quinta-feira, 22 de agosto de 2013

revisando



Bom dia Galera

Acho que minha vida está voltando ao normal, ando vivendo outras coisas, normais de pessoas "normais"...rs...o assunto dependência quimica e codependência tem perdido espaço, na verdade acredito que esteja sendo equilibrado, por que além de falar sobre eles, eu ainda tenho uma rotina puxada no dia a dia...

Mas não irei deixar de falar porque faz parte da minha recuperação, afinal não existe cura né...heheheh

Então hoje vou falar sobre limites, os que eu havia colocado pra mim a pouco tempo atrás.
Quem acompanha o blog, acho que lembra que a minha "condição" para me reaproximar do Dú era que ele frequentasse os grupos de apoio ao menos uma vez por semana.
Eu havia imposto esse limite pq lidar com a personalidade dele era muito dificil pra mim, e ele indo ao grupo era uma garantia de que ele estaria ouvindo falar sobre recuperação, o tempo foi passando e esse limite começou a me incomodar.
Comecei a ficar de saco cheio de ter que falar..o grupoo..vai pro grupooo....não por ele, mais por mim.
Já tinha virado um saco isso na minha vida, ter que me preocupar se ele foi ao grupo ou não.

Nesse tempo vi que fui criando habilidades em lidar com algumas situações e ME PRESERVAR, quando necessário.
Então decidi rever esse limite e me questionar: isso ta me ajudando ou me atrapalhando?

Tava me atrapalhando, pq eu gastava uma energia enorme nisso e deixava de fazer coisas pra mim, então cortei esse limite.
Não disse nada a ele, afinal o limite é meu e não dele, simplesmente parei de ficar cobrando.

Ele já ouviu bastante sobre recuperação, não que esteja colocando em prática, mais na teoria já sabe e se recair, a meu bem ele sabe q eu pulo fora rapidinho, então é com ele.

Eu apenas venho procurando aconselhar, dar umas marretadas nas horas oportunas.

Mas minhas prioridades hoje são outras começando pelo meu autoconhecimento, minah recuperação e afins...

Isso me deixa livre e leve, pq não tenho a obrigação de carregar uma vida que não é minha.

Vocês podem questionar, mais e se ele recair, vc não tem medo?

Não não tenho medo de recaída, se cair levanta, se perder corre atrás.

Ninguém parte desse mundo antes da sua hora.

Ficaria triste? Sim ficaria mais só, parar minha vida pra tentar salva-lo NÃO MAIS

Afinal descobri que sou apenas um ser humano e não Deus, tenho minhas limitações e muita coisa a melhorar, ajudar eu ajudo agora carregar no colo um homem barbado..nananinanão..kkk


Boa semana e fiquem com Deus

2 comentários:

  1. Com certeza Rachel, cada um é responsavem pela sua propria recuperaçao, se ele um recair, espero que não, mas a culpa jamais sera sua!!! tamujunto!

    ResponderExcluir
  2. Oi mulher! É um saco ficar "enchendo" o saco né? Bem por ai, se ele quiser ir no grupo vai se não quiser não vai... o importante é você continuar indo! Engraçado, comecei a frequentar o Nar-Anon por ele (pela dor) e continuo indo hoje por mim (por amor).
    E se ele recair? Ué, levanta, fazer o que? As pessoas falam muito do medo da terrível recaída e acabam sofrendo por antecipação. Ninguém tem bola de cristal, não há garantias (a única certeza é que vamos todos para baixo da terra um dia). Quando ele recaiu, foi triste, principalmente porque todos os sinais estavam ali, ele já tinha recaído no comportamento, usar foi consequência... mas levantou, voltou para o programa e esta ai, batalhando sua vida. Enfim, não fizemos disso um bicho de sete cabeças. Fique bem, beijos grandes

    ResponderExcluir