segunda-feira, 16 de setembro de 2013

conclusões!!



Bom dia galera

Depois do final de semana cheio de altos e baixos, enfim segundona...dia nacional de se começar algo....kkk acho que essa data só perde pro 1º de janeiro, segunda as pessoas costumam iniciar a dieta, o exercício, o estudo, etc etc

Quando meus finais de semanas são meio turbulentos eu amooo a segunda...rs

Falando dos outros, eu aprendi que só devo falar de mim, até concordo, não devo julgar meu próximo, mais posso e devo sim analisar e aprender com as atitudes alheias.

Por isso vivemos de exemplos, de atitudes, não devo julgar, mais me fingir de cega dai já é perder a grande oportunidade de aprender com experiências trocadas e vividas por outras pessoas, por isso me dou o direito de dar exemplos de histórias que  podem não ser somente minhas, mais sei que estas tem muito a acrescentar nas nossas vidas, gostaria de levantar uma curiosidade.

A vocês que acompanham os blogs de familiares que relatam sua experiência ao lado de um dependente quimico, por mais que nossa maneira de se expressar seja diferente, já notaram algo em comum?

Eu notei a forma com que falamos e falamos do ser feliz quando o mar está calmo e a forma como choramos e nos descabelamos quando o mar está revolto, desabamos, dizendo estou exausta, até quando irei suportar?

Qual dos blogs nunca apresentou uma dessas formas de expressão?
Nenhum, TODOS sem exceção.

Pois bem isso me faz chegar nessa conclusão, eu vivi poucos períodos calmos ao lado do Dú, e somente nesse ano pude desfrutar disso, momentos de recuperação.

E parece tão milagroso que a esperança nos contagia e de certa forma nos cega, pois quando nos expressamos é como se aquela dor do passado não doesse tanto, é como se fosse fácil suportar pois os momentos de recuperação fazem valer a pena.

Ai o tempo vira, o mar volta a ser revolto, a dor volta então nos lembramos o quanto é dificil e voltamos a desacreditar e pensar em desistir.

Deu pra entender a dinâmica da coisa?...rs..É e sempre será assim

Mar calmo pessoas calmas e esperançosas, mar revolto, pessoas a postos e com vontade de pular pra longe do barco que causa a turbulência toda.

A vida onde a droga invadiu é essa....não aconselho de forma alguma a namoradas que estão iniciando um relacionamento com um adicto que esteja na ativa a continuar..mas se a sua escolha for continuar, faça essa escolha consciente de que, você não poderá contar com essa pessoa 100% pra nada na sua vida, então a forma de ter um relacionamento e se prejudicar o minimo possível é, faça planos que você possa realizar sozinha e que caso o outro queira vir junto OK, caso ele não possa você consiga prosseguir, só assim sua vida ao lado dele poderá se tornar possível...esse negócio de amor e uma cabana só em filmes.

Se prepare pra em situações extremas: criar filhos sozinha, sustentar a casa sozinha, ter grana pra pagar clinica, ter psicológico forte pra não cair em manipulações, estar emocionalmente muito bem resolvida pra poder impor limites  ver quem você ama se matando, muita mais muita humildade pra pedir socorro, porque com certeza uma hora você ira precisar.

Esses são meus conselhos que deixo pra quem quer se aventurar nesse mar, esses conselhos são baseados na minha vida e nas experiências de outras companheiras que relatam suas histórias.

Voltando a minha atividade de dizer 5 qualidades de algumas pessoas, vou aproveitar o gancho e colocar aqui companheiras de blog, que estão publicando com maior frequencia:

Cici: modificaramimmesma.blogspot.com

Batalhadora, bem humorada, determinada, sincera, inteligente

Poly: amandoumdependentequimico.blogspot.com

Carinhosa, amorosa, batalhadora, determinada, inteligente

Dona Barriga: cartasaoadicto.blogspot.com

Inteligente, sincera, determinada, direta, pratica

Bjus e bom dia a vcs


18 comentários:

  1. kkkkk Adorei o "bem humorada" kkkkkk Obrigada Rac...

    ResponderExcluir
  2. Concordo com você. Olha, eu acho incrível se expor na internet e depois ficar agindo na defensiva quando alguém dá uma opinião contrária. Acho que quem tem blog está procurando diálogo, não um monólogo. Quem tiver procurando alguém que sempre concorde com tudo, ache tudo lindo, melhor não publicar nada porque com certeza vai se decepcionar. Principalmente quando se trata de dependência, onde as coisas que acontecem são tão extremas, tão difíceis e absurdas.

    ResponderExcluir
  3. Ou seja, viver com um dependente químico com o qual não se pode contar para nada não é viver, mas sim sobreviver. É passar a vida aos trancos e barrancos, apenas tocando o barco sozinha para não afundar, se responsabilizando por tudo, sem ter um companheiro de verdade.
    Esse negócio de criar filhos sozinha, pagar as contas sozinha, assumir responsabilidades que deveriam ser divididas sozinha é uma grande armadilha e é uma escolha que ainda envolve terceiros inocentes, que são os filhos.Se de antemão já dá pra perceber o que o futuro lhe reserva caiam fora e muito menos não tenham filhos com eles.

    ResponderExcluir
  4. Pois é João...é uma triste realidade, existe a possibilidade de se conseguir ter uma vida normal a dois um companheiro de verdade caso o dependente esteja em recuperação, mas se caso ele volte a ativa sim a realidade é a descrita acima....infelizmente quando digo isso as pessoas me veem como uma pessoa negativa, que quer jogar lama na felicidade alheia...mais não...então aparecem os discursos de que qualquer homem que não seja DQ pode agir igual, concordo isso não é caracteristica exclusiva de DQ, agora pergunto, se o cara fizesse tudo isso e não tivesse por trás uma doença, será que elas aceitariam? Eu no meu caso, fiz tudo isso e hoje já aprendi de certa forma a ser sozinha nessa caminhada, minhas escolhas do futuro ainda venho trabalhando, porque além da parte financeira existe a emocional os filhos em fim, no meu caso, apesar das irresponsabilidades financeiras do pai, ele é muito apegado aos filhos sentimentalmente falando e os filhos a ele, nessa caso ele não é do tipo de cara que se ficar meses sem ver os filhos não está nem ai...por isso que cada decisão é individual e não da pra dizer que todos são identicos...mais que o que descrevi acima se referindo a parte "pratica" da coisa...sim essa é a mais pura verdade...e muitas pessoas tampam o sol com a peneira com isso

    ResponderExcluir
  5. Eu acho que qualquer pessoa seja homem ou mulher tem que escolher muito bem o pai/mãe do seu filho, independente de ser DQ ou não. O que acontece no caso de dependência química é que as pessoas tem que ser muuuito mais cuidadosas e pensar bem nas consequências que vão ter que lidar depois porque, pelo menos pra mim, é meio previsível que haverá uma enxurrada de problemas e de situações com que lidar, como vc bem apontou no seu post. Não quero ser negativa, mas eu tenho a impressão de que os índices de recuperação são muito pequenos.

    ResponderExcluir
  6. Cara lendo esse blog e seus comentarios, parecem um bando de deuses perfeitos dizendo o que os outros devem fazer quando nem olham o proprio unbigo. Lamentavel, meu. Nao diga que vai ao centro ou ao AE porque me enche de vergonha. PQP!!!!!!!!!! Quanta amargura! rafaelaleite@hotmail.com.

    ResponderExcluir
  7. quanto julgamento seu Rafaela...vc por acaso viveu minha vida vc deveria saber q a verdade muda conforme se muda de janela...por acaso eu falei alguma mentira? me diz uma unica mentira q está escrito aki? infelizmente as pessoas estão tão acostumadas ouvir mentiras q se chocam qd ouvem a verdade...infelizmente

    ResponderExcluir
  8. é só pra complementar RAFAELA quem não quer ver estrela não olha pro céu...não concordou achou feio o que eu escrevi...simples não leia mais, afinal ninguém é obrigado a ler nada do que eu escrevo...bjus

    ResponderExcluir
  9. rafaela....só mais uma coisa já que criticou agora por favor no minimo de argumentos..aonde eu to dizendo o que as pessoas devem fazer? Aonde eu disse o que deve ou não fazer as pessoas felizes? eu só expus um fato é mentira q se o cara esta na ativa não da pra contar com ele? Eles muitas vezes vão parar no meio da rua..sem ter o que comer..oxe...eu disse pra alguém abandonar o marido por causa disso...disse a penas pra se precaverem e terem ciencia do que precisarão fazer se não quiserem passar necessidade ou deixar faltar algo pros filhos...eu ainda estou com meu marido, mais não volto a morar junto enquanto ele não tiver condições no minimo de se sustentar..isso é ser ruim? Não é dizer a pessoa que ela é capaz e ela não precisa de muleta..infelizmente pessoas ajudam a deixar os outros dependentes delas por isnegurança..pq vai q o marido arruma um emprego e ganha bem...e ai talvez ele não queira mais ela pq ela é uma pessoa insegura...eu quero alguém do meu lado q me ame e não que necessite de mim pra viver..isso sim é doença amiga...eu querer que alguém dependa de mim pra respirar...aprenda uma coisa a gente sabe quando foi uma boa mãe quando nos tornamos desnecessários

    ResponderExcluir
  10. Oh mulher... determinada, amei! Vou imprimir e ler todo o santo dia! Te amo de paixão...Mega beijos! Precisamos tomar vergonha na cara, arrumar uma babá (talvez duas) e fazer um tricô! Você também dona Cicie!

    ResponderExcluir
  11. Olha Kel falei o que penso e achei que você gostava disso. Não precisa me convenser de nada do porque disse isso ou daquilo diga isso pra você. Conferme seu convite não volto mais aqui até porque não gosto mesmo dos seu jeito de falar dos outros e voce só faiz isso. Sou irmã de um adicto e acho horrível sua abordagem da questão acho que você é que precisa de ajuda. Se você gosta de sinceridade,meu eu tabem gosto. Fui.

    ResponderExcluir
  12. Opa, vou ter que comentar também...desculpe Kel, é seu blog mas não aguentei. Querida Rafaela, se algum dia você teve a oportunidade de ir ao AE ou melhor ao Nar-Anon (sou Nar-Anon) a primeira coisa que você descobre é: só podemos modificar a nós mesmos aos outros apenas amar! Ou seja, posso não concordar com as suas escolhas MAS elas são suas, não posso modificar as SUAS escolhas...resumindo, só tenho o controle sobre as minhas escolhas. E se você acha que respeitar as escolhas do outro (mesmo erradas), e cuidar a sua vida sem se deixar ser levada por essa montanha russa é egoísmo, é a sua escolha (mesmo que errada também)! Serenidade

    ResponderExcluir
  13. Rafaela

    Vc tem todo direito de se expressar, me desculpa mais seu comentário foi assim PQP quanta armagura...um julgamento concorda, não quero te convencer de nada, quando pergunto quais são seus argumentos pra achar a forma com que abordo adicção horrivel, é pra entender o pq vc acha isso, pode ser que tenhas razão em alguns argumentos e pode ser que esteja interpretando de forma equivocada apenas, vc será sempre bem vinda no blog...fique a vontade pra comentar como quiser e o que quiser...da mesma fora que eu fico a vontade em responder...acredito que existindo respeito sem ofensas...discordancias só nos levam a crescer como pessoa, nunca niguém esta 100% certo ou errado...
    Existem 4 coisas que não se discutem futebol, politica, religião e opção sexual...kkk o restante mulher deve sim ser questionado, discutido para que se encontrem caminhos diferentes na resolução de um problema....
    Gente nem Jesus agradou a todos não é....kk bjus

    ResponderExcluir
  14. Poisé dona barriga diga isso a ela sobre não concordar mas aceitar ja tinha vindo aqui outras vezes e não aguentei, o AE veio com o Pe Haroldo um homem que é puro amor daí vem alguem fala desse jeito julgando os adictos e os familiares discriminando todo mundo que não pensa como ela eo povo vai achar que isso é AE mais não é. Saco cheio cara. Ela julga o marido coitado julga as esposas de dqs agora até as namoradas dá pitaco na vida de todo mundo e se acha a perfeita a cheia da razão alguém tem que vim aqui falar pow. Mais ja deu, falou o que quiz ouviu o que naum quiz vou pra sala que é bem melhor. Se naum gostou me manda imail. Fui.

    ResponderExcluir
  15. kkkk..mais quem eu julguei jesuis maria josé..kkkeu disse aqui que alguém é feio por acaso....gente devo ta escrevendo russo...desculpa rafaela mais realmente eu disconsidero total seu comentário....a não ser que vc diga mais escreva aonde eu julguei alguém? e vc ta precisando de muita mais muita sala pra entender de AMOR EXIGENTE..cara sinceramente..rs sabia que não exists diploma pra isso vc pode frequentar desde que foi fundado, mais se não viver ou entender a programação mulher sinto muito..vc ta longe de de seguir ao menos o primeiro principio raizes culturais

    ResponderExcluir
  16. Pessoas sem argumentos discordam por discordar ou concordarm por concordar, geralmente são manipuladas por todos, porque não tem opinião propria, dizem amém sem nem sabera quem,fogem do assunto porque simplesmente se sentiram ofendidas e não sabem explicar, mecheu com o ego EGOCENTRISMO..padre aroldo é puro amor mais é UM AMOR EXIGENTE..foi com ele que aprendi a amar ao próximo como a ti mesmo...SIMPLES ASSIM E QUE A CARAPUÇA VISTA EM QUEM SERVIU..BOA NOITE

    ResponderExcluir
  17. Rafaela, o que se falou aqui foram coisas até meio obvias, baseadas no senso comum. Vc reclamou tanto de julgamento, mas vc também julgou, e pior, sem apresentar argumentos ou explicar o seu ponto de vista.

    ResponderExcluir
  18. Cada um de nós temos uma forma de olhar, temos a nossa percepção. Isso se deve a tantas coisas: a nossa infância, a vida que tivemos, a criação, religião, traumas, enfim, várias situações definem a nossa forma de ver seja lá o que for. Acho muito bacana os blogs, porque cada uma mostra a sua forma de ver a adicção/codependência, bem como a recuperação. Nenhum ponto de vista é certo ou errado, é apenas a nossa percepção sobre o problema. E a soma disso traz equilíbrio. Quem lê o blog da Kel e o meu, por exemplo, verá dois contrastes em alguns pontos de vista, ou em formas de expor os sentimentos, mas não quer dizer que uma é errada e a outra certa. Quer dizer apenas que temos nossas histórias, e que juntas, podemos ajudar a mais pessoas que estão perdidas e se sentindo sozinhas. Algumas se identificam mais com uma, outras mais com outra. Mas, no fundo, somos apenas familiares de adictos buscando o melhor caminho. Acredito que essas diferenças apenas somam, e nos fazem crescer, desde que essas diferenças não nos dividam, mas sim, nos unam cada vez mais.

    Obrigada pelas qualidades, Kel.

    TMJ, querida!
    Bjos!

    ResponderExcluir