quinta-feira, 19 de julho de 2012

eu Codependente...



Buenas minha gente...

Quinta-feira friuzinho..bom pra ta na cama..aiaia..

Sabe com todos esses acontecimentos, aprendi que nasci codependente, se não nasci aprendi a ser assim desde pequena.

Meus avós tanto por parte de pai como de mãe tiveram problemas com alcolismo, a minha avó por parte de pai foi alcoolatra, digo foi pq ela parou de beber, hoje ela tem 79 anos, está viva graças a Deus muito bem de saúde, e hoje ela é uma senhora bem pra cima, meu pai já passou poucas e boas com a mãe dele, até ir buscar ela na delegacia..pois é...minha mãe mau conviveu com o pai dela, a mais nova de 7 filhos, perdeu o pai devido ao alcolismo, ela me conta que meu avô bebia alcool puro até então a mãe dela que trabalhava na roça criou 7 filhos sozinha, 6 mulheres e um homem.
O irmão da minha mãe virou alcolatra e morreu novo acho que com 40 anos, devido a doença, 4 das 6 mulheres se casaram com alcolatras, onde 3 perderam o marido devido a doença, graças a Deus meu pai não era um deles.
E o meu tio que está vivo ainda é alcolatra, ele não é violento, mais se percebe que ele não tem a cabeça muito em ordem.
Minha mãe um dia me disse, que quando ela se casou a minha avó disse a ela: "minha filha vc deve seguir seu marido sempre aonde for", creio que ela deve ter dado o mesmo conselho a todas as filhas.
Desde pequena eu de certa forma era sempre orientada a respeitar as pessoas, não somente as pessoas mais a vontade das pessoas, eu perguntava mais e a minha, sempre tinha uma desculpa de que a outra pessoa precisava mais, mesmo não precisando sei lá...acabei aprendendo assim.
Lembro-me de 2 fatos que me marcaram bastante que hoje eu vejo como CODEPENDENCIA NATA...rs
Quando eu tinha uns 6 anos, moravamos em uma casa grande, tinham 4 quartos, naquela época a situação financeira era razoavel, e nessa época só Deus sabe pq os meus avós quiseram morar todos com seus filhos, (meu pai e minha mãe)
Moravamos (Eu, meu irmão, meu pai, meu avô e minha bisavó, minha mãe e a minha avó) 7 Pessoas, em uma casa com 4 quartos.
Eu achei isso que aconteceu extremamente injusto, mais eu não podia reclamar, se reclamasse era recriminada pela minha mãe.
Cada avô tinha um quarto para si sozinho, meu pai e minha mãe o deles claro, e eu e meu irmão dormiamos no hall dos quartos...isso mesmo...casa um quis um quarto eu e meu irmão que dormissemos na sala se bobiar, na época eu era muito nova, mais não entendia e me revoltava, mais como meus pais me diziam, não reclama, eu aceitava e não reclamava.
Outro fato, eu tenho uma prima que adoro ela, hoje ela cresceu muito como pessoa, mais até um tempo atrás o mundo girava ao redor dela, todos finais de semana  nos reuniamos na casa de uma tia pra almoçarmos, ou passarmos a tarde.
Na minha adolescencia, eu queria ficar na vila com meus amigos não queria ficar indo la, lembro que teve um ano novo que enchi o saco da minha mãe que eu queria ficar com minhas amigas, eu tinha 15 anos, ela deixou.
No dia seguinte levei um carão dela, uma bronca pq eu não tinha ido e minha prima tinha chorado a noite toda, e que todos acharam um absurdo, como eu sou ruim em ter feito isso com ela.
Eu fui a culpada por ter estragado a noite de ano novo dela e da minha tia, por falta da minha presença.
Aconteceram vários fatos...rs..
Um dia me revoltei...rs..viajamos pra um sitio, a familia toda, eu ja tinha 20 anos e namorava,  tinha uma tia minha que roncava e ninguém queria dormir com ela, tava uma "briga" do eu não vou dormi la e lalala.
Eu quietinha na sala assistindo TV só ouvindo os tititi, derrepente minha mãe entra na sala e fala Rá, vc vai dormi com sua tia Maria...e outra tia olhou pra mim deu uma  risadinha e ...a Ra é e legal, ela não tem essas frescuras né Rá? Ela dorme sim.
Eu comecei a chora (olha q besta) e falei pq eu, ninguém quer eu EU tenho que ir, falei não vo, durmo no sofá mais tb não vo dormi com ela, nem que eu durma no carro, isso é desaforo.
E minha mãe preocupada que minha tia ia ficar ofendida se me visse chorando, e eu tentando esconder.
No fim minha mãe dormiu com ela...rs..

Não culpo meus pais, mesmo pq a criação deles foi assim, eles aprenderam assim, fui criada por dois codependentes, que moraram com os pais até falecerem, esses meus 2 avós e bisavós que moraram com a gente faleceram nos anos 1995/2005/2010.
Até então eles que mandaram na casa, meus pais só estão descobrindo o que é poder viver a propria vida AGORA.
E todos deram trabalho no sentido de ficar acamados, os outros filhos até ajudavam, mais o mais pesado acabava pros meus pais.

É complicado, mais aidna bem que acordei desse estilo de vida...rs..

Hoje eu tento encontrar um equilibrio em tudo isso,  como tudo na vida sempre existe algo bom para se aprender, e com a codependência eu aprendi algo realmente que me acrescentou bastante e me fez uma pessoa melhor, que é a vontade de ajudar ao próximo, é  ter compaixão, é não ser egoísta.
Porém graças a dependência do meu marido, aprendi que isso deve ser meio a meio, devo ter todos sentimentos acima, pelo próximo e por mim também.
Isso é o mais importande que aprendi.
Preciso e tenho de me EQUILIBRAR, tudo que é ao extremo não é legal.

É isso pessoas..

Amu vcs e obrigada por tudo...

4 comentários:

  1. Kel, se um dia puder leia o livro "Mulheres que Amam Demais" (acho que é esse o nome). Você vai aprender que inconscientemente buscou essa situação, devido à sua codependencia. Mas se você mudar, as coisas mudam junto.
    Bjusss
    J

    ResponderExcluir
  2. Tem uma moça no AE que tava lendo esse livro ela disse ser bem legal...vou ler sim...quero entender como é esse "buscar inconsciênte" e como eu mudo isso, que é estranho pq de certa forma vemos o "se apaixonar" como algo irracional e pelo que tenho visto e que me falam, acaba sendo no fundo algo racional, mesmo que inconsciente...vixi,...coisa de maluco...rs..mais vou ler sim..quero entender isso...

    ResponderExcluir
  3. Hahaha tia que ronca é soda...rs Eu tb tenho muita dificuldade em definir o que é caridade, o que é co-dependencia e o que é gentileza, tenho feito esta reflexão na minha vida, mas aplicar nem sempre é tão fácil. Post muito legal, bjus e fika com Deus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Xi..Sol eu já me quetionei muito sobre isso, sobre deixar de ser codependente não ser egoismo de minha parte, já que o ensinamento de Jesus é fazer caridade e amar ao próximo como a ti mesmo...até que entendi que pra ajudar alguém, essa pessoa precisa querer ser ajudada, e eu me sacrificar pra tentar ajuda-la sem ela querer, eu estou sendo injusta comigo mesma, pa amar ao próximo com a ti mesmo tb significa se amar e se respeitar, e quando minha ajuda tiver infrigindo essas leis na verdade eu estou sendo errada, pq nãoe stou confiando no PS...deu pra entender?
      Na doutrina espirita, nós recebemos ajuda dos bons espiritos o tempo todo, porém nós somos responsáveis por se manter ligados a essas energias boas, com pensamentos, bons atos de caridade, ações boas. Se nos desligamos deles, eles simplesmemte nos deixam ir...

      Excluir