora. Terror psicológico com as crianças não! Serenidade (dentro do possível).

    ResponderExcluir