sexta-feira, 29 de novembro de 2013

assim



Bom dia galera!!

O you tube não ta abrindo e eu não to conseguindo terminar de repassar a palestra do Augusto Cury pra vocês, vou ficar devendo.

As coisas por aqui não estão nada bem, eu to meia mau me esforçando pra ficar bem, o Dú ta "surtado" cego, com a mente fechada, querendo "fugir" da realidade utilizando a tal fuga geográfica, na cabeça dele se ele mudar de estado e não viver mais o que vive hoje ele fica bem.

Enfim sabemos que não é isso, quando ele me liga querendo conversar eu digo o que penso: não adianta você se mudar, você tem que mudar, mais ele já deixou bem claro e disse: EU NÃO QUERO APRENDER, EU SÓ NÃO QUERO VIVER MAIS ISSO.

Eu também ja pensei muito assim, porém, todavia, contudo, não teve jeito, ou eu me olhava no espelho e aprendia a ME MODIFICAR, ou eu sofria...Fugir de um problema não é uma solução, temos que enfrentar e superar...e quanto mais rápido percebemos isso, mais rápido aprendemos e mais rápido os sofrimentos diminuem

Haaaa se todos soubessem disso..
Haaaa se todos soubessem que basta querer
Haaaa se todos soubessem que a chave da felicidade está dentro de si

Haaa se o Dú tivesse esse despertar, mais enfim orgulho no topo, vai fazer do jeito dele, vai sofrer, até quem sabe um dia ele entender....espero que ele entenda logo...é só querer

Ontem no Amor Exigente, 3 adictos, 2 homens e 1 mulher deram o depoimento do que foi a rendição deles, os 3 chegaram em situação de rua, um morou 15 anos na rua, apanhou de 30 traficantes, levou 2 tiros, ficou em coma, ai se rendeu.

Outro a mulher não aguentou, a familia não aguentou e ele viveu 3 anos na rua, e ainda assim não tinha vontade de usar droga, até que um dia ele pensou: Chega né..se rendeu

A mulher viveu 8 meses na rua, ela passava sete dias usando, votlava pra casa, comia, tomava banho, dormia, se restabelecia e voltava pra rua, até que um dia ela tocou a campainha da casa dela e a mãe dela lhe recebeu dizendo: Fia aqui você não entra mais, não assim..
Ela: Apelou, me deixa tomar banho, mãe to com fome, só um prato de comida
Mãe: Fia, nem pra usar o banheiro, va comer e tomar banho aonde você estava, por que aqui, só depois de você se tratar.
A filha pensou: pois é e agora? Foi pra uma comunidade terapêutica e está se recuperando.

Uma mãe que estava presente na sala deu seu relato:
Meu filho foi pra rua e foi assassinado há dois anos atrás, hoje ela abriu um grupo do AE aqui em São Paulo e ajuda a outras famílias.

Uma outra mãe: Meu filho foi pra rua, pegou 5 anos de prisão, hoje é esquizofrênico e está internado de novo porque tentou matar o padastro.

A famosa doença do SE, se não fez vai fazer.

Da pra ajudar?
Dá com amor, com assertividade

É fácil?

Não, não é fácil requer, ter que fazer o que o Dú ta correndo de fazer: SE MODIFICAR, SE OLHAR NO ESPELHO

Dói, mais é só assim, limpando a ferida que podemos cicatriza-la.

Peçam ao PS, Humildade, mais muita humildade pra trilhar esse caminho

Um bom dia pra vcs...


Nenhum comentário:

Postar um comentário