terça-feira, 23 de julho de 2013

Alice no país das maravilhas!!




Bom dia Galera...

Assisti esse filme no final de semana e achei legal a mensagem, pode ser viajem minha, mas acredito que sirva pra alguém tb:

Alice, uma mulher aos 19 anos vive infeliz sempre precisando agir contra as suas vontades para agradar aos outros (familiares, sociedade, amigos, etc)

Todos o tempo todo dizem Alice, você precisa se vestir assim, Alice você precisa dançar assim, Alice você deve se casar.
A irmã mais velha de Alice já casada com um Lord, lhe aconselha: não negue o pedido de noivado do Lord blablabla, você já vai fazer 20 anos, se não se casar logo acabará como a tia..blablabla, uma velha solteirona meia maluca que se tornou um peso pra família.
Ela olha pra tia e se assusta, enquanto caminha pelo jardim, flagra o marido de sua irmã dando uns cata em outra mulher, isso a deixa mais contrariada em aceitar o pedido de casamento do Lord blablabla, o qual ela considera um bom rapaz, mas não quem exatamente ela gostaria de se casar, então aparece o coelho de terno e ela o persegue caindo no buraco e chega ao mundo subterrâneo.
Lá todos questionam se ela é a verdadeira Alice, pra ela aquilo tudo era um sonho.

Existia a rainha vermelha que mandava cortar a cabeça de todos que a desagradassem e a rainha branca que com amor sempre dizia a escolha é sua.

Pra derrotar a rainha vermelha Alice deveria matar o "Jaguardarte" um monstro poderoso,  parecia um dragão.
Parecia impossível disso acontecer, de inicio Alice se recusou a duelar com o monstro.
No final ela escolheu acreditar no impossível e conseguiu derrota-lo.

Quando ela retornou do mundo subterrâneo, ela negou o pedido de casamento do Lord, disse algumas palavras com amor, e respeitando as próprias escolhas, para cada pessoa que ela temia decepcionar e resolveu seguir a sua vida, se tornando aprendiz nos negócios cujo o pai falecido havia vendido a um amigo da família, e assim ajudar a expandir os projetos de seu pai.

Alice se parece ou não com muitas de nós?

Somos criadas (os) muitas vezes pra se comportar e agir de uma forma que seja aceita pela sociedade.
Pra isso sujeitamos nossas vontades as vontades alheias, assim vivemos infelizes e temos medo de agir diferente e decepcionar outras pessoas, então escolhemos viver na tristeza, até que chega em um ponto que a decisão a tomar, poderá mudar o rumo de nossas vidas, então o que fazer? Como fazer? 
Temos medo de não conseguir, nos olhamos no espelho e vimos uma Alice, uma menina que tem medos e acha impossível derrotar o monstro.
Mas a hora chega e a decisão deve ser tomada, lutar pra se libertar ou permanecer a mercê das pessoas mesmo sendo uma pessoa infeliz?

Alice resolveu acreditar no impossível, e lutar com um monstro medonho.
A luta era de Alice, ela deveria derrota-lo sozinha, mas ela não estava sozinha, existia um reino inteiro que acreditava que ela seria capaz.

Eu escolhi lutar e derrotar esse monstro chamado Codependência
Eu escolhi ser feliz e pra isso eu não preciso ofender ninguém, preciso apenas me respeitar e respeitar ao outro.

E vocês? Viverão a mercê da rainha vermelha lhe atendendo todos os desejos com medo de ter a cabeça cortada, ou irão lutar mesmo que parecendo uma luta desigual, mais irão lutar pela vida de vocês?

Não se esqueçam a luta é sua, mais existe um reino inteiro lhe apoiando, você não está sozinho.

Fiquem com Deus

4 comentários:

  1. Tamujuntas nessa, nega...

    Quando eu vi que ninguém mais, além de mim, poderia lutar por minha recuperação, me agarrei a isso com todas as forças.
    Doeu, e certamente, a luta é desleal, mas vale a pena.

    Claro que não estamos curadas, estamos em recuperação, mas depende de nós ficarmos bem ou não.

    bjs, nêga...

    ResponderExcluir
  2. O livro, de Lewis Carrol , que era matemático, é uma obra de difícil interpretação.
    Uma das interpretações diz que a história representa a adolescência, com uma entrada súbita e inesperada (a queda na toca do coelho, iniciando a aventura), além das diversas mudanças de tamanho e a confusão que isso causa em Alice, ao ponto de ela dizer que não sabe mais quem é após tantas transformações (o que se identifica com a psicologia adolescente).

    Mas independente, Johnny Deep como chapeleiro maluco esta uma delícia não?
    Beijocas

    ResponderExcluir
  3. vdd...rs..pra vc ver dizemos q os adictos são eternos adolescentes e nossos comportamentos por vezes tb se assemelham a de uma adolescente com medo de se assumir....

    Meu o Johnny Deep só faz papel de doido...kkkk a cara dele...bju

    ResponderExcluir