quarta-feira, 14 de novembro de 2012

atravessando o Deserto



DESERTO QUE ATRAVESSEI ATÉ CHEGAR AO AMOR-EXIGENTE
O acolhimento nas reuniões de Amor-Exigente é um momento de grandes emoções e aprendizado.
Num desses encontros, uma pessoa que estava chegando pela primeira vez disse-me: só eu sei o deserto que atravessei até chegar aqui. Só eu sei o quanto eu sofri, o quanto eu tive que abrir mão de coisas que eu gostava, dos amigos, dos lugares; enfim, de tudo que me fazia feliz. Só eu sei o quanto me senti só, desamparada, triste, amargurada e quanto chorei por ter um filho dependente químico.
Hoje chego aqui sem esperança, sem ter mais nada a perder, com a vida bagunçada e sem vontade de viver.
Imediatamente lembrei-me do deserto que também atravessei para estar aqui recebendo essa pessoa.
Percebi que o deserto de cada um tem um valor inestimável, não importando o tamanho ou o tempo que levou, ou está levando para atravessa-lo, até porque a dor e o sofrimento não tem medida e não é possível comparar.
Porém o deserto é um lugar de oportunidades, é um lugar de encontros, onde as nossas lágrimas são verdadeiras. Sentimo-nos sozinhos, nossos valores são questionados, conhecemos os nossos limites e defrontamos com a nossa fragilidade.
Somente no deserto é possível encontrar-se consigo mesmo, e diante da dor ter um encontro verdadeiro, sincero sem mascaras e pessoal.
Deus usa o deserto para nos levar ao encontro daquilo que realmente somos. Percebemos que aquilo que imaginávamos ser não é o que realmente somos; no deserto as realidades mais escondidas do nosso coração são trazidas para fora.
No deserto nos deparamos com nossas fraquezas, sentimos que as nossas forças se acabam e o nosso racional que age através dos nossos argumentos cessam e revela-se algo maravilhoso: a nossa humanidade e nossa humildade se manifesta. Sentimo-nos verdadeiramente gente.
O deserto também tem o poder de nos aproximar da espiritualidade. Na nossa fraqueza começamos a entender que precisamos de algo maior do que tínhamos e que achávamos que era o bastante para viver. No encontro consigo mesmo que o deserto proporciona, começamos a entender o quanto precisamos da espiritualidade que tem o poder de trazer o alicerce para suportar as adversidades.
O deserto é o lugar onde acontece o encontro maravilhoso com Deus. Reconhecemos o quanto precisamos Dele e para nossa surpresa vamos entender que Ele sempre esteve dentro de nós. Estava só aguardando este encontro com nossos limites para se manifestar.
Bendita seja a nossa caminhada no deserto, pois a dor que nos leva ao deserto nos faz enxergar em meio à escuridão, a luz de Deus.
Entendemos que deserto é lugar de vida, é caminho de desafios e superações; entendemos que Deus habita nos desertos, no deserto de cada um. Percebemos também que os limites pessoais são diferentes e variam de acordo com a experiência pessoal de cada individuo.
Quando aquela pessoa terminou de falar, não me contive, levantei e a abracei dizendo-lhe: você não está mais sozinha. Nós te acolhemos e aceitamos como você é e como você está. Você é uma pessoa corajosa, atravessou o deserto sem perder a dignidade e a força para continuar lutando. A tua caminhada no deserto fez de você uma pessoa mais forte.
Obrigado pela oportunidade que você está nos proporcionando de jamais perder o que de melhor temos dentro de nós: o afeto e a solidariedade.
Foi impossível conter as lágrimas; também pra que conter?
Este foi um encontro maravilhoso de sentimentos que o acolhimento nas reuniões do Amor-Exigente nos proporcionou.

Texto de Sérgio - AE

Nenhum comentário:

Postar um comentário