quarta-feira, 1 de agosto de 2012

faltam 6 Dias

..Bom agora vão noticias do marido...

Falei com o psicólogo ontem, a posição dele é que, ele continua na mesma, e bem desanimado, demonstar estar saturado de ouvir sobre recuperação
Falei com o dono da clinica que teve a oportunidade de estar junto do Dú por algumas horas, o dono da clinica estava ocupado não pode falar muito, mais me passou algumas coisas, fique de ligar na quinta pra conversar melhor com ele.
Ele me disse que o Dú ta mais animado, que ele ve a internação como uma experiência muito boa, embora ele acredite que no caso dele (pq não morou na rua, não roubou, etc, etc) não seria necessária a internação, mais que valeu que pelo menos ele enxergou que pode bater com a cabeça nesse fundo de poço também
Perguntei se ele tava revoltado comigo, ele me disse que não, porém que é dificil prever pq la dentro ele se mostra tranquilo calmo e quando me ve ou fala comigo explode.

Enfim, eu Kel queria sentir como vou encontra-lo na terça que vem, pq como descrito no post http://dependenciaecodependencia.blogspot.com.br/2012/07/visita-de-sabado.html, a uma semana atrás não foi nada legal.

Estou pensando em pedir uma ligação antes dele sair, pra ver como ele fala comigo, pra ver como ele age e reage.

Sei la, eu com meus pensamentos no futuro ou pressentimentos, algo me diz que quando estivermos a SÒS vai bater a revolta nele...enfim não sei não da pra saber, é uma caixinha de surpresas, mas preciso me preparar pras possibilidades, pra tentar gerenciar a "crise" e tomar a melhor atitude pro momento.

Vamos ver, enquanto isso vou reler meu ultimo post...pra não começar a viajar aqui no futuro e passado denovo...

Bjaum pra todos

Um comentário:

  1. Oi Kel, percebo que o seu esposo ainda não saiu do estágio da negação, ele sempre acha que não tinha necessidade disso ou daquilo, que tem pessoas piores que ele, que a internação não era necessária, enfim...meu esposo sempre falava essas mesmas coisas para mim, tentando colocar em mim a culpa de sua internação e sabe o que eu fazia? aceitava. Contava para a psicóloga e ela falava que isso fazia parte, pois eles sempre acham que não é tão grave assim e que a hora que eles quiserem parar eles param. Por isso digo que não assino mais nenhuma internação sua e que se ele for se internar por mim, prefiro que não vá. Coloque em seu coração que você não tem culpa de nada e a responsabilidade da recuperação é dele. Não aceite culpas que não são suas e não se esqueça de viver com esperanças e não com expectativas, como você mesmo falou.
    Um grande beijo, fique com Deus.

    ResponderExcluir