sexta-feira, 19 de julho de 2013

AÇÃO E REAÇÃO




Reflexão pro final de semana :)

Toda ação gera uma Reação

Essa é uma lei da fisica comprovada, a toda ação é gerada uma reação.

No nosso caso, quem convive com um dependente químico, precisamos entender uma coisa.

Vocês já ouviram falar que nós devemos agir e não reagir correto? Sim está afirmação está certa, porém prestem atenção.

Quando agimos, algo ao nosso redor reage novamente a nosso favor, seja de maneira positiva ou negativa, tudo dependerá da ação imposta, se foi algo assertivo, provavelmente a reação que receberemos será positiva, se não será negativa.

Achei uma explicação interessante na internet sobre a diferença de agir e reagir, vai ai pra vocês: Agir, muitas das vezes e coisa tua, reagir e coisa dos outros que nos "obrigam" (induzem a escolha é e sempre será nossa) a isso.
Ou seja quando paramos pra analisar e pensar agimos, quando executamos algo no calor da emoção sem pensar ou analisar reagimos, foi isso que entendi.
Por que devemos tentar manter a serenidade em situações difíceis? Para agir mais e reagir menos, tento atitudes mais assertivas e assim recebendo uma reação mais favorável da situação.
Agora no caso de lidar com um dependente químico na ativa, se ele chega a extremos e você AGE analisando os fatos, com serenidade e toma uma atitude drástica pra se proteger, como chamar a policia por exemplo, você está AGINDO.
E a vida  está REAGINDO de volta a uma atitude drástica que o dependente químico em questão AGIU.
Voltando nesses ensinamentos:
Cada um colhe o que planta
Deus da o cobertor conforme o friu
Cada um carrega a Cruz que merece

Entenderam? Por que então insistir em evitar que as outras pessoas sofram as consequências de seus atos?
Acreditem vocês estão mais atrapalhando do que ajudando.
Atrapalham a possibilidade de uma possível recuperação dos seus e adiam a recuperação de vocês

LARGA  A CORDA!!

6 comentários:

  1. Caraca...
    Tentei explicar isso para minha sogra várias vezes quando meu DQ estava totalmente na ativa e morava com ela, mas ela não entende nem por reza!

    A gente só aprende a AGIR quando assumimos que estamos errando, e percebemos que é preciso mudar o rumo dos ventos.
    Daí a gente começa a entender que precisamos entrar em recuperação e buscar por terapias, grupos, leituras, etc...

    Enquanto a gente não aceita que somos tão doentes quanto eles, vamos apenas REAGIR ao que eles fazem!

    Bjooooo

    ResponderExcluir
  2. Eta que já li tanto isso solta a corda,meu marido não é DQ,porém essa questão aí de agir e reagir serve para todos os momentos não é não?E com meu marido não é diferente,tento agir com ele mas ele é tão "sutil"rsrsrs q acabo reagindo pelas atitudes dele preciso soltar a cordaaa,não só essa várias kkkkkkk preciso ir a uma sala urgentementeeee

    ResponderExcluir
  3. Kel, muito bom ter lido! Obrigada por fazer parte da minha vida, aprendo muito com vc! TMJ bjs

    ResponderExcluir
  4. Obrigado pelo texto...na sexta, tive um episodio com meu irmão e tive que respirar muito fundo para não reagir...a agressões verbais e fisicas. Me mantive calmo e agi. Consegui contornar e internar ele...e mesmo assim me senti culpado.

    Ter lido teu texto me deu um certo ânimo em talvez ter feito o certo....Obrigado!

    ResponderExcluir
  5. é importante muito importante o autoconhecimento, e tb conhecer a doença, assim conseguimos agir de forma mais assertiva, afirmar que será 100% de sucesso de recuperação não da, mais vamos comparar uma pessoa q descobre o cancer no inicio e segue o tratamento a risca, utilizando de todos metodos disponiveis...essa pessoa tem ou não mais chances de se recuperar do que as outras? no caso da dependencia quimica é a mesma coisa, como se trata de uma doença da familia pq afeta a familia....se usarmos todas as armar é muito maior as chances do paciente ter uma "sobrevida" assim como um paciente de cancer, que mesmo em remissão o resto da vida tomará alguns cuidados...assim somos nós codependentes e dependentes quimicos

    ResponderExcluir