terça-feira, 22 de outubro de 2013

o Salvador



Olá pessoal...dando uma passada por aqui.

Como disse ia me afastar do blog, pelo fato de estar perdendo o foco em mim, tem me feito bem, confesso.
Hoje resolvi escrever algo que ao conversar com uma das minhas madrinhas, ela me sugeriu "por que você não escreve sobre isso" fiquei de pensar, e cá estou eu.
Quero dizer que moderei os comentários, porque ainda preciso aprender a praticar mais a aceitação e não tirar o foco de mim, então pra que eu não "me ache" ou fique com raiva de indiretas, por enquanto fica assim...rs..., voltando ao post

O salvador.

Hoje começo a perceber o caminho que trilhei até aqui, e vejo também o caminho que muitos seguem, no AE que frequento vejo um amadurecimento enorme dos coordenadores, vejo recém chegados carregando a bandeira do super herói, enfim.

Percebo que durante muito tempo tentei salvar o adicto de minha convivência, dando tudo errado, e eu me afundando junto.

Então descobri os grupos o que era a codependência e quando passei a mudar as minhas atitudes o outro também se modificou e pela primeira vez pediu ajuda.

Engraçado como é a cabeça de codependente, mesmo eu sabendo na teoria que eu não poderia salva-lo, a sensação que eu tinha era de que eu havia conseguido salva-lo, ele recaiu e eu voltei a tentar a modifica-lo para salva-lo, eu agia de acordo com os comportamentos dele, eu traçava minha vida de acordo com o humor dele.

Até que cansei, sim, cansei de me preocupar se ele vai recair ou não.
Cansei de sentir medo de ter que ser dura.
Cansei de criar estratégias pra conviver com ele
Cansei

Ainda assim, o meu foco sempre voltava pro outro, agora eu havia trocado um dependente quimico por um monte de codependente, achando mais uma vez que eu podia salvar alguém.
Me dedicava a escrever no blog, com o intuito de fazer as pessoas pensarem, com intuito de mostrar a realidade, me extressava não quando discordavam, mais quando eu era mau interpretada.

Mais uma vez minha vida era comandada pelo OUTRO.

Quando sai dos grupos do face, começou a me sobrar mais tempo pra me enxergar.
Esses dias longe do blog, a ansiedade diminuiu.

Voltando ao grupo presencial, onde lá existem regras, se tem tempo pra falar, se tem tempo pra ouvir, mais ouvimos do que falamos, isso me ajudou bastante.

E um aprendizado nas minhas palestras espirituais que levo comigo: Ninguém veio a esse mundo pra salvar ninguém, viemos com a obrigação de nos melhorar como pessoas, cresça se quiser AJUDAR a seu próximo, e entenda que a obrigação de se melhorar É DELE.

É isso galera, saudades..e um bom dia


4 comentários:

  1. Oi mulher, saudades! A sala é fundamental mesmo, né? Fique bem. Beijos

    ResponderExcluir
  2. Que bom ve-la por aqui, e saber que está bem! Nosso post está muito parecido hj, os santos bateram rs....Sinto falta de vc no grupo do face! bjssss

    ResponderExcluir
  3. Lendo agora o livro"mulheres que amam demais descobrir essa necessidade que tenho de ser NECESSÁRIA, e sempre estar no controle,é fodda essa sensação de querer sempre mudar o outro,NÃO QUERO MAIS ISSO....
    TamuJunta,vai fazer muita falta teus pos'ts me identifico muito com vc....TamuJuntu!

    ResponderExcluir