terça-feira, 29 de outubro de 2013

porque eu decidi ASSIM




Bom dia galera...

Nossa acho que essa semana meio desligada do mundo virtual, serviu como uma passagem pra outra dimensão.

Antes eu de certa forma olhava e analisava o mundo através do outro, hoje to bem mais segura em olhar e analisar o mundo através de mim.

Decidi que eu vivo em paz, a minha meta de vida é a MINHA PAZ...

E assim vou traçando meus planos...agora entendo quando adictos em recuperação dizem, quer ajudar um adicto, espera ele pedir ajuda....

Mais olha até chegar no que realmente essa frase significa, quantos dilemas..kkk...esclarecidos pelo menos até agora.

Outra coisa que aprendi, é que devo ser quem realmente sou, eu sou esposa de um dependente quimico e não mãe.

Me comporto como esposa, na verdade hoje me comporto mais como namorada, porque não moramos mais juntos, então abandonei um papel que eu insistia em cumprir e que na verdade ele nunca foi meu.

Cada um que assuma as rédeas de sua vida.

É tão bom ser quem realmente eu devo ser

É tão bom me livrar de obrigações que não são minhas, sem culpas.

É tão bom ter liberdade para sentir e agir me colocando sempre em primeiro lugar e nunca deixando de respeitar o próximo, uma coisa tão óbvia mais que antes se misturava na minha mente, acompanhado de todas cobranças da nossa sociedade que são criadas por nós mesmos.

O amor tudo suporta
Não se abandona alguém doente
Casamento é pra vida toda
Meu amor irá salva-lo
Eu não tenho escolha

Não levem tão ao pé da letra algumas frases

O amor pode tudo suportar...o AMOR e não VOCÊ, portando repense em aceitar tudo em nome do AMOR

Não se abandona alguém doente, no caso da "dependência quimica", deixar com que a pessoa tome suas próprias decisões e assuma as consequências não é abandono é uma ajuda, afinal o dependente quimico não é um invalido que não pode sair da cama

Meu amor irá salva-lo, somente o amor por si próprio que é capaz de salvar alguém, afinal ninguém consegue dar o que não tem

Casamento é pra vida toda, desde que se respeite esse juramento" Eu , recebo-te por minha esposa (o) a ti , e prometo ser-te fiel, amar-te e respeitar-te, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, todos os dias da nossa vida”, quando o voto é quebrado se ilude quem acha que permanecer debaixo do mesmo teto é "garantia" de estar cumprindo-o, lembrando que cada um deve cumprir sua parte.

Eu não tenho escolha, tem, sempre terá, por mais dificil que sejá teremos sempre escolhas a fazer até mesmo escolher viver na acomodação.

Só por hoje eu escolho MINHA PAZ...

Fiquem com Deus

5 comentários:

  1. Olá Rachel... qd vc diz que o adicto tome sua próprias decisões eu me sinto confusa... veja no meu caso... eu namoro, certo? Não tenho filhos com ele e tal... qd a grana dele está na conta, ferrou... ele some uns dias, qd retorna, as vezes retorna manso, em outras enfurecido com algumas atitudes que tomo neste período de "desaparecimento"... oq u me confunde... qd ele some, eu devo ignorar e seguir minha vida como se nada tivesse acontecido, sem tocar no assunto? ou eu deixo claro que estou indignada e etc? Sei que cada caso tem suas particularidades mas, não consigo ignorar certas coisas... qd ele aparece em minha frente com olhos vermelhos ou com colírio no bolso, abro o verbo, não consigo me manter serena... me dá um help, please! Bjsss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Milene...sim é bem dificil entender aonde é a linha do limite, até aonde se envolver, no meu caso foram 7 anos e muito murro em ponta de faca que me fizeram chegar na postura que adotei hoje...vamos ver se posso te ajudar...primeiro ele é adicto e usa drogas, partindo do principio que vc não pode modifica-lo diria ou aceita esse fato, ou cai fora...eu aceitei meu marido sendo adicto na ativa ou em recuperação, ele é um adicto e pronto..o que vai delimitar até aonde eu irei são meus limites...hoje não moro mais com ele, as finanças são separadas, então a forma com que ele pode ultrapassar meus limites são me desrespeitando (ofendendo, agredindo,traindo, etc isso no meu conceito), caso ele tenha certas atitudes certamente eu em afastarei...bom se meus limites serão eternamente esses não, esse é o minimo, o tempo vai passar minha vida irá mudar, eu continuarei buscando minha recuperação, caso ele consiga de certa forma também crescer como pessoa e ir vencendo a sua doença, temos grandes chances de ficar juntos, caso ele permaneça se afundando, as nossas escolhas naturalmente nos afastarão...pq eu estarei "subindo uma escada" e ele descendo...será impossível continuar, pois sabemos que a adicção é a doença do SE, se não fez vai fazer...por isso se fala tanto no grupo, viva e deixe viver...trace seus limites, ao outro não posso modificar somente a mim mesma...tudo que vc tentar mudar nele será em vão..por isso se posso lhe aconselhar mude a você..imagine se você fosse ficar pra sempre sozinha quem seria você? não podemos ter no outro a nossa metade, temos que nos sentir inteiros para só assim viver um relacionamento saudável...bjus e fique com Deus

      Excluir
  2. Oi mulher! Sempre bom ver o quanto andamos... assumindo nosso papel, e abandonando outros que não eram nossos. E simplesmente viver em PAZ! Só passei para dar um oi...Beijos!

    ResponderExcluir
  3. OIIIIII RAQUELLLL... O DIA QUE VC POSTOU A DESPEDIDA CONFESSO QUE VC ME ASSUSTOU......FIQUEI COM MEDO DE FICAR SEM SUAS IDEIAS...SEM SUA CABEÇA ABERTAAA CONFESSO QUE FIQUEI MUITO FELIZ COM O SEU RETORNO...MESMO SENDO UM POUCO TRAGICO......SOBRE O POST DE HJ ACHO QUE REALMENTE A SITUAÇÃO DE QUEM MORA DE BAIXO DO MESMO TETO É COMPLETAMENTE DIFERENTE DE QUEM NAO MORA... AS COISAS NAO FICAM TAO SIMPLES ASSIM......BJSSSSS

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. obrigada meninas pelo carinho...a sim Aninha..realmente PRA MIM..é fora de cogitação eu e o Du de baixo do mesmo teto..e se isso vier a acontecer algum dia...irá demorar MUITOOO....rs..bjus bom dia

      Excluir